Clipping Internacional

Clipping Internacional - 26/01/2021

Notícias internacionais sobre o Brasil; Notícias do Mundo; e Artigos

26/01/2021 10:01

(Daniel Marenco/O Globo)

Créditos da foto: (Daniel Marenco/O Globo)

 
1. NOTÍCIAS INTERNACIONAIS SOBRE O BRASIL

BOLSONARO E CLÃ/Ataques a imprensa. Repórteres Sem Fronteiras: 2020 foi desastroso para a liberdade de imprensa no Brasil. A ONG destaca as mensagens hostis do Presidente Bolsonaro, dos seus filhos e dos seus ministros contra jornalistas e órgãos de comunicação social. O Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, e seus três filhos que atuam como políticos foram responsáveis por 469 ataques contra jornalistas, número que corresponde a 85% do total de 580 ataques de autoridades contra a mídia do país. O maior número de ataques partiu do deputado federal Eduardo Bolsonaro, com 208 infracções registadas, seguido do chefe de Estado (103), do vereador Carlos Bolsonaro (89) e do senador Flavio Bolsonaro (69). (Público, Portugal; El Diario, Espanha) | bit.ly/3abuRE6 | bit.ly/36hfmt4

BOLSONARO/Ataques à China prejudicaram vacinação. Brasil paga o preço por sua animosidade contra Pequim. O gigante latino-americano depende da China e da Índia para dar continuidade ao seu programa de vacinação, iniciado há uma semana. Mas Pequim não aprecia a propaganda antichinesa de Jair Bolsonaro e seu clã e é novamente a China que deve fornecer os princípios ativos das duas vacinas, para que o Brasil possa fabricar os imunizantes no local. Logo após o lançamento de sua campanha de vacinação, o Brasil corre o risco de ficar sem matéria prima.(RFI, França) | bit.ly/3qRsug5

BOLSONARO/Manifestações pelo impeachment. Imprensa francesa destaca participação inédita de eleitores de Bolsonaro nas manifestações por impeachment. Aumenta a rejeição a Bolsonaro. A decepção de seus eleitores, manifestada em protestos nesse fim de semana em várias cidades brasileiras estaria ligada principalmente à incapacidade do governo de administrar a crise sanitária. Mas a presença da “caravana da direita”, organizada pelo Movimento Brasil livre e pelo Vem pra Rua, “dois grupos ultraliberais”, era modesta e contava com apenas com alguns carros. (RFI, França) | bit.ly/3a8T4uD

VACINA /Bolsonaro agradece à sensibilidade da China. O presidente brasileiro Jair Bolsonaro anunciou nesta segunda-feira que a China autorizou o embarque para o Brasil da matéria-prima necessária para produzir uma das vacinas contra o Covid-19 e agradeceu a esse governo pela "sensibilidade". A embaixada da China em Brasília informou que "a exportação de 5.400 litros de insumos para a vacina Coronavac foi aprovada" e deve chegar ao Brasil "nos próximos dias". (El Diário, Espanha) | bit.ly/36eCMiD

GOVERNO BOLSONARO/Renuncia o presidente da Eletrobrás. O presidente da estatal brasileira Eletrobrás, Wilson Ferreira, anunciou sua renúncia nesta segunda-feira, num momento em que o governo brasileiro insiste em avançar em um complicado processo de privatização da empresa, que enfrenta obstáculos no Congresso. A empresa está na lista de empresas estatais que podem ser privatizadas desde 2016, mas o processo deve ser aprovado no Parlamento, no qual há algumas resistências. (El Diário, Espanha) | bit.ly/3c7jpfc

PAZUELLO/Inquérito para apurar sua responsabilidade nas mortes em Manaus. O ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, está na mira do Supremo Tribunal Federal (STF) depois que o desastre sanitário foi desencadeado na cidade amazônica de Manaus, onde hospitais desabaram devido ao aumento exponencial de casos letais de coronavírus e o Estado não conseguia responder à demanda de oxigênio. O ministro Ricardo Lewandowski concordou em iniciar uma investigação sobre o homem que colocou o Exército em um ministério estratégico a pedido do presidente Jair Bolsonaro, apesar de não ter ficha médica. O Brasil pagou um preço alto pela gestão de Pazuello: quase 218.000 mortes por Covid-19. (El Periódico, Espanha; El Espectador, Colômbia) | bit.ly/36dXmzv | bit.ly/2KO75oL

VACINAÇÃO/Atraso. Vacinação do Brasil prejudicada por gargalos e um líder cético. País de 211 milhões aguarda contribuições do exterior, enquanto o presidente 'corrói a confiança' na vacina chinesa (Financial Times, Inglaterra). | on.ft.com/3sRzXh4

