Clipping Internacional

Clipping Internacional - 26/02/2021

Notícias internacionais sobre o Brasil; Notícias do Mundo; e Artigos

26/02/2021 09:56

No mês passado, o Brasil sofreu em média mais de 1.000 mortes por dia com a ocorrência de uma segunda onda que, em sete estados, já é mais letal que a primeira no ano passado (Marcio James/AFP)

Créditos da foto: No mês passado, o Brasil sofreu em média mais de 1.000 mortes por dia com a ocorrência de uma segunda onda que, em sete estados, já é mais letal que a primeira no ano passado (Marcio James/AFP)

 
1. NOTÍCIAS INTERNACIONAIS SOBRE O BRASIL

COVID-19/Um ano depois da chegada do vírus, já há 250 mil mortes no Brasil e os casos e o caos aumentam. O governo de Bolsonaro é um dos que pior administra a pandemia no mundo, em meio a uma batalha política permanente. Um ano após o registro do primeiro caso de coronavírus no Brasil, o país ultrapassou 250 mil mortes nesta quinta-feira, num momento em que as perspectivas são muito desanimadoras, com picos de internações em várias cidades e com vacinação progredindo de forma muito gradual e desigual. As políticas erráticas do governo de Jair Bolsonaro têm muito a ver com esses indicadores, que no ano passado chamou o coronavírus de "gripezinha". (La Diária, Uruguai; The Independent, Inglaterra; La Presse, Canadá; Le NOuvel Observateur, França; El Mercurio, Chile; Telesur, Venezuela; El País, Uruguai) | bit.ly/2ZV13qg | bit.ly/3r451ZW | bit.ly/3ssb3DK | bit.ly/3qYaHV8 | bit.ly/3dPlz3V | bit.ly/3kCICR3 | bit.ly/2SyOJsO

LULA/o ex-presidente disse que só aceitaria candidatar-se novamente se a esquerda assim quisesse. E reiterou seu apoio à candidatura de Fernando Haddad. O ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva expressou em entrevista nesta terça-feira ao portal Brasil 247 que não lutará pela candidatura presidencial nas eleições do ano que vem e que só o fará se todo o bloco de esquerda ele pede por isso. Lula, de 75 anos, que ainda não tem plenos direitos políticos devido aos processos judiciais que pesam contra ele, disse que “se os camaradas de partidos de esquerda entender em que tenho que ser candidato, eu serei...” (La Diária, Uruguai) | bit.ly/3bBIv3S

AUXÍLIO EMERGENCIAL/Bolsonaro confirma estudos para reintroduzi-lo. O presidente brasileiro Jair Bolsonaro confirmou nesta quinta-feira que seu governo estuda a possível renovação de um plano de subsídios para os mais pobres, a fim de amenizar o impacto econômico do Covid-19, que ainda se espalha com força no país. “É um momento difícil e ainda sentimos alguns efeitos da crise sanitária”, disse presidente que é líder no negacionismo de ultradireita, sem comentar sobre o agravamento da pandemia que já deixou mais de 250 mil mortos. Segundo autoridades sanitárias, a situação se agravou em praticamente todas as regiões do país e pelo menos oito dos 27 estados brasileiros alertaram que estão à beira de um desabamento hospitalar. (El Diário, Espanha) | bit.ly/3bEAZ8t

EMPRESAS ESTATAIS/ Bolsonaro afirma agora que as empresas estatais devem ter uma "visão social". O presidente do Brasil, o de extrema direita Jair Bolsonaro, que se comprometeu com os princípios do liberalismo econômico ao assumir o poder, disse nesta quinta-feira que as empresas estatais "têm que ter uma visão social". “Uma estatal, seja o que for, tem que ter sua visão social. Não podemos admitir um governo estadual, um presidente que não tenha essa visão”, disse o presidente. O chefe de Estado optou por essa mudança diante da pressão do setor de caminhões, até então aliado de sua base social, devido ao aumento contínuo do preço da gasolina e do diesel, que acumula um aumento de cerca de 30% só neste ano. (El Diário, Espanha) | bit.ly/3kqRcC1 | bit.ly/3bL8Nka

BOLSONARO/Diz que máscaras causam ‘efeitos colaterais’ e cita suposto ‘estudo alemão’. O Presidente do Brasil causou polémica na quinta-feira ao dizer que as máscaras de prevenção contra a Covid-19 causam "efeitos colaterais", acrescentando que pondera continuar com subsídios para os mais carenciados durante a pandemia. Cabe lembrar que a OMS recomenda o "uso generalizado de máscaras" contra a transmissão do novo coronavírus. Bolsonaro, que é frequentemente visto em público e em aglomerações sem máscara, frisou que não daria mais detalhes sobre o estudo porque "tudo desagua em crítica em cima" do chefe de Estado. (Diário de Notícias, Portugal) | bit.ly/2O1k1cn

