Clipping Internacional

Clipping Mundo - 10/05/2021

Notícias internacionais sobre o Brasil; Notícias do Mundo; e Artigos

10/05/2021 10:56

(Reprodução/Ateleia/bit.ly/3tzs8fd)

Créditos da foto: (Reprodução/Ateleia/bit.ly/3tzs8fd)

 
1. NOTÍCIAS INTERNACIONAIS SOBRE O BRASIL

MASSACRE DE JACAREZINHO/ Um terço dos mortos no massacre do Jacarezinho não tinha qualquer ação legal contra eles. Uma investigação jornalística revelou informações que contradizem as informações da polícia. Nove das 27 pessoas mortas pela Polícia durante operação antidrogas realizada nesta quinta-feira em uma favela da região do Jacarezinho, na zona norte do Rio de Janeiro, não foram investigadas por nenhum crime e nem foram denunciadas à Justiça. No seu relatório, a Polícia não apresentou ou deu detalhes do registo criminal. Segundo a mídia brasileira, a Ordem dos Advogados do Brasil contestou a versão policial logo após seu lançamento e a versão oficial já está sendo questionada. De acordo com a investigação jornalística, apenas três dos 27 civis mortos na operação tinham mandado de prisão durante a sangrenta operação policial. (La Diária, Uruguai) | bit.ly/3vODP34

MASSACRE DE JACAREZINHO/Ministros do STF querem examinar a mortífera ação policial na favela de Jacarezinho. Vários ministros dizem que uma decisão do ano passado que proibiu as operações policiais nas favelas do Rio de Janeiro, ou favelas, agora deve ser revista após uma das operações policiais mais mortíferas da cidade. A polícia do Rio afirma que a operação de 6 de maio na favela Jacarezinho, na zona norte do Rio, foi resultado de 10 meses de coleta de inteligência. Emitiu 21 mandados de prisão, mas prendeu apenas três dos alvos. O ministro Marco Aurélio de Mello disse que a ação em Jacarezinho não pode ser classificada como “trabalho de inteligência”, pelo número de mortes que gerou. Ele disse que uma investigação deveria ser levada ao nível federal. “Hoje no Rio, temos o uso da força sem respeitar as limitações legais '', disse. “Quando você faz uma operação com quase 30 mortos, algo deu errado.'' (The Independent, Inglaterra; Últimas Notícias, Venezuela) | bit.ly/33xnhRg | bit.ly/3w6noj1

MASSACRE DE JACAREZINHO/ Bolsonaro parabeniza a Polícia pela operação com 28 mortos em uma favela carioca. O presidente do Brasil, o de extrema direita Jair Bolsonaro, parabenizou a polícia no domingo pela operação questionada na última quinta-feira em uma favela do Rio de Janeiro que deixou 28 mortos, em meio a graves acusações de abusos por parte de agentes. Segundo histórias de vizinhos e vídeos postados nas redes sociais, durante a operação os agentes invadiram casas sem autorização judicial, atiraram nas pessoas que haviam se rendido e confiscaram os celulares das testemunhas. A Amnistia Internacional e a Human Rights Watch condenaram os acontecimentos, enquanto o Gabinete das Nações Unidas (ONU) para os Direitos do Homem denunciou possíveis tentativas das forças de segurança para impedir a realização de uma investigação independente sobre o ocorrido. (El Diário, Espanha) | bit.ly/3vODWf0

BOLSONARO/ Bolsonaro, conduzindo uma caravana de motocicletas, não respeitou as medidas de distanciamento nem usou máscara. No final da turnê, Bolsonaro cumprimentou seus seguidores sem máscara, novamente contrariando as recomendações de saúde para conter o coronavírus, que já matou mais de 420 mil brasileiros. A partir daí e comemorando o Dia das Mães, ele mais uma vez elogiou o papel do Exército e disse que seu lema e de seus eleitores é "Deus, país e família". O polêmico ato ocorre em plena comissão instalada no Senado para apurar possíveis "omissões" do governo Bolsonaro na luta contra a pandemia. (Página 12, Argentina; El Clarín, Argentina; Expresso, Portugal; Jornal de Notícias, Portugal; La Jornada, México; Diario Correo, Peru; Últimas Notícias, Venezuela) | bit.ly/3f4dgQU | bit.ly/3beKVpV | bit.ly/3faO3E6 | bit.ly/2RGgi5E | bit.ly/3f65aXZ | bit.ly/3vPCtoE | bit.ly/3vZZOEt

