Clipping Internacional

Clipping Mundo - 12/09/2021

Notícias internacionais sobre o Brasil; Notícias do Mundo; e Artigos

12/09/2021 09:54

Mais de 6 mil mulheres representantes de mais de 170 etnias indígenas chegaram ao segundo dia de acampamento em frente ao STF, em Brasília (ApibOficial)

Créditos da foto: Mais de 6 mil mulheres representantes de mais de 170 etnias indígenas chegaram ao segundo dia de acampamento em frente ao STF, em Brasília (ApibOficial)

 
1. NOTÍCIAS INTERNACIONAIS SOBRE O BRASIL

MULHERES ÍNDIAS/Em Brasília, mulheres guerreiras indígenas lutam para salvar terras ancestrais. Jair Bolsonaro está apoiando uma mudança legal para abrir grandes extensões de território indígena à exploração comercial que os membros tribais chamam de "esforço de extermínio". Mais de 5.000 mulheres indígenas, representantes de mais de 170 das 300 tribos brasileiras, marcharam pela capital do Brasil para denunciar o ataque histórico às terras nativas que dizem estar ocorrendo sob o presidente de extrema direita do país, Jair Bolsonaro. Dois manifestantes seguraram uma efígie do líder brasileiro em guerra, cuja faixa presidencial trazia as palavras: “Fora Bolsonaro”. (The Guardian,Inglaterra; El diario, Espanha; La Presse, Canadá; LA Jornada, México; Telesur, Venezuela; Ahora el Pueblo, Bolívia; Euronews, Portugal) | bit.ly/3lepnhm | bit.ly/3k3qssQ | bit.ly/3E9u04P | bit.ly/3hqxuWS | bit.ly/3C7eC7o | bit.ly/3k0kQ2y | bit.ly/3C8H7BB

BOLSONARO-O RECUO 1/Pressionado, Bolsonaro afasta-se do radicalismo para tentar conter crise política. O Presidente brasileiro justificou ataques contra o Supremo Tribunal com o “calor do momento”. Mas a sua moderação durou pouco. O Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, baixou o tom em relação às ameaças que fez ao poder judicial na terça-feira e atribuiu essas polémicas declarações ao “calor do momento”, assegurando que não teve “intenção de agredir” os poderes. (Público, Portugal) | bit.ly/3hnNfO8

BOLSONARO-O RECUO 2/ Bolsonaro pede "calma" aos apoiantes que o acusam de ‘traidor’, ‘pipi na cama’, ‘rato’ e ‘frouxo’. O Presidente brasileiro acusado pelos seus apoiantes mais radicais depois de ter recuado nas suas ameaças à democracia e assegurado que não teve "intenção de agredir" os poderes. Essas manifestações, lideradas por Bolsonaro, foram convocadas por vários grupos de extrema-direita que, durante os protestos, voltaram a exibir inúmeros cartazes exigindo a "dissolução" do Congresso e a destituição dos onze magistrados do STF. O tom desafiador de Bolsonaro deu ânimo a esses grupos, mas, após uma onda de críticas de todos os setores políticos e económicos do país, o Presidente recuou e divulgou uma "declaração à nação" na qual apelou à "harmonia" entre os poderes e atribuiu as polémicas declarações ao "calor do momento". Apesar disso, muitos ativistas de extrema-direita invadiram as redes sociais, onde são febrilmente ativos, para mostrar o seu descontentamento e decepção com o Bolsonaro. "Depois de uma demonstração de força do povo, o Presidente mostra fraqueza. Uma situação bem complicada para os patriotas. Bolsonaro pode ter firmado a sua derrota", escreveu o jornalista Rodrigo Constantino, uma voz influente do 'bolsonarismo'. (Diário de Notícias, Portugal; El Diário, Espanha; Jornal de Notícias, Portugal) | bit.ly/2XfByCk | bit.ly/3npU9X3 | bit.ly/391CNYg | bit.ly/3lakaHe

BOLSONARO-O RECUO 3/ A reviravolta no discurso de Bolsonaro gerou decepção em alguns de seus seguidores e desconfiança na oposição. “Nunca na história do Brasil um presidente teve tantos motivos para o impeachment”, disse Lula. Depois de pedir para ignorar as decisões do STF, estimular seus seguidores que pediam uma intervenção militar contra aquele tribunal e o Congresso e ameaçar juízes, Jair Bolsonaro reverteu o discurso. Em uma "Declaração à nação", ele afirmou que respeitará as instituições democráticas e atribuiu suas afirmações anteriores ao "calor do momento". A reviravolta no discurso de Bolsonaro intrigou alguns de seus apoiadores, com os mais radicais expressando sua decepção publicamente. Um deles, o pastor Jackson Vilar, que organizou várias marchas de motocicletas em São Paulo a favor do governo, algumas das quais o presidente participou, disse que não confia mais em Bolsonaro e o tratou como um "covarde". (La Diaria, Uruguai) | bit.ly/38YI3Mj

