Clipping Internacional

Clipping Internacional - 28/02/2021

Notícias internacionais sobre o Brasil; Notícias do Mundo; e Artigos

28/02/2021 11:45

(Carl de Souza/AFP)

Créditos da foto: (Carl de Souza/AFP)

 

1. NOTÍCIAS INTERNACIONAIS SOBRE O BRASIL

PANDEMIA/Bolsonaro desencoraja máscara enquanto mortes diárias batem recorde. O Brasil ultrapassou dois marcos sombrios, já que as mortes por Covid-19 ultrapassaram 251.000 e o país viu seu maior número diário de vítimas desde que o coronavírus foi detectado lá, um ano atrás. E o presidente Jair Bolsonaro novamente desencoraja o uso de máscara, enquanto o país luta com uma implementação lenta da vacinação, novas variantes da doença e uma resposta descoordenada do governo. Dados parciais mostraram que a nova cepa encontrada no estado do Amazonas (P1) possui uma mutação no aminoácido 501, a mesma das cepas do Reino Unido e da África do Sul. A mudança permite que P1 seja mais contagioso e perigoso. (The Guardian, Inglaterra) | bit.ly/3dUWHIc

BOLSONARO/Recorde de mortes e o presidente critica o uso de máscara. O Brasil atingiu o número mais elevado de mortes por Covid-19 num dia. 1.582 pessoas perderam a vida no país devido à doença. Desde o início da pandemia, mais de 250 mil brasileiros morreram infetadas por ela. Mas na sua transmissão em direto semanal, feita nesse dia, o presidente Jair Bolsonaro não mencionou estes fatos, preferindo criticar o uso de máscaras de proteção. (Esquerda.net, Portugal) | bit.ly/3pXNb9z

SATÉLITE BRASILEIRO/Índia lança satélite desenvolvido no Brasil. A Índia lançou com sucesso o Amazon 1, o primeiro satélite de monitoramento da Terra totalmente projetado, fabricado e operado pelo Brasil, no domingo, como parte da estreita colaboração espacial entre os dois países. O lançamento foi realizado com um veículo a partir de uma plataforma na base de Sriharikota, no estado de Andhra Pradesh, informou a Organização de Pesquisa Espacial Indiana (ISRO). (El Diário, Espanha) | bit.ly/2NQiOEN

COVID-19/Gestão caótica, 250 mil mortes e negacionismo. Um ano após o primeiro caso de coronavírus, que também foi o primeiro na América Latina, a pandemia continua fora de controle no Brasil, com 250 mil mortes e um presidente que se recusa a reconhecer sua gravidade, enquanto a nova variante amazônica se espalha silenciosamente pelo país. Desde 26 de fevereiro de 2020, cerca de 10,4 milhões de brasileiros sofreram de covid-19, embora se estima que o número real seja até duas ou três vezes maior. O presidente do Brasil, o de extrema direita Jair Bolsonaro, insiste em virar a página e disse recentemente que "não adianta ficar em casa chorando". (El Diário, Espanha; El Periódico, Espanha) | bit.ly/3aZxNVG | bit.ly/3r291K9

BOLSONARO/Alas do capital e a radical se zangam com Bolsonaro. Valor de mercado da Petrobras cai 76 mil milhões de reais depois do presidente substituir um economista por um general no comando da petrolífera. Na mesma semana, o Planalto ignorou a prisão de um deputado bolsonarista. Na mesma semana, Jair Bolsonaro irritou duas das alas que mais contribuíram para a sua eleição como presidente da República em 2018: a alta finança, que influencia a política brasileira a partir da Faria Lima, em São Paulo, o equivalente à Wall Street nova-iorquina, e a extrema-direita radical, que manipula as redes sociais. Em causa, a substituição no comando da Petrobras de um economista por um general e o silêncio cúmplice do Planalto perante a prisão de um deputado bolsonarista. (Diário de Notícias, Portugal) | bit.ly/3r6Cenl

