Clipping Internacional

Clipping Internacional - 25/09/2020

Notícias internacionais sobre o Brasil; Notícias do Mundo; e Artigos

25/09/2020 09:34

A filial da montadora alemã Volkswagen anunciou que indenizará ex- trabalhadores por violações dos direitos humanos  (AP/Jens Meyer)

Créditos da foto: A filial da montadora alemã Volkswagen anunciou que indenizará ex- trabalhadores por violações dos direitos humanos (AP/Jens Meyer)

 
1 - NOTÍCIAS INTERNACIONAIS SOBRE O BRASIL

REPARAÇÃO. Volkswagen vai pagar indenização por colaborar com a ditadura brasileira. A empresa era uma das várias que trabalharam secretamente com o governo militar de 1964-85. A montadora alemã Volkswagen concordou em pagar milhões de indenização a ex-funcionários no Brasil que foram perseguidos durante a ditadura militar do país. Uma investigação indicada por governos brasileiros anteriores descobriu que a Volkswagen foi uma das várias corporações que colaborou secretamente com o governo militar de 1964-85 para identificar suspeitos de “subversivos” e sindicalistas. Mas alguns dos envolvidos nas investigações disseram que o acordo encobriu a extensão da cooperação da Volkswagen com o regime militar do Brasil e não incluiu um memorial aos trabalhadores que havia sido proposto originalmente. (The Guardian, Inglaterra; RFI, França; Diário de Notícias, Portugal; La Diária, Uruguai) | bit.ly/33Wfj3T | bit.ly/3mZNCzZ | bit.ly/32ZI0xo | bit.ly/3cwGeqX

CARNAVAL. Rio cancela Carnaval pela primeira vez em um século, com mortes globais perto de 1 milhão. Como o número de mortes por coronavírus em todo o mundo parecia prestes a ultrapassar um milhão em poucos dias, o Rio de Janeiro atrasou seu desfile anual de carnaval pela primeira vez em um século por causa da vulnerabilidade contínua do Brasil na pandemia. eM 2021 o carnaval foi adiado indefinidamente devido à pandemia de Covid-19. (The Guardian, Inglaterra; Jornal de Notícias, Portugal; Tribune de Genève, Suíça; El Clarín, Argentina; El Periódico, Espanha; La Presse, Canad; Le Soir, Bélgica; L’Express, França; La Stampa, Itália; Expresso, Portugal; Diario Correo, Peru; El País, Uruguai; Al Jazeera, Catar) | bit.ly/2RY4lFp | bit.ly/3j3cm7V | bit.ly/2FZk3xD | bit.ly/3j30djt | bit.ly/3mQarG0 | bit.ly/3j4quxN | bit.ly/309vvO6 | bit.ly/2G60nIf | bit.ly/3hWFyMw | bit.ly/33WluVu | bit.ly/2HmMmpZ | bit.ly/3cA1cVF | bit.ly/3cxzAAM

PANTANAL. Pantanal sofre o maior número de incêndios de sua história. São mais de 6 mil fontes de incêndio registradas desde o início do mês. O incêndio destruiu 85% do maior santuário de onças do mundo, o Parque Encontro das Águas. O Pantanal do Brasil, a maior área úmida do mundo, tem o maior número de focos de incêndio de sua história até o momento em setembro. Bolsonaro descarta a gravidade do desastre ecológico. (Página 12, Argentina; La Vanguardia, Espanha) | bit.ly/332qrNd | bit.ly/3cvFd25

BOLSONARO. Índice de aprovação do governo de Bolsonaro subiu durante a pandemia. Brasileiros confiam mais no Presidente, em comparação com Dezembro de 2019, e aprovam a sua forma de governar, de acordo com a sondagem da Ibope/CNI. Aprovação aumenta mais entre a população com menos instrução e menores rendimentos. (Público, Portugal; La Vanguardia, Espanha; The Sydney Morning Herald, Austrália) | bit.ly/3i9UBmg | bit.ly/33TCJXy | bit.ly/3kLgmKI

BOLSONARO. Bolsonaro insiste em associar o fogo na Amazônia e no Pantanal à cultura indígena. O presidente do Brasil, o de extrema direita Jair Bolsonaro, insistiu nesta quinta-feira em vincular os incêndios que estão avançando na Amazônia e no Pantanal com o modo de vida dos indígenas do país. Ao seu lado estava o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, que afirmou que “a agricultura é a grande defensora” da natureza e afirmou que é uma “grande mentira que a Amazônia esteja sendo devastada”. No entanto, os dados apontam na direção oposta. (La Vanguardia, Espanha) | bit.ly/3j9xppy