SETOR PÚBLICO/A visão do mundo da Finança. Pandemia leva as finanças do Brasil ao limite. Crise fiscal iminente deve ser uma oportunidade para enfrentar problemas estruturais. (Financial Times, Inglaterra) | on.ft.com/2M9ibVY

PANDEMIA/ Manaus, as mortes e o cemitério. A extensão do cemitério de Manaus, símbolo da devastação do Covid-19. A cidade brasileira já deplora mais de 3.000 mortes neste mês de janeiro. As escavadeiras e os trabalhadores seguem umas às outras para enterrar os corpos, cavando centenas de novas sepulturas na terra vermelha onde os mortos de Covid-19 serão enterrados. A capital do estado do Amazonas, já experimentou mais de 3.000 sepultamentos durante este mês desastroso de janeiro, o mais letal desde o início da epidemia, onde o surto de contaminações sobrecarregou os hospitais. (Le Parisien, França) | bit.ly/3qPQNv3

2. NOTÍCIAS DO MUNDO

CHINA/Critica protecionismo dos EUA. O presidente da China, Xi Jinping, enviou um aviso a Joe Biden de que ele corre o risco de uma nova guerra fria se continuar com as políticas protecionistas de seu antecessor, Donald Trump. Em um discurso para o evento virtual do Fórum Econômico Mundial, Xi pediu uma abordagem multilateral para resolver a crise econômica causada pela Covid-19 e disse que a pandemia não deve ser usada como uma desculpa para reverter a globalização em favor da “dissociação e isolamento”. Xi evitou mencionar Biden ou os EUA pelo nome em seu primeiro discurso desde que Trump deixou a Casa Branca na semana passada, mas deixou claro que a China não seria ditada por Washington. (The Guardian, Inglaterra; Global Times, China) | bit.ly/2M6QbCn | bit.ly/3a3HkJU

DESIGUALDADE/A pandemia aprofundou a desigualdade. O impacto da pandemia detalhado no relatório anual da Oxfam. Os bilionários viram sua fortuna aumentar em US $ 3,9 trilhões entre 18 de março e 31 de dezembro de 2020. A pandemia de coronavírus, que já ultrapassou 100 milhões de infecções e matou mais de 2,1 milhões de pessoas em todo o mundo, colocou a desigualdade no centro das atenções. É que enquanto as grandes fortunas mundiais aumentaram, os mais pobres "precisariam de mais de uma década para se recuperar dos impactos econômicos da crise", disse o relatório anual sobre desigualdade da Oxfam International. (Página 12, Argentina; Esquerda.net, Portugal) | bit.ly/3sWoRHN | bit.ly/3sXmwfw

EUA/Republicanos hesitam com Trump. Com o julgamento de impeachment se aproximando, republicanos hesitam em punir Trump. A Câmara enviou ao Senado uma acusação de “incitamento à insurreição” contra o ex-presidente Trump, mas os republicanos parecem relutantes em condená-lo. Inquérito para examinar se o Departamento de Justiça de Trump ajudou nos esforços para reverter a eleição. Ele foi anunciado após revelações de que o ex-presidente Trump e outro ex-assessor planejaram substituir o procurador-geral em exercício. Na Câmara apresentaram ao Senado um artigo acusando Trump de "incitação à insurreição". Mas os republicanos estão cada vez mais indicando que provavelmente não o considerarão culpado. (The New York Times, EUA) | nyti.ms/36fMKAd

EGITO/Dez anos após a primavera árabe. Dez anos após os motins: milhares de prisioneiros em "condições cruéis e desumanas". Doze organizações de defesa dos direitos humanos pedem à União Europeia que condene a repressão do regime egípcio. A Anistia Internacional publica um relatório denunciando a situação nas prisões egípcias, onde dezenas de milhares de pessoas são detidas em muitos casos injustamente. (La Diária, Espanha; Tribune de Genève, Suíça) | bit.ly/36eo0Z6 | bit.ly/36gmXbb

AMÉRICA LATINA/Desigualdade. A desigualdade das cidades latino-americanas: entre uma longevidade como a alemã e a mortalidade de uma zona de guerra. Um estudo descobre diferenças de mais de uma década na expectativa de vida ao comparar pela primeira vez a mortalidade de 363 cidades em nove países. (El País, Espanha) | bit.ly/3poxeti

ARGENTINA/Acordo para redução do preço da carne. O governo argentino fechou um acordo com os frigoríficos do país para aplicar uma redução no preço que o consumidor paga por oito dos principais cortes de carne. As reduções ficam entre 12% e 30% em relação ao preço de dezembro. Alberto Fernández, já havia se referido às negociações com os frigoríficos e citou como exemplo o que ficou conhecido no Uruguai como “o assado do Pepe”, em referência ao ex-presidente Mujica. “Pepe propôs que haja uma série de cortes populares [que] não deveriam ser arrastados pelos preços internacionais. (El País, Uruguai) | bit.ly/2NFaMyf