PETROBRÁS/Presidente deixa o cargo e mercado financeiro critica. O CEO da Petrobras diz que deixará o cargo quando o presidente do Brasil passar para a gigante do petróleo. Na visão do mercado financeiro, a saída de Castello Branco, favorável ao mercado, levanta temores de populismo econômico de Bolsonaro. (The Wall Street Journal, EUA; Financial Times, Inglaterra) | on.wsj.com/3suvLD8 | on.ft.com/3bEocmx | on.ft.com/37S0hyN

VACINA/30 fábricas de vacinas para gado e só duas para humanos. A pandemia da Covid-19 evidenciou uma fragilidade do Brasil: a alta dependência de matéria-prima importada da China para produzir vacinas e a degradação de laboratórios e fábricas usadas para produzir imunizadores. Enquanto na década de 1980, o Brasil tinha pelo menos cinco institutos capazes de produzir vacinas, atualmente, há apenas dois: Bio-Manguinhos, da Fiocruz, e o Instituto Butantan. Das 17 vacinas atualmente distribuídas por esses dois institutos de investigação, só quatro são fabricadas totalmente no Brasil e não dependentes da importação do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA), a matéria-prima para produzir imunizadores. (Jornal de Notícias, Portugal) | bit.ly/3bIgyr3

VACINA INDIANA/ O Brasil assina acordo para adquirir 20 milhões de vacinas Covaxin. Enquanto o Brasil ultrapassou 250 mil mortes pelo novo coronavírus, o Ministério da Saúde do país assinou nesta quinta-feira um acordo com a farmacêutica indiana Bharat Biotech para a compra de 20 milhões de doses da vacina contra Covid-19 Covaxin, que ainda não foi aprovada pelos reguladores da nação sul-americana. As primeiras 8 milhões de doses da vacina Covaxin, a ser produzida pela empresa brasileira Precisa Medicamentos, segundo o governo chegarão em março. Um segundo lote de oito milhões de doses deve chegar em abril e outros quatro milhões em maio. Até agora, o Brasil inoculou menos de 4% de sua população de 210 milhões de pessoas. Na semana passada, algumas cidades suspenderam as campanhas de vacinação por falta de suprimentos. (La Jornada, México) | bit.ly/3qYaxNw

2. NOTÍCIAS DO MUNDO

AMÉRICA DO SUL/ Vacinação reservada a privilegiados causa escândalo. Em um cenário de escassez, os negócios das “vacinas VIP” se sucedem no Peru, Argentina, Equador, Chile e Brasil. Entre nepotismo, corrupção e acerto de contas político. Vacinação contra a Covid-19, um privilégio? Na América do Sul, os escândalos provocados por revelações de "passes de vacina" estão aumentando, atingindo políticos e suas famílias, empresários e até dignitários da Igreja Católica, suspeitos de tê-lo feito. Afirmam sua posição ou suas relações para brincar os critérios de prioridade definidos pelos Estados, em um contexto de escassez. (L’Humanité, França) | bit.ly/2ZVK0V4

ARGENTINA/Lei aprovada para o financiamento ao sistema nacional de ciência e tecnologia. Comunidade científica comemora sanção da lei e veem como uma volta ao futuro. Passados os quatro anos do governo Macri, que, ao retirar o apoio aos cientistas, dramatizou o projeto de financiamento do Sistema Nacional de Ciência e Tecnologia, foi finalmente aprovado. A nova lei transforma o apoio à pesquisa em política de Estado e obriga o país a quase quadruplicar seu orçamento em dez anos. Engavetada por quatro anos durante o governo de Mauricio Macri, a sanção da Lei de Financiamento do Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação representa a concretização da luta histórica da comunidade científica para que os recursos destinados à área de Ciência e Tecnologia têm participação de 1% no Produto Interno Bruto (PIB) do país. (Página 12, Argentina) | bit.ly/3kxTL5p