CLÃ BOLSONARO/ Sob investigação policial, Eduardo Bolsonaro vem a Portugal apoiar o líder da extrema direita portuguesa André Ventura. Dos quatro irmãos, é Eduardo Bolsonaro quem tem uma função política mais destacada sendo responsável pelas relações de Jair Bolsonaro com partidos e movimentos de extrema-direita noutros países. É isso que o trás agora a Portugal, onde participará na campanha autárquica do Chega, seguindo depois para Madrid onde irá promover uma carta que pugna pela erradicação do comunismo, um documento a ser assinado por André Ventura, Santiago Abascal (presidente do Vox), e Eduardo Bolsonaro. (Esquerda.neto, Portugal) | bit.ly/3lhD4Mn

ECONOMIA/ Os industriais veem a crescente tensão no Brasil com "grande preocupação". A FIESP afirmou nesta sexta-feira que vê com "grande preocupação a escalada das tensões entre os poderes públicos" e pediu "serenidade" e "pacificação” em meio à grave crise institucional que atravessa o país. Segundo manifesto divulgado hoje pela entidade, o momento atual “exige serenidade, diálogo, pacificação política, estabilidade institucional” e, sobretudo, ações “urgentes e necessárias” para que o Brasil “supere a pandemia, volte a crescer de forma sustentada e continuar a criar empregos". No entanto, a entidade não mencionou os protestos da extrema direita na última terça-feira ou os ataques do presidente, Jair Bolsonaro, às instituições democráticas, que se intensificaram nos últimos meses. (El Diário, Espanha; Última Hora, Paraguai) | bit.ly/3lhsGEj | bit.ly/2XfrrNq

2. NOTÍCIAS DO MUNDO

CHILE:11-09/ Homenagens a Allende e às vítimas da Ditadura na data do golpe militar de 1973/ Os atos de comemoração do 48º aniversário do Golpe Militar de 1973 se deram numa atmosfera de lembrança que parecia ter se perdido no ano passado pela pandemia. A mais massiva foi a peregrinação da Plaza Los Héroes, no coração de Santiago, ao Cemitério Geral, onde repousam os restos mortais de Salvador Allende e onde se encontra o Pátio 29. Este último foi o local onde a ditadura de Pinochet, que reinou no Chile até 1990, sepultou clandestinamente as vítimas de confrontos políticos e execuções como “NN”. Sebastian Piñera, no entanto, não permitiu a deposição de flores no Palácio La Moneda. (Página 12, Argentina) | bit.ly/2XetRvN

CHILE-AUSTRÁLIA: 11-09/Documentos desclassificados confirmam que a Austrália apoiou a CIA durante o governo de Salvador Allende. De acordo com esses arquivos, o Serviço Secreto de Inteligência da Austrália (ASIS) instalou uma ‘estação’ em Santiago entre 1971 e 1973 a pedido da CIA. A justiça australiana estuda documentos que desclassificam o papel do país oceânico no golpe de Estado de 1973 no Chile 211 "Cinquenta anos depois, a história oculta de esforços concertados e encobertos pelos Estados Unidos e outros representantes para desestabilizar o governo chileno continua ser conhecido democraticamente eleito Salvador Allende. E o veredicto da história para países como Austrália e Brasil, que também intervieram no Chile, depende de que esse passado sombrio seja totalmente compreendido", disse o historiador da NSA, Peter Kornbluh. (El Mercurio, Chile; El Desconcierto, Chile; El País, Espanha; Expresso, Portugal) | bit.ly/3hq7Rpj | bit.ly/3nr102K | bit.ly/3nmRpdb | bit.ly/3A772Jh

EUA:11-09/ Em meio a um ano doloroso, os EUA se lembram do ataque mais mortal de sua história. Uma nação às voltas com uma pandemia persistente e uma saída preocupante do Afeganistão faz uma pausa e se une mais uma vez para lembrar os ataques de 11 de setembro. No marco zero em Nova York, os nomes de cada vítima estão sendo lidos em um serviço memorial, com a presença do presidente Biden. (The New York Times, EUA) | nyti.ms/2YQ9iqz

EUA:11-09/Da ‘guerra ao terror’ ainda sobrou Gantánamo. Alguns dos ex-prisioneiros dessa prisão, que os Estados Unidos não conseguiram fechar, fazem parte do novo governo afegão. Os primeiros presos da prisão de Guantánamo chegaram lá em 11 de janeiro de 2002. Pouco depois, aquela prisão abrigava mais de 780 detidos e se tornou um símbolo da "guerra ao terrorismo" que o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, lançou em resposta aos ataques de 11 de setembro de 2001. Hoje marca o 20º aniversário desses ataques. Os Estados Unidos já deixaram o Afeganistão, país onde muitos dos prisioneiros de Guantánamo foram detidos, mas a prisão daquela base naval americana em Cuba continua funcionando. (La