NICARÁGUA/Prisão perpétua para feminicídio com estupro. A prisão perpétua pode ser imposta, em particular, aos autores de homicídios de mulheres cometidos após violação, motivados pelo sexo ou se foram cometidos na presença dos filhos da vítima. (Tribune de Genève, Suíça) | bit.ly/3cav2BV

ISRAEL/Ultraortodoxos protestam com violência ao confinamento. Conflitos violentos entre a polícia e os ultraortodoxos em Israel. Contrariando as restrições de confinamento, a comunidade ultraortodoxa do país foi protagonista de violentos confrontos com a polícia durante este fim de semana. Netanyahu é incapaz de condenar veementemente a rebelião deste setor da sociedade israelense devido à sua dependência de partidos ultraortodoxos para permanecer no poder. (El Periódico, Espanha) | bit.ly/2YexYWf

EQUADOR/Eleições presidenciais. Equador se prepara para eleições presidenciais em um cenário político fragmentado. A eleição presidencial, marcada para 7 de fevereiro, vai determinar se o Correísmo está de volta ao poder, depois que o ex-presidente Rafael Correa, condenado a oito anos de prisão por corrupção, não pôde comparecer. (Le Monde, França) | bit.ly/2M6QgWH

ITÁLIA/Crise política. Conte vai renunciar hoje após uma longa crise política. O primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, planeja realizar um Conselho de Ministros na terça-feira para anunciar sua renúncia. Em seguida, ele deve visitar o Presidente da República, Sergio Mattarella, para dar conta da situação e abrir uma crise formal que leva a um novo Executivo. Conte quer permanecer no comando desse governo, o terceiro em três anos. Mas, para isso, terá de ser assegurado o apoio de um número suficiente de desertores constituídos num novo grupo parlamentar. A oposição pede que as eleições sejam convocadas o mais breve possível e Silvio Berlusconi se oferece para um Executivo de concentração. (El País, Espanha) | bit.ly/3a68O1l

PERU/O clã Fujimori. A composição do clã Fujimori e os marcos do movimento que levanta Keiko como candidato à presidência no Peru O líder da oposição garantiu há poucos dias que se ganhar as eleições de abril perdoaria seu pai Alberto, condenado em 2009 por corrupção e violações de direitos humanos. (El Mercúrio, Chile) | bit.ly/369uyZ9

3. ARTIGOS/ENTREVISTAS

Aaron Nelsen, reportagem – Chile/Pinochet (The Guardian, Inglaterra) | “As crianças roubadas no Chile” | bit.ly/39o7GY1

Simon Jenkins – Desigualdade (The Guardian, Inglaterra) | “A Covid tornou a desigualdade ainda pior. A única resposta: apertar os superricos” | bit.ly/36f9sbF

Peter Lewis – Google (The Guardian, Inglaterra) | “A ameaça do Google de retirar seu mecanismo de busca da Austrália é assustadora para qualquer pessoa que se preocupa com a democracia” | bit.ly/3ccLjqf

Carolina Bracco - Egito (Página 12, Argentina) | “A 10 anos da revolução egípcia: nos enganaram com a ‘primavera árabe’” | bit.ly/3t0TrzO

Adriano Campos – Portugal (Esquerda.net, Portugal) | “Seis notas sobre os resultados presidenciais” | bit.ly/3qTQsYd

Paul Krugman – EUA (The New York Times, EUA) | “Ajudar as crianças é uma ideia muito boa. Os republicanos não apoiarão a proposta dos democratas, mas deveriam.” | nyti.ms/2YdaoJi

Charles Lane – Desigualdade (The Washington Post, EUA) | “Os ricos se tornaram mais ricos durante a pandemia. Precisa-se trazer de volta esses ganhos” | wapo.st/36eaRiZ

Jean Luc Mélénchon – Capitalismo (Tiempo Argentino, Argentina) | “Não pode haver uma verdadeira soberania popular sem poder.” | bit.ly/3c981iV

Carlo Formenti – Trabalho (Sinistra in Rete, Itália) | “Da IBM à economia ‘gig’. Todas as formas de dividir os trabalhadores” | bit.ly/36ejBWa

Niccoló Biondi – Neoliberalismo (Sinistra in Rete, Itália) | “Feudalismo 2.0, as duas almas do neoliberalismo” | bit.ly/2M8sSbx

Conteúdo Relacionado