Clipping Internacional

Clipping Mundo - 03/08/2021

Notícias internacionais sobre o Brasil; Notícias do Mundo; e Artigos

03/08/2021 10:12

(AFP)

Créditos da foto: (AFP)

 
1. NOTÍCIAS INTERNACIONAIS SOBRE O BRASIL

BOLSONARO-TSE-1/ A Justiça Eleitoral pede para investigar Jair Bolsonaro por atacar o sistema de votação. O TSE do Brasil por unanimidade pediu ao Supremo Tribunal Federal na segunda-feira que investigue o presidente Jair Bolsonaro por sua campanha difamatória contra o atual sistema de votação eletrônica nas eleições, cuja transparência o presidente questionou em diversas ocasiões e para esclarecer se o chefe de Estado também cometeu "abuso de poder econômico e político". O plenário do tribunal eleitoral também provou por unanimidade o pedido do Supremo Tribunal Federal para que o Bolsonaro seja incluído em um processo penal já em curso que investiga a divulgação de notícias falsas e diversos ataques a instituições democráticas através das redes sociais. “Já superamos ciclos de atraso institucional, mas há retardatários que gostariam de voltar ao passado. Parte dessas estratégias inclui o ataque às instituições”, disse Luis Roberto Barroso a respeito das acusações do presidente Bolsonaro sobre suspeitas com relação à urna eletrônica. (El Mundo, Espanha; The Washington Post, EUA; Le Monde, França; Le Nouvel Observateur, França; Le Figaro, França; La Repubblica, Itália; Deutsche Welle, Alemanha; Tribune de Genève, Suíça; The Independent, Inglaterra; Telesur, Venezuela; Diario Correo, Peru; La Nación, Argentina; El Diário, Espanha) | bit.ly/3luY5F0 | wapo.st/3lrJY3q | bit.ly/3joxDdM | bit.ly/3loxXeT | bit.ly/3lnvd1z | bit.ly/3jjTnqR | bit.ly/3lnE5UQ | bit.ly/3loUwQP | bit.ly/3joxEhQ | bit.ly/3fqpe8u | bit.ly/3A7wqOq | bit.ly/2VjqWl1 | bit.ly/3lna9rX | bit.ly/3fqpeW2

BOLSONARO-TSE-2/Todos os ministros que comandaram o TSE assinaram manifesto assegurando a lisura da urna eletrônica usada há 20 anos. “Eleições livres, seguras e limpas são a essência da democracia” e as urnas eletrônicas, adotadas há mais de 20 anos, “conseguiram eliminar um passado de fraudes eleitorais que marcaram a história do Brasil”, diz nota assinada pelo presidente do TSE, Luis Barroso e pelos seus 16 antecessores. O comunicado é uma resposta às dúvidas expressas pelo presidente Bolsonaro sobre a transparência das urnas eletrônicas e à sua insistência para que o país retome o sistema de votação por meio de cédulas, que foi gradualmente abandonado desde 1996. Bolsonaro chegou a declarar que sem uma votação no papel "não haverá eleições" no próximo ano, enquanto seu governo promove uma emenda constitucional no Congresso que propõe manter as urnas eletrônicas e que as cédulas também sejam utilizadas em paralelo. Entretanto, Bolsonaro voltou à carga.(El Diário, Espanha; Página 12, Argentina; El Mercurio, Chile; Al Jazeera, Catar) | bit.ly/3Aaisvt | bit.ly/2WHy2Qy | bit.ly/3lqbvCc | bit.ly/3A0uXcE

BOLSONARO/ Bolsonaro deu a entender que o Judiciário está preparando uma "farsa" para as eleições do próximo ano. A cada dois dias, o presidente brasileiro Jair Bolsonaro está agindo em chave eleitoral, pensando nas eleições do próximo ano e atacando persistentemente as autoridades eleitorais e judiciais. Logo após o presidente do STF, Luiz Fux, defender, em tom moderado, o diálogo entre as instituições durante a reabertura das sessões do órgão após a feira judicial, o presidente de extrema direita voltou a questionar, sem qualquer prova, a confiabilidade do sistema de votação eletrônica do país e insinuou que se prepara uma “farsa” da cúpula do Judiciário para as eleições do próximo ano com o objetivo de favorecer o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. E aproveitou para criticar o imposto sobre as grandes fortunas e ironicamente: "Agora ser rico no Brasil é crime". (La Diária, Uruguai) | bit.ly/2Vd9IG6