COVID-19/ O Brasil registrou 1.024 novas mortes e 38.911 casos de Covid-19 neste domingo, enquanto as operações policiais contra festas clandestinas continuam, a última na última manhã com 600 pessoas, na região metropolitana de São Paulo. O país acumula 422.340 mortes e 15.184.790 infectadas pelo novo coronavírus desde o início da crise sanitária, há cerca de quatorze meses. É a primeira vez nos últimos seis dias que o país registra menos de 2.000 óbitos por dia associados à doença, embora as estatísticas sejam geralmente bem menores nos finais de semana, devido à menor movimentação dos órgãos públicos. (El diário, Espanha; Xihuanet, China; Diario Correo, Peru) | bit.ly/3evVsz0 | bit.ly/3fd9aGe | bit.ly/3halGJ4

ÍNDIOS-VACINA/ Doze dias no rio depois da vacina: a jornada dos indígenas Matis para se salvar da Covid. A odisseia de um grupo dessa etnia no norte do Brasil para se imunizar contra o novo coronavírus e assim evitar a devastação que outras epidemias já causaram em sua comunidade no passado. (El País, Espanha) | bit.ly/3y0o7nC

VACINAÇÃO/ O plano surpreendente do Brasil para vacinar os sem-teto, prisioneiros e descendentes de africanos escravizados está se desfazendo. Mas, meses depois de iniciada a campanha de vacinação do Brasil, e em meio a um número recorde de mortes, o governo está lutando para manter esse compromisso. Cerca de 44 milhões de pessoas receberam pelo menos uma dose da vacina. Quase 11 por cento dos brasileiros receberam dois. Mas a pesquisa mostra que apenas 1 por cento dos residentes de quilombos foram totalmente vacinados da mesma forma. As taxas são mais altas nas aldeias indígenas, onde cerca de metade foi totalmente vacinada, mas são menores ainda entre os sem-teto e encarcerados. (The Washington Post, EUA) | wapo.st/3hbOReR

AMAZÔNIA/ O presidente Bolsonaro foi acusado de acelerar o “desmantelamento” da floresta amazônica . A destruição do habitat e o desmatamento se aceleraram. Uma área do tamanho da Ilha de Man foi desmatada na Amazônia brasileira só no mês passado, estabelecendo um recorde assustador que aponta para uma catástrofe ambiental na estação seca que se avizinha, com uma nova legislação eminente que pode conceder proteção legal aos madeireiros. A crise “está fora das cartas”, disse ontem ao The Times Ane Alencar, diretora científica do Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia, que estuda a região há 25 anos. “O Brasil tem um problema político, ideológico e institucional no que diz respeito à proteção da Amazônia”, acrescentou. (The Times, Inglaterra) | bit.ly/3hf5TZr

2. NOTÍCIAS DO MUNDO

PAPA FRANCISCO-COLÔMBIA/ Papa Francisco expressou preocupação com a violência na Colômbia. "Há muitos colombianos aqui, oramos por sua pátria", disse ele da Praça San Pedro. O Papa Francisco expressou sua preocupação com a violenta repressão às manifestações contra o presidente Iván Duque que abalaram a Colômbia desde 28 de abril e já deixaram pelo menos 27 mortos e centenas de feridos. Em uma mensagem entregue no final da oração dominical e olhando para a Praça de São Pedro, o Sumo Pontífice se preocupou com os conflitos em diferentes partes do mundo e pediu para detê-los porque "a violência só gera violência". (Página 12, Argentina) | bit.ly/2Q5GaHP

PAPA FRANCISCO-VACINA/Papa propõe suspensão temporária das patentes das vacinas. Francisco criticou a “variante do vírus” que coloca “as leis do mercado ou da propriedade intelectual acima das leis do amor, da saúde e da humanidade”. Numa mensagem de vídeo o Bispo de Roma apelou a “um espírito de justiça” que mobilize o mundo para “gerar um modelo económico diferente, mais inclusivo, justo e sustentável”. (Esquerda.net, Portugal) | bit.ly/2RaqwLN

CUBA/ Cuba aspira se tornar o menor país com suas próprias vacinas contra Covid-19. Atingida pelo duplo impacto das sanções americanas e da pandemia, Cuba vive sua maior crise econômica e, no entanto, esta ilha sitiada pode se tornar o menor país do mundo a desenvolver suas próprias vacinas Covid-19. Das 27 vacinas contra o coronavírus que estão em fase final de testes em todo o mundo, duas são cubanas. Atualmente, cerca de 44.000 voluntários participam dos testes da terceira fase do Soberana 2 em Havana. Um número semelhante de voluntários na cidade de Santiago, no leste do país, está participando da terceira fase dos testes de Abdala, uma vacina que leva o nome de um poema de José Martí, o "herói nacional" oficial de Cuba. Mas o embargo norte-americano prejudica o país. Embora os relatores de direitos humanos da ONU tenham pedido aos Estados Unidos que suspendam as sanções contra a ilha durante a pandemia, nos últimos 12 meses o embargo ficou mais rígido. (El Diário, Espanha) | bit.ly/3o1YFcN

