Clipping Internacional

Clipping Internacional - 21/01/2021

Notícias internacionais sobre o Brasil; Notícias do Mundo; e Artigos

21/01/2021 08:54

Governadores de oitos estados e mais o DF se reuniram com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, em busca de apoio à vacina contra Covid-19, em novembro de 2020 (Agência Câmara)

Créditos da foto: Governadores de oitos estados e mais o DF se reuniram com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, em busca de apoio à vacina contra Covid-19, em novembro de 2020 (Agência Câmara)

 
1. NOTÍCIAS INTERNACIONAIS SOBRE O BRASIL

CRISE SANITÁRIA EM MANAUS/Solidariedade da Venezuela. A Venezuela envia tubos de oxigênio para o estado do Amazonas, no Brasil, apesar das relações diplomáticas nulas entre os países. A crise por falta de tubos de oxigênio nos hospitais do Amazonas causou a morte de 51 pessoas. Apesar das relações diplomáticas nulas entre os países vizinhos, o Estado brasileiro recebeu o apoio do governo venezuelano, que enviou cinco caminhões carregados com cerca de 25 mil metros cúbicos de oxigênio cada. Segundo o secretário de Saúde do Estado do Amazonas, Marcellus Campêlo, “ainda estamos reequilibrando a rede, e (a carga) vai ajudar muito no equilíbrio, principalmente neste momento que temos um aumento de casos no interior”. (Página 12, Argentina; La Presse, Canadá) | bit.ly/3iA4RWM

GOVERNO BOLSONARO/governadores pedem diplomacia para obter a vacina. Os governadores de 15 dos 27 estados brasileiros vão enviar carta ao presidente do país, Jair Bolsonaro, na qual aponta um "diálogo diplomático" com autoridades de dois países produtores de matérias-primas essenciais para a fabricação de vacinas contra a Covid -19. No documento, os pedem governadores pedem que se estabeleça um diálogo diplomático, especialmente com China e Índia, a fim de "garantir a continuidade do processo de imunização" e não o Brasil, que tem soma mais de 211.000 mortes e 8,5 mil casos de coronavírus. (El Diário, Espanha) | bit.ly/3o26BsD

BOLSONARO/Saúda Joe Biden. Sem outras opções, o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, cumprimentou Joe Biden nesta quarta-feira, após sua posse como presidente dos Estados Unidos, e afirmou estar "pronto" para trabalhar pela "prosperidade" dos dois países e pela defesa da Amazônia, cujo desmatamento aumentou exponencialmente durante seu mandato. (La Jornada, México; El Diário, Espanha; Diario Correo, Peru) | bit.ly/3iwB5lq | bit.ly/2MbAIRr | bit.ly/2LRyk2m

MOURÃO/Reconhece erros na condução da pandemia. O vice-presidente do Brasil, general Hamilton Mourão, admitiu que houve "erros compartilhados" no combate à pandemia, mas não vê fundamento para um julgamento por impeachment contra o presidente, Jair Bolsonaro, segundo a imprensa publicada nesta quarta-feira. “Há erros amplamente conhecidos, mas de responsabilidade compartilhada” entre o Executivo e os governadores, com uma discussão que “foi conduzida única e exclusivamente pelo lado político” por “ambos os lados”, declarou Mourão. (El Diário, Espanha) | bit.ly/3nYQqwk

FINANÇA/Sistema financeiro sobrenada na crise. Brasil se prepara para uma onda de IPOs este ano, após 2020. Banqueiros afirmam que o fluxo de empresas que se preparam para atingir os mercados pode ser "o maior de todos". (Financial Times, Inglaterra) | on.ft.com/393GKfZ

CRISE SANITÁRIA EM MANAUS/A angústia dos médicos com a nova cepa. Médicos de Manaus que lutam contra o coronavírus estão alarmados com a virulência da segunda onda que atinge o estado do Amazonas, no norte do Brasil, e a nova variante que pode ser a causa do recorde de mortes. Esta variante foi detectada no dia 2 de janeiro no Japão em quatro viajantes vindos deste estado localizado no meio da Amazônia. O Dr. Ruy Abrahim, que coordena os serviços de emergência em Manaus, disse que ficou impressionado com a rápida deterioração da saúde dos doentes. Muitos deles rapidamente se encontraram em estado crítico e um número crescente morreu em casa antes mesmo da chegada de ajuda. Da mesma forma, os casos graves aumentaram em todas as faixas etárias. (La Presse, Canadá) | bit.ly/2XZydnJ