INDÍGENAS/Último Juma morre por Covid. Amazônia: um povo desaparece como resultado do Covid-19. O último homem na terra indígena Juma morreu com o vírus. Um desaparecimento que sugere as consequências dramáticas da pandemia para as populações indígenas. Amoim Aruká foi o último homem do povo indígena Juma da Amazônia brasileira. Mas ele morreu em 17 de fevereiro, com a idade estimada de 86 anos (ele não tinha um estado civil oficial) da Covid-19. Ao longo de sua vida, ele testemunhou uma série de massacres que reduziram seu povo de 15.000 no início do século 20 para cinco em 2002. Somente suas três filhas poderão continuar a carregar a cultura de seu povo. (Libération, França) | bit.ly/3kxKEBW

AMAZÔNIA/331 defensores dos direitos humanos e ambientais foram mortos em 2020. Para as famílias dos ativistas que foram mortos, a ameaça da crise climática é pessoal: o caso de Claudelice. Durante 2020, 331 defensores dos direitos humanos e ambientais foram mortos - a segurança individual também precisa ser protegida. Após anos de violência crescente, a situação para Claudelice - e para muitos outros que se manifestam - está se tornando cada vez mais perigosa. A estratégia do presidente Jair Bolsonaro de “desmantelar” a legislação ambiental e a proteção dos direitos humanos aumentou a extração ilegal de madeira e mineração na Amazônia. Sua decisão de alterar as leis sobre armas - com a oposição de cerca de dois terços dos brasileiros - significa que as pessoas podem comprar mais armas de fogo e munições com mais facilidade; com menos fiscalização da polícia federal e do exército. (The Independent, Inglaterra) | bit.ly/3b6hNBD

AMAZÔNIA/ Terras na Amazônia ilegalmente à venda no Facebook. Embora a lei não permita, terras indígenas e áreas de floresta da Amazónia estão sendo vendidas ilegalmente no Facebook. Algumas áreas à venda são o equivalente a mais de mil campos de futebol. Segundo uma investigação da BBC, "pessoas invadem e desmatam ilegalmente partes da floresta e depois anunciam no Facebook em busca de compradores". O Facebook Marketplace tem sido a ferramenta escolhida para proceder às vendas ilegais dos terrenos. Algumas palavras-chave como "floresta", "selva nativa" e "madeira" são suficientes para encontrar um dos lotes. (Jornal de Notícias, Portugal) | bit.ly/3pXN6CN

DESEMPREGO/Taxa de desemprego alcança 12,5 %. O Brasil registrou 13,5% de desemprego em 2020, o equivalente a 13,4 milhões de pessoas e o maior nível desde 2012, informou o IBGE. O desemprego no país sul-americano cresceu 6,7%, ou 840 mil pessoas, no ano passado em relação a 2019, quando o indicador era de 11,9%, segundo o IBGE. O desemprego no Brasil aumentou em 2020 como resultado dos esforços para conter a pandemia Covid-19, como medidas de quarentena e fechamento de empresas. No entanto, o desemprego diminuiu nos últimos meses de 2020, coincidindo com uma ligeira recuperação da atividade económica, embora não tenha impedido que atingisse o nível mais elevado em oito anos. (Xihuanet, China) | bit.ly/3dSOYtU

2. NOTÍCIAS DO MUNDO

CUBA/O país testa duas vacinas na fase 3 em março. Duas vacinas candidatas cubanas contra Covid-19, que produziram uma "poderosa resposta imunológica", passarão por testes clínicos de fase 3 a partir de março, anunciou um dos cientistas responsáveis pelo projeto. Essas duas vacinas candidatas, batizadas de Soberana 2 e Abdala, "mostraram que são vacinas seguras" e garantem "a indução de uma poderosa resposta imunológica contra a doença", disse aos repórteres Eduardo Martinez, presidente da empresa própria para as indústrias de biotecnologia e farmacêutica. A ilha de 11,2 milhões de pessoas registrou 312 mortes por Covid-19 para 47.566 casos notificados, uma taxa muito menor do que na maioria dos outros países da América Latina e do Caribe. (La Presse, Canadá) | bit.ly/37UWbFY