CORONAVÍRUS E AS MULHERES. Brasil é um dos países onde a pandemia mais afetou saúde psicológica de meninas e jovens mulheres, diz Ong. A Ong Plan Internacional divulgou um estudo sobre o impacto da pandemia da Covid-19 na vida de meninas e jovens mulheres de 14 países. No Brasil, o levantamento mostrou um impacto psicológico importante, pelo aumento da ansiedade, mas também pelo distanciamento do universo escolar que, para muitas delas, representa proteção. 88% das entrevistadas disseram ter níveis altos ou médios de ansiedade por causa da pandemia. (RFI, França) | bit.ly/3jgMxl3

EVANGÉLICOS. Evangélicos progressistas no Brasil reagem contra a homofobia e se lançam na política. Eles rejeitam o uso de passagens bíblicas para criticar os homossexuais e finalizar candidaturas para as eleições municipais de novembro. Na semana passada, o clã de um dos templos evangélicos mais tradicionais do país por suas declarações públicas de intolerância contra a comunidade LGBT. Mas agora há uma reação e dentro das próprias fileiras religiosas eles vão lançar nomes para disputar as eleições municipais em novembro. (El País, Espanha) | bit.ly/3j6CDCf

ALIMENTOS. No Brasil, a gente não tem mais arroz, é a fome de feijão. Como você reconhece um brasileiro? Na verdade, depois de alguns dias fora de seu país, ele já se sente carente de arroz e feijão, o tandem arroz branco com feijão preto, pilar da dieta brasileira. com o real cada vez mais barato em relação ao dólar, os arrozeiros, cuja demanda internacional também está em alta, preferiram exportar. Chega de colocar água no moinho do Movimento Sem Terra que está triunfando sobre o modo de: "Já falamos para vocês, que a soberania alimentar, o agronegócio não liga". “Então, sob o Bolsonaro, exportamos arroz barato e importamos arroz caro, não é?”, diz Marcia Denser. “Ideia brilhante! E se, em vez do arroz e feijão, os brasileiros substituíssem seu presidente? Não custaria nada a eles, ainda. (Libération, França) | bit.ly/367URQ4

MARCELO CRIVELLA. O Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) decidiu por unanimidade, nesta quinta-feira, desqualificar o prefeito da capital carioca, Marcelo Crivella, para os próximos seis anos, acusado de abuso de poder. Marcelo Crivella, que concorre à reeleição, anunciou que vai recorrer da sanção. (El Periódico, Espanha) | bit.ly/3kNhTzN

ABORTO. Modificado no Brasil um decreto que endurece o acesso ao aborto O governo brasileiro modificou na quinta-feira o decreto que endurece o acesso ao aborto para vítimas de estupro, retirando em particular a obrigação de os médicos informarem as mulheres da "possibilidade" de ver o feto. (La Jornada, México) | bit.ly/3i38D95

2 - NOTÍCIAS DO MUNDO

ARGENTINA. O governo vai estender o congelamento de aluguéis e a proibição de despejos. A vice-chefe de gabinete, Cecilia Todesca Bocco, confirmou que o governo vai prorrogar o decreto de necessidade e urgência (DNU) que congela os aluguéis e proíbe os despejos e aquele que mantém o pagamento da hipoteca UVA, arranjado no marco da pandemia do coronavírus. (Página 12, Argentina) | bit.ly/3kK3WTp

COLÔMBIA. Governo colombiano contraria Supremo e recusa desculpa por violência policial. Supremo denuncia repressão “sistemática, arbitrária e desproporcionada” na reação às manifestações. Ministro da Defesa diz que excessos da polícia são “indivíduos de alguns dos seus membros”. (Público, Portugal) | bit.ly/2RVdO06

VENEZUELA. Maduro diz que Trump aprovou "operações terroristas" da CIA contra a Venezuela. O dirigente denunciou que os Estados Unidos aprovaram que a Agência Central de Inteligência (CIA) realize operações terroristas contra alvos petrolíferos e militares para derrubar seu governo. (El Espectador, Colômbia) | bit.ly/2GaPepi

EQUADOR. A Justiça equatoriana solicitou a prisão de Rafael Correa. "Estamos enfrentando um processo de vingança por meio da função judicial", disse Fausto Jarrín, advogado do ex-presidente. Um tribunal ordenou que a sentença de Correa fosse cumprida no caso conhecido como Suborno 2012-2016, que foi finalizado em 7 de setembro, quando foi rejeitado um recurso apresentado pela defesa do ex-presidente equatoriano. A justiça ordenou na quarta-feira que a polícia localize e detenha Correa para cumprir os oito anos de prisão aos quais ele foi condenado. (La Diária, Uruguai) | bit.ly/3cwD1rb