2. NOTÍCIAS DO MUNDO

EUA/Joe Biden, primeiras medidas. Joe Biden marcou o início de sua presidência assinando uma enxurrada de ordens executivas sobre uma série de questões, incluindo Covid-19, meio ambiente, imigração e ética. Algumas ordens desfazem ações significativas da administração Trump, incluindo o acordo climático de Paris, a suspensão da proibição de viagens em países de maioria muçulmana e o fim da declaração de emergência nacional usada para justificar o financiamento da construção de um muro na fronteira EUA-México enquanto outras tratam da Covid. O novo presidente também ordenou que as agências federais revisassem a equidade em suas políticas existentes e elaborassem um plano em 200 dias para lidar com a desigualdade nelas. (The Guardian, Inglaterra; The New York Times, EUA) | bit.ly/2KDLKOW | nyti.ms/3p9tyvu

EUA/Os perdões de Trump. Trump perdoa Bannon, aliados e famosos. O ideólogo da extrema-direita mundial acusado de desvio de fundos, um amigo do genro acusado de perseguir online a ex-mulher, um angariador de fundos dos republicanos e um rapper apoiante de Trump fazem parte da lista de perdões presidenciais de última hora. São mais de 140 perdões e comutações de penas. E o padrão mantém-se até ao final: aliados políticos, pessoas com ligações pessoais a si ou a familiares e famosos são contemplados. As decisões surgem depois de uma notícia no New York Timester revelado que aliados de Trump estavam a recolher “dezenas de milhares de dólares – e potencialmente muito mais” de pessoas que procuravam perdões. Este “lucrativo mercado de perdões” terá sido desmascarado através de documentos e entrevistas com mais de trinta dezenas de lóbistas e advogados. (Esquerda.net, Portugal) | bit.ly/3p4HAP1

EUA/Adeptos da extrema direita QAnon estupefatos. A profecia previa uma grande "tempestade". A prisão em massa dos “traidores pedo-satanistas” era iminente, assim como a expulsão dos democratas eleitos para Guantánamo, o motim do exército contra Joe Biden, seguido de um “apagão” total da internet para restaurar democracia e a presidência de Donald Trump. Espanto entre os seguidores do QAnon: nada disso aconteceu na quarta-feira. (La Presse, Canadá) | bit.ly/2Mbsb0Q

EUA/O que espera Biden. O 46º presidente dos EUA enfrenta pandemia, crise econômica, divisão nacional. Joe Biden pede unidade no discurso de posse de uma nação dividida e prometeu desfazer muito do legado de seu antecessor e restaurar o que ele chama de "a alma da América", provando que os últimos quatro anos representaram uma aberração, e não uma fenda duradoura no tecido nacional. (The Washington Post, EUA) | wapo.st/3iClwZx

BOLÍVIA. Morre ‘El Mallku’, o último insurgente na Bolívia. Felipe Quispe, polêmico camponês, guerrilheiro e dirigente sindical, foi figura transversal na política e na luta indígena do país andino. Ele morreu de parada cardíaca aos 78 anos, enquanto preparava sua candidatura ao governador de La Paz. (El País, Espanha) | bit.ly/3965WT3

CUBA. Cuba produzirá este ano 100 milhões de doses de sua vacina contra o novo coronavírus Soberana 02 para atender sua demanda e a de outros países, informou quarta-feira o diretor do Instituto Finlay, Vicente Vérez. “Estamos reorganizando nossas capacidades de produção porque realmente temos muita demanda para a vacina e temos que nos preparar”, explicou em uma conferência em que foi feita uma visita ao laboratório onde é fabricada a substância contra Covid-19. O Instituto Finaly criou o Soberana 02 e o Soberana 01, este último em fase de pesquisa menos avançada. Outros centros de biotecnologia da ilha estão trabalhando em mais duas vacinas candidatas, chamadas Abdalá e Mambisa. (La Jornada, México; Últimas Notícias, Venezuela) | bit.ly/3iJFrpL | bit.ly/3p5gxDe

COLÔMBIA/Líder social assassinada. A líder social colombiana Linda Patricia Díaz é assassinada. A líder social e política do município de Cáceres, no departamento colombiano de Antioquia, Linda Patricia Díaz Romero, foi assassinada na terça-feira pelas mãos de homens armados. Linda Patricia foi candidata à Câmara Municipal de Cáceres pelo Partido da Unidade nas eleições regionais de 2015, bem como trabalhadora reconhecida pelas Instituições de Ensino Superior (IES). (Últimas Notícias, Venezuela) | bit.ly/3p5n8xs