ARGENTINA/O escândalo do crédito atípico que o FMI deu a Macri. O FMI e os dólares VIP. O escândalo do inusitado empréstimo de 57 bilhões de dólares, dos quais 45 bilhões de dólares foram desembolsados, ao governo Macri e que vincula a economia argentina ao FMI há décadas. A pesada herança financeira que Alberto Fernández deve renegociar. As opções padrão, o ajuste ou a flexibilidade dos termos e condições. A complexidade de negociar com o Fundo Monetário Internacional por um crédito político opaco e irregular. A instituição pressiona por um acordo rápido, que restaure as políticas que levaram à catástrofe, mas o Governo aposta em fazer pesar a responsabilidade do Fundo num empréstimo “avulso” destinado à fuga de capitais. (Página 12, Argentina) | bit.ly/3kuyqcY

AMÉRICA DO SUL/5 % das vacinas do mundo. Cenário de desigualdade na distribuição de vacinas. A desigualdade na distribuição de vacinas para o coronavírus tem um de seus cenários na América do Sul. De um total de 234 milhões de vacinas distribuídas globalmente, a América do Sul recebeu 5%, quando acumula 17,5% do total de mortes. O subcontinente parece atolado em um 'para si quem pode', onde as estratégias regionais são escassas. O Chile vem realizando uma campanha bem-sucedida que já atingiu 17,5% de seus habitantes. Eles são seguidos, muito atrás, por Brasil e Argentina, os únicos dois países da região com produção própria. (Página 12, Argentina) | bit.ly/3sutIi8

PERU/Narcos assassinam dois chefes indígenas na Amazônia peruana. Dois líderes indígenas que denunciam o tráfico de drogas assassinados na Amazônia peruana. “O Estado é indolente com tantas coisas que estamos passando”, denuncia Berlin Diques, uma das lideranças que em dezembro alertou o Governo sobre ameaças de morte contra lideranças indígenas. (El País, Espanha) | bit.ly/2ZVgPBL

EL Salvador/Eleições hoje para o Congresso. Segundo pesquisas, o presidente salvadorenho Bukele sairá mais forte das eleições de domingo. A violência eleitoral marcou a campanha para as eleições legislativas e municipais de El Salvador. Segundo as pesquisas de intenção de voto, as eleições de domingo podem reforçar a figura de Nayib Bukele, o presidente de El Salvador, apesar do papel questionado que desempenhou durante a campanha eleitoral. O partido Novas Ideias, que apoia Bukele e é liderado por um primo dele, aparece em primeiro lugar nas urnas para as eleições legislativas de domingo. (La Diaria, Uruguai) | bit.ly/37X4l0H

ARGELIA/ Milhares de manifestantes voltam às ruas de Argel. Hirak volta às ruas da Argélia. Milhares de manifestantes voltaram a ocupar as ruas do país depois do movimento de contestação contra o regime ter parado por causa do confinamento. Em meados de fevereiro de 2019, nascera um poderoso movimento pela democratização do país. O motivo imediato foi o anúncio da recandidatura do então presidente Bouteflika para um quinto mandato. A dimensão do protestou levou o presidente a sair de cena, juntou com alguns do seu círculo mais restrito, mas o poder não mudou essencialmente de mãos e a sonhada democratização continuou por realizar. Assim, as manifestações continuaram. Até pararem por motivos sanitários com a chegada da pandemia. (Esquerda.net, Portugal) | bit.ly/37WgH9j