ISRAEL/ Dezenas de palestinos feridos em Jerusalém em confrontos com a polícia após orações em Al Aqsa. Agentes invadiram a mesquita horas antes da marcha planejada de milhares de nacionalistas israelenses pelo bairro muçulmano da Cidade Velha. A escalada da violência durante o mês do Ramadã em Jerusalém entra em seu dia com a maior tensão na segunda-feira. Mais de 180 palestinos ficaram feridos, dos quais 80 tiveram que ser hospitalizados, em confrontos com a polícia israelense durante a primeira oração da manhã na mesquita de Al Aqsa, o terceiro lugar sagrado do Islã. (El País, Espanha) | bit.ly/3xU9emJ

COLÔMBIA/ Violência repressiva na Colômbia renova o apelo por reforma policial. A confiança nas forças de segurança foi rompida em meio ao novo ciclo de mobilizações contra o governo de Iván Duque. Os abusos policiais documentados em vídeos que inundam telefones celulares todas as noites geraram indignação mais uma vez na Colômbia. Com mais de vinte mortos no asfalto de várias cidades do país, após dez dias de mobilizações contra o governo de Iván Duque, ressurgiu o adiado debate sobre uma reforma policial. Abundam as vozes que defendem a busca de fórmulas para reconstruir a confiança quebrada. (El País, Espanha) | bit.ly/3bgoSz0

LÍBIA/ Uma milícia líbia, a Kaniyat, brutalizou a cidade de Tahoona durante anos. Assassinato em massa e o pecado do silêncio. Mas o alcance total das atrocidades tornou-se aparente apenas nos últimos meses, com a descoberta de valas comuns. Relatos sobre as atrocidades da milícia surgiram já em 2017 e eram conhecidos das autoridades governamentais, legisladores líbios, das Nações Unidas e outros, de acordo com residentes, ativistas de direitos humanos e dois ex-investigadores da ONU. Até então, a milícia Kaniyat havia matado dezenas e talvez centenas de civis nesta cidade pastoril, muitos deles baleados várias vezes à queima-roupa, muitas vezes com os olhos vendados, algemados e com as pernas amarradas, de acordo com autoridades e líderes comunitários. E ninguém deteve os milicianos ou os responsabilizou. (The Washington Post, EUA) | wapo.st/2Q4lxLZ

ESCÓCIA/ A primeira ministra da Escócia afirmou que "não há justificativa" para impedir um referendo sobre a independência. A chefe do partido da independência SNP e primeira ministra Nicola Sturgeon, alertou neste sábado, o chefe do governo britânico, Boris Johnson, contra qualquer recusa em autorizar um referendo sobre autodeterminação, após a esperada vitória dos deputados pró-independência em o Parlamento escocês. "Simplesmente não há justificativa democrática para Boris Johnson, ou quem quer que seja, tentar bloquear o direito do povo escocês de escolher seu próprio futuro", disse Sturgeon em um discurso. (UYPress, Uruguai) | bit.ly/3tuYZBH

3. ARTIGOS/ENTREVISTAS

Eliane Brum – Brasil/Bolsonaro (El País, Espanha) | “Maria, tenho que te falar de Bolsonaro, o gerador de órfãos, o homem que governa o Brasil e condenou uma geração a crescer e viver sem pai ou mãe.” | bit.ly/3uuY45H

Eduardo Aliverti – Argentina (Página 12, Argentina) | “Dilemas da ‘Frente de Todos’” | bit.ly/3hg596s

Gustavo Veiga – Colômbia (Página 12, Argentina) | “Colombia, a repressão que não para desde 1928. O país viveu muitos períodos de violações de direios civis até os dias de hoje” | bit.ly/3ty6RCz

Mario Wainfeld – Argentina/Judiciário (Página 12, Argentina) | “O poder da Corte Suprema: cinco juízes que não trabalham. Como tomam decisões e a armadilha da judicialização” | bit.ly/3uB2eJn

Chris Gilbert – Venezuela (Counterpunch, EUA) | “Venezuela: a ainda assim se move” | bit.ly/3evKpps

Francisco Louçã – Big Tech/censura (Esquerda.net, Portugal) | “Deve Trump ser proibido no Facebook? A decisão gera preocupação. Porque é justiça privada, porque bloquear textos ou pessoas não é o mesmo e porque evita revelar o seu poder.” | bit.ly/2Q95Zqu

Fadwa Khader, entrevista – Palestinos/Jerusalém (L’Humanité, França) | "Os palestinos defendem seu direito de viver em Jerusalém Oriental" | bit.ly/3o4ppsZ

Maxime Robin – EUA/Trabalho (Le Monde Diplomatique, França) | “Por que os sindicatos perderam para a Amazon. No Alabama, uma campanha fracassada para organizar os trabalhadores” | bit.ly/3u2jxCG

Conteúdo Relacionado