BOLSONARO/ Oposição quer que Bolsonaro explique acusações de fraude eleitoral. Membros de diversos partidos políticos do Brasil pediram ao TSE que exigisse explicações do presidente Jair Bolsonaro sobre suas denúncias sobre uma suposta fraude eleitoral no país. Depois de anos falando em "fraude", o presidente brasileiro admitiu na quinta-feira que não tinha provas de tais acusações. Por isso, 11 partidos apresentaram pedido ao presidente para explicar por que atacou as urnas eletrônicas. Bolsonaro, que buscará a reeleição em 2022, não pede que as cédulas sejam devolvidas, mas que seja impresso um recibo após cada votação na urna eletrônica, para que haja uma apuração física. Para os analistas, o que o governante neofascista está fazendo é preparar o terreno para contestar o resultado em caso de derrota, como fez o ex-presidente Donald Trump nos Estados Unidos. (La Jornada, México) | bit.ly/3ft3SqR

PORTUGAL/ Portugal se compromete com o Brasil a continuar trabalhando para um acordo UE-Mercosul. O presidente português Marcelo Rebelo de Souza foi recebido nesta segunda-feira pelo seu homólogo brasileiro, Jair Bolsonaro, com quem prometeu continuar a trabalhar para a rápida ratificação do acordo comercial entre a União Europeia (UE) e o Mercosul. Durante a visita ao Brasil, que terminou segunda-feira, Rebelo também se reuniu com os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva, Fernando Henrique Cardoso e Michel Temer, em todos os casos em caráter privado. (El Diário, Espanha; Público, Portugal; Diário de Notícias, Portugal; Expresso, Portugal; Euronews, Portugal) | bit.ly/3lsJB8v | bit.ly/3lqbCxC | bit.ly/3foXnFm | bit.ly/3A7mh4k | bit.ly/3jgbLkt

AMAZÔNIA/ Os incêndios caem em julho, mas a devastação continua alta. Amazônia brasileira registrou 4.977 incêndios em julho, queda de 26,8% em relação ao mesmo mês de 2020 (6.803) após dois meses de aumento, conforme anunciado segunda-feira pelo governo, que, porém, admitiu não ter cumprido sua meta de redução do desmatamento no ano passado. E a tendência é que a extração de madeira cresça em 2021. Pelos cálculos preliminares do INPE, no primeiro semestre deste ano o desmatamento atingiu 3.609 quilômetros quadrados da Amazônia, 17,1% a mais do que entre janeiro e junho de 2020 e a maior devastação no período em nos últimos 6 anos. (El Diário, Espanha) | bit.ly/3jhW4cB

2. NOTÍCIAS DO MUNDO

CHINA-PANDEMIA/ Autoridades da China vão testar todos os 11 milhões de residentes de Wuhan em meio a novos casos da Covid. Oito casos foram relatados na cidade onde o coronavírus surgiu pela primeira vez em 2019. As autoridades chinesas ordenaram que todos os 11 milhões de residentes de Wuhan fizessem o teste de Covid-19, depois que novos casos surgiram na cidade pela primeira vez em mais de um ano. Eles estão relacionados a um surto crescente da variante Delta que atingiu mais de 20 cidades, em mais de uma dúzia de províncias nas últimas semanas, incluindo a capital Pequim e Zhengzhou atingida pela enchente. Os casos - três dos quais eram sintomáticos e cinco assintomáticos - estavam entre os 84 novos casos relatados em toda a China nas 24 horas até a noite de segunda-feira. (The Guardian, Inglaterra) | bit.ly/3A8Od7Q | bit.ly/3lwLzFf

CUBA-PANDEMIA/ Termina o processo de vacinação anticovid em Havana. Com mais de um milhão de 355 mil pessoas que têm o esquema de imunização completo (três doses) de um dos injetáveis concebidos em Cuba, o processo de vacinação contra o Covid-19 foi concluído hoje em Havana. Dados do Minsap referem que até 31 de julho acumulam-se no país nove milhões 894 mil 50 doses administradas com as vacinas candidatas cubanas Soberana 02 e Soberana Plus, bem como com a vacina Abdala, a primeira da América Latina. (Últimas Notícias, Venezuela) | bit.ly/2Vlx9Np