ARÁBIA SAUDITA/Principe saudita, acusado, constrangido, mas ileso pela realpolitik dos EUA. Sexta-feira foi o dia em que o alardeado impulso de Joe Biden para colocar os direitos humanos de volta no centro da política externa dos EUA bateu, como costuma acontecer, na parede de tijolos da grande potência realpolitik. Como havia prometido, o novo governo obedeceu à lei aprovada pelo Congresso e ignorada por seu antecessor. Publicou um resumo não classificado da avaliação da inteligência de que o príncipe herdeiro saudita, Mohammed bin Salman, “aprovou” o assassinato e desmembramento do reformador saudita e colunista do Washington Post Jamal Khashoggi. EUA consideram o príncipe saudita aprovado o assassinato de Khashoggi. Entretanto, não o sancionam. (The Guardian, Inglaterra) | bit.ly/37Qj5P1

MIANMAR/Repressão policial se intensifica contra manifestantes. O país tem sido agitado por comícios pró-democracia desde que os militares derrubaram o governo em 1º de fevereiro. Novas manifestações pró-democracia na Birmânia foram violentamente dispersas no domingo, 28 de fevereiro, pelas forças de segurança. Seis manifestantes foram mortos, a repressão mais mortal desde o golpe, disseram a jornalistas equipes de resgate e um ex-parlamentar. (Le Monde, França) | bit.ly/3dUESJ9

CHINA/Orçamento militar da China avança em 2021. O orçamento de defesa da China continuará a aumentar em 2021, apoiado pela retomada econômica e forte base fiscal: especialistas. Com a economia chinesa, tendo assumido a liderança global em emergir das consequências do Covid-19, no caminho para uma recuperação robusta este ano, a normalização do orçamento do déficit do governo está no devido tempo, acreditam os especialistas, citando encargos muito menores dos pandemia de recursos do governo. (Global Times, China) | bit.ly/3sxp0Ao

3. ARTIGOS/ENTREVISTAS/REPORTAGENS

José Antonio Ocampo, Joseph Stiglitz e Jayati Ghosh – Globalismo (Common Dreams, EUA) | “'Imposto Mínimo Global sobre Multinacionais': Uma Carta Aberta a Joe Biden sobre Tributação Corporativa Internacional” | bit.ly/3q6LKW5

Eric Nepomuceno – Brasil (Página 12, Argentina) | “O drama do Brasil de Bolsonaro” | bit.ly/3sAlmpr

Naiara Galarraga Gortázar, reportagem - Brasil (El País, Espanha) | “Prisões brasileiras sem guardas ou armas vistas de dentro” | bit.ly/3sxp1UY

Roger Harris – EUA (Counterpunch, EUA) | “Política externa de Joe Biden nos EUA: Retorno ao Velho Normal?” | bit.ly/3sB1zpP

Trita Parsi – EUA (The Guardian, Inglaterra) | “Biden disse 'A diplomacia está de volta!' Então ele começou a jogar bombas” | bit.ly/3r3t8rw

Alba Vastano – Capitalismo (Sinistra in Rete, Itália) | “'Capital desumano'. Retrato de um tecnocrata, do jocoso ao sério” | bit.ly/2MBK5dI

Daniele Burgio, Massimo Leoni e Roberto Sidoli – China (Sinistra in Rete, Itália) | “China contemporânea, principal herdeira do Outubro Vermelho e do bolchevismo. Para o 100º aniversário do Partido Comunista Chinês” | bit.ly/37TlMPI

Robert Reich – EUA (The Guardian, Inglaterra) | “Trump capturou o Partido Republicano – e isso é ótima notícia para Biden” | bit.ly/37VDQc6

Andrés Asiain – Argentina (Página 12, Argentina) | “A necessária intervenção do Estado para equilibrar parcialmente as desigualdades criadas pelo mercado” | bit.ly/3q35g6b

Garcia Linera, entrevista – Bolívia (Página 12, Argentina) | “Estamos na segunda onda progressista” | bit.ly/3014Lia




Conteúdo Relacionado