AMÉRICA LATINA. A renda per capita na América Latina cairá este ano para os níveis de 2009. A OCDE pede o fim da exclusão digital para garantir o futuro econômico do bloco. A pobreza crescerá 4,4 pontos e o PIB cairá 9% em um triste ano de 2020. (El País, Espanha) | bit.ly/33Y7lav

FRANÇA. Casos da Covid atingem um recorde à medida que a revolta aumenta com as restrições. O número de novos casos de Covid-19 na França saltou para um recorde enquanto o governo enfrenta uma reação contínua contra medidas rígidas para impedir a propagação do vírus. Outro indicador é o aumento nas internações hospitalares e em terapia intensiva: a autoridade de saúde francesa relatou um aumento “exponencial” no número de novos pacientes que requerem tratamento de emergência. (The Guardian, Inglaterra) | bit.ly/3mTsDhW

FRANÇA. De 1956 a 1962, a França ordenou que seus serviços secretos assassinassem cidadãos franceses. Documentos revelam planos para eliminar dignitários franceses, europeus e estrangeiros durante a guerra da Argélia. (Le Monde, França) | bit.ly/332FuGU

EUA. Trump mais uma vez se recusa a se comprometer em aceitar os resultados eleitorais. Um dia depois de se recusar a se comprometer com uma transferência pacífica de poder se perdesse a eleição, o presidente Trump dobrou sua posição. Os republicanos lutaram para deixar claro que seu partido respeitaria a Constituição, sem repreendê-lo diretamente. Os democratas foram muito menos contidos. A ameaça é de uma grave crise constitucional (The New York Times, EUA; The Washington Post, EUA) | nyti.ms/3cu3d5T | wapo.st/30aHta9

EUA. Republicanos ganham votos para avançar na substituição da juíza Ginsburg na Suprema Corte. O senador Romney enterra as esperanças dos democratas de desacelerar o processo. As esperanças dos democratas de impedir a substituição de Ruth Bader Ginsburg na Suprema Corte evaporaram com o sinal verde para o processo por parte do senador Mitt Romney, o único republicano que em janeiro votou a favor da remoção do presidente Donald Trump. (La Vanguardia, Espanha) | bit.ly/3mR3rZA

JULIAN ASSANGE. A Internacional Progressista condenou o julgamento "fraudado" contra Assange: "apoiamos a liberdade de Julian Assange em face do processo de extradição ilegal e perigoso que está sendo realizado contra ele em Londres. Em uma carta, eles explicaram que Julian Assange foi um jornalista, editor e intelectual que definiu o mundo, cujo trabalho foi crucial na promoção da justiça global. A acusação pelos Estados Unidos de um cidadão australiano por suas atividades jornalísticas realizadas em países soberanos da Europa constitui uma grave violação dos direitos humanos e do direito internacional. (La Jornada, México) | bit.ly/3mQTwDh

3 - ARTIGOS/ENTREVISTAS

Vijay Prashad – Cuba (Counterpunch, EUA) | “Falando aos médicos cubanos que curam o mundo” | bit.ly/3kI9Mo4

Boaventura Sousa Santos – Extrema Direita (Pagina 12, Argentina) | “A direita mira a educação.” | bit.ly/2RVkGKY

Beuth e outros, reportagem – QAnon (Der Spiegel, Alemanha) | “O culto mais perigoso de nossos tempos. Expansão inexorável de QAnon além dos EUA. O bizarro culto pró-Trump conhecido como QAnon vem ganhando seguidores nos Estados Unidos há meses. Agora, a teoria da conspiração começou a se espalhar para a Alemanha. Seus seguidores acreditam que o coronavírus é uma arma da elite em sua busca para escravizar o mundo.” | bit.ly/3j3ZnTv

Pierluigi Fagan – QAnon (Sinistra in Rete, Itália) | “QAnon, sobre fenômenos e mentalidades hoje emergentes.” | bit.ly/3j1TYMM

Washington Uranga – Desigualdade (Página 12, Argentina) | “Mudança climática: outra disputa entre ricos e pobres” | bit.ly/3cvFimp

Paul Krugman- EUA (The New York Times, EUA) | “Abordagem stalinista de Trump para a ciência; Intimide e ignore os especialistas e envie os charlatães.” | nyti.ms/2RVdPBc

Michael H. Fuchs – Trump (The Guardian, Inglaterra) | “O discurso de Trump na ONU foi uma acrobacia bizarra de abuso psicológico e fantasia” | bit.ly/3mTrBCv

Joanna Mortágua – EUA (Esquerda.net, Portugal) | “A mulher que não podia morrer. Ruth Ginsburg não podia morrer porque chegou àquele patamar em que as pessoas se tornam insubstituíveis. Mas sobretudo não podia morrer agora porque essa era a notícia que Trump esperava.” | bit.ly/3i9UJSM



Conteúdo Relacionado