CHILE/Suprema Corte chilena reverte decisão que proibia ‘carabineros’ do uso de armas de choque. A Corte considerou que não é um assunto a ser decidido na Justiça. A Suprema Corte do Chile reverteu a decisão do Tribunal de Apelações de Valparaíso que ordenava aos Carabineros que parassem de usar espingardas antimotim diante de qualquer incidente ocorrido na cidade portuária. A decisão unânime emitida em julho passado incluiu 15 recursos interpostos por observadores de direitos humanos, que condenaram as ações violentas da força policial durante os protestos em massa que começaram em outubro de 2019. (Página 12, Argentina) | bit.ly/37O6cou

MIANMAR/ Protestos de rua e pressão internacional encurralam a junta militar birmanesa. A combinação de manifestações, ataques massivos, sanções e pressão diplomática pressiona os militares, com todos os cenários possíveis sobre a mesa (El País, Espanha) | bit.ly/37M8Nzi

EUA/Biden busca reduzir a dependência da China em setores-chave. Biden assina decreto com medidas para garantir o abastecimento nas áreas de defesa, saúde pública, biotecnologia e energia. Os EUA erguem a bandeira da autonomia estratégica para reduzir a dependência da China e de outros concorrentes, fortalecendo as cadeias de suprimentos de bens essenciais ou críticos, de equipamentos sanitários a microchips ou minerais. A pandemia revelou a dependência do Ocidente da produção chinesa e o presidente Joe Biden, na ânsia de estimular a indústria local, assinou uma ordem executiva na quarta-feira para garantir que, em caso de novas crises, o país seja capaz de responder às necessidades. A interrupção da produção em várias fábricas automotivas por falta de componentes demonstra a urgência da medida. (El País, Espanha) | bit.ly/3uwTTqA

ARÁBIA SAUDITA/ Relatório da CIA implica o príncipe herdeiro no assassinato de Khashoggi. Misturou-se água ao petróleo Washington e Riad. Cinco semanas depois de sua posse, o presidente dos Estados Unidos finalmente deve ligar para o líder saudita. Não será o príncipe herdeiro Mohammed ben Salmane que governou o país de fato, mas o rei de 85 anos. Desde o início de seu mandato, Joe Biden se aproximou do Catar. No início de fevereiro, ele encerrou as vendas de armas para os países beligerantes do Iêmen e, portanto, para a Arábia Saudita. (L’Humanité, França) | bit.ly/3svK2Q0

SÍRIA/17 Mortos em ataque aéreo dos EUA na Síria. Pelo menos 17 combatentes pró-iranianos foram mortos quinta-feira à noite em ataques dos EUA na Síria, na fronteira com o Iraque, informou a ONG Observatório Sírio para os Direitos Humanos (OSDH). A ordem veio do presidente dos EUA, Joe Biden, de acordo com o Pentágono. Os Estados Unidos bombardearam supostas posições de milícias pró-iranianas na Síria na quinta-feira, o primeiro ataque ordenado pelo presidente Joe Biden desde que chegou ao poder, informou o Pentágono. (Diário Correo, Peru) | bit.ly/3aWLqoB

3. ARTIGOS/ENTREVISTAS/REPORTAGENS

Paul Krugman- EUA (The New York Times, EUA) | “O paradoxo do partidarismo pandêmico. Muitos republicanos consideram Biden ilegítimo – e apoiam seus planos” | nyti.ms/2O1k4F5

Marie Delcas – Equador (Le Monde, França) | “Equador, um peão na rivalidade entre China e Estados Unidos” | bit.ly/37Q8nb6

Christophe Boucher – Finança (Le Monde, França) | “Os mercados financeiros tornaram-se menos representativos da economia real e da distribuição de empregos” | bit.ly/3r1olH1

Xing Xiaojing, Fan Lingzhi e Wang Wenwen – Síria (Global Times, China) | “Os EUA ‘estão de volta’ com ataques aéreos contra milícias apoiadas pelo Irã na Síria” bit.ly/3q1ugKJ

Sergio Halimi e Pierre Rimbert – Mídia (Le Monde Diplomatique, França) | “Um jornalismo de guerras culturais. Vende discórdia ao invés de de informar.” | bit.ly/3aVRBcE

Amy Goodman e Denis Moynihan – Vacinação (Democracy Now, EUA) | “O apartheid da vacina: se uma pessoa está desprotegida, todos nós estamos desprotegidos” | bit.ly/3svTmDq

Siracusano Raffa – Neoliberalismo (Sinistra in Rete, Itália) | “Espremido entre Popper e Voltaire: o beco sem saída do liberalismo” | bit.ly/2MqVNrm

Salvatore Biasco, entrevista – Capitalismo (Sinistra in Rete, Itália) | “A sociedade, o estado, o capitalismo do futuro” | bit.ly/3pUrY01






Conteúdo Relacionado