PERU/greve de médicos. Médicos peruanos em greve de fome por causa de pandemia de condições de trabalho. Os médicos peruanos iniciaram uma greve de fome em protesto contra as condições de trabalho precárias que os médicos dizem ter enfrentado no combate à pandemia do coronavírus. “Estamos preocupados com o abandono de nossos médicos, a falta de boas condições de trabalho”, disse o Dr. Teodoro Quiñones, que é secretário-geral do sindicato dos médicos de hospitais públicos. “Ainda falta oxigênio. Ainda faltam medicamentos. Os compromissos econômicos que o governo havia oferecido não foram cumpridos e nada acontece aqui.” (The Sydney Morning Herald, Austrália) | bit.ly/3iwB8O8

AUSTRÁLIA/Zero de novos casos de Covid-19. A Austrália deixa as infecções por coronavírus zero após medidas rígidas. Os confinamentos e o fechamento de fronteiras têm permitido ao país controlar os novos casos. A Austrália conseguiu nesta semana zerar as infecções por coronavírus em todo o seu território. "Hoje temos seis dias entre sete, com nenhum caso (de covid-19) na Austrália", disse o ministro da Saúde australiano, Greg Hunt. (El Periódico, Espanha) | bit.ly/3p8Shjx

3. ARTIGOS/ENTREVISTAS

Stephen Roach – Redes Sociais (Project Syndicate, EUA) | “Internet versus democracy” | bit.ly/3nYQts0

Federico Finchelstein e Jason Stanley – EUA/Brasil (Project Syndicate, EUA) | “Um genocídio da Covid nas Américas” | bit.ly/3nYQtIw

Brendan O’Connor, reportagem – EUA (The Guardian, Inglaterra) | “Os bandidos úteis de Trump: como o Partido Republicano ofereceu uma casa para os ‘Proud Boys’. No início da presidência de Trump, grupos neonazistas e fascistas encorajados vieram a público, mas foram recebidos com repulsa generalizada. Assim, as táticas da extrema direita mudaram, tornando-se mais insidiosas - e com muito mais sucesso” | bit.ly/2MeRpv1

Bernie Sanders – EUA (The Guardian, Inglaterra) | “Joe Biden precisa acabar com os negócios como sempre. Aqui como começar” | bit.ly/3qJIH7h

Judith Butler – Trump (The Guardian, Inglaterra) | “Por que Donald Trump jamais admitirá sua derrota” | bit.ly/3oZMz3r

Atilio Boron – EUA (Página 12, Argentina) | “Joe Biden na Casa Branca: nenhuma ilusão” | bit.ly/395FR6C

Ariel Dorfman- EUA (Página 12, Argentina) | “Em busca de Biden: uma chave” | bit.ly/3nYQuMA

Valeria Vegh Weis – Justiça e política (Página 12, Argentina) | “O que é ‘lawfare’ (o caso Moro)” | bit.ly/2M5mC3T

Eric Lipton and Kenneth P. Vogel, reportagem – Trump (The New York Times, EUA) | “Nos perdões de Trump, o desdém pela responsabilidade pública. Eles ressaltaram sua animosidade contra um sistema de justiça que busca punir a corrupção e as traições da confiança pública.” | nyti.ms/2XY3sPZ

Nouriel Roubini, entrevista – Redes Sociais (Der Spiegel, Alemanha) | "Twitter e outras plataformas são ruins, o Facebook é pior. Ele acredita que as plataformas da mídia social devam ser reguladas mais estritamente " | bit.ly/3iwBa8I

Gabriel Leão – Brasil/racismo (Al Jazeera, Catar) | “Ser negro no Brasil em tempos de pandemia” | bit.ly/3nYQw7a

George Friedman – EUA (Other News, Itália) | “Obama, Trump e Biden: consistência na política externa” | bit.ly/3p6JjTQ

Barry Eidlin – EUA (Jacobin, EUA) | “Quando Joe Biden assumir a Casa Branca, o que fará a esquerda?” | bit.ly/2XXrACs

Carlo Formenti – Big Techs (Sinistra in Rete, Itália) | “Quando os gigantes da web declaram estado de emergência” | bit.ly/38Xbtv0



Conteúdo Relacionado