EUA-PANDEMIA/ Americanos sentem insegurança enquanto líderes lutam contra As mutações do vírus. As reversões de saúde pública na pandemia semearam confusão, pois a variante Delta inverte o que as pessoas pensavam que sabiam sobre como se manter seguro. A crise que o presidente Biden pensava estar sob controle está mudando mais rápido do que os EUA podem se adaptar, deixando os americanos irritados, exaustos e céticos. Uma semana de reversões de saúde pública da Casa Branca e dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças deixou os americanos com uma pandemia de dúvidas. Mas a crise que o presidente Biden pensava ter sob controle está mudando de forma mais rápido do que o país pode se adaptar. Um vírus em evolução, novas descobertas científicas, profundas divisões ideológicas e 18 meses de mensagens pandêmicas em constante mudança deixaram os americanos céticos em relação aos conselhos de saúde pública. Portanto, embora a Casa Branca tenha prometido um “verão de alegria”, a nação está, em vez disso, presa em um verão de confusão. (The New York Times, EUA) | nyti.ms/2WQ93e5

 AUSTRÁLIA-PANDEMIA/ Variante Delta: Austrália colocou militares nas ruas para controlar o bloqueio. O governo australiano saiu às ruas da capital cerca de 300 soldados para fazer cumprir as restrições impostas contra a nova onda do Covid-19 causada pela variante Delta, que atingiu várias cidades. Os uniformizados se juntaram à polícia em tarefas de controle por pelo menos seis semanas. O objetivo é garantir o “cumprimento máximo” do confinamento ditado em meio a um elevado número de infecções comunitárias decorrentes do surto da cepa de origem indiana, detectado há mais de sete semanas em Sydney, onde cerca de 3.700 casos locais e 15 mortes acumuladas. (Página 12, Argentina) | bit.ly/3jip3gn

PERU/ Pedro Castillo quer fortalecer a Celac e reativar a Unasul. Chaves para a política externa do novo governo do Peru. “Condenamos os bloqueios, embargos e sanções unilaterais que só afetam os povos”, disse o novo chanceler Héctor Béjar. Uma política externa "aberta e democrática" que priorize a integração regional, o fortalecimento de organizações como a Celac e o Grupo Andino e a reativação da Unasul, anunciou o novo chanceler peruano, Héctor Béjar, ao tomar posse nesta segunda-feira. (Página 12, Argentina) | bit.ly/3lm0vpw

EUA/ Milhões ameaçados com despejos com fim da moratória. Nesta segunda-feira, podem começar a chegar aos tribunais os pedidos de despejo que estavam impedidos por ordem do Centro de Controle e Prevenção de Doenças. Só que as dificuldades económicas não acabaram e há mais de 15 milhões de pessoas a viver em casas com rendas em atraso segundo o Aspen Institute. Cerca de 3,6 milhões entre elas estão em risco de despejo nos próximos dois meses calcula um inquérito do Gabinete de Censos dos EUA. Há 3,6 milhões de pessoas em risco de despejo nos próximos dois meses nos Estados Unidos. O setor mais à esquerda dos Democratas protesta dizendo “a habitação é um direito”. (Esquerda.net, Portugal; The Washington Post, EUA) | bit.ly/3CcqcyH | wapo.st/3ft3PeF

México/ Consulta de López Obrador para investigar os últimos ex-presidentes do México fracassa devido à baixa participação. Com participação de apenas 7%, longe dos 40% necessários para que o resultado seja vinculativo, o resultado levanta questões sobre o impacto político que terá para a presidente em face do plebiscito de revogação do ano que vem. (El diário, Espanha) | bit.ly/3lpF86y

3. ARTIGOS/ENTREVISTAS

Juan Arias – Brasil (El País, Espanha) | “Brasil é o país do mundo que mais se sente abandonado por quem o governa” | bit.ly/3fqpft4

Erica Malunguinho, entrevista – Brasil (The Nation, EUA) | “A primeira deputada estadual trans do Brasil está construindo um futuro para os negros” | bit.ly/3lwLmBX

Soledad Barruti - Amazônia/índios (La Diária, Espanha) | “Os índios da selva amazônica, encurralados pela Covid-19 e por uma lei que quer acabar com suas terras” | bit.ly/3fr6Ls8

Francisco Louçã – Democracia (Esquerda.net, Portugal) | “Quão dispensáveis são as eleições?” | bit.ly/3jjTrH7

Julian Larosa – EUA (Jacobin, EUA) | “Precisamos de bancos públicos” | bit.ly/3CboDRO

Alessandro Testa – Pandemia (Sinistra in Rete, Itália) | “Vacina anticovid: obrigação ou escolha ética?” | bit.ly/3fqtmVT

Conteúdo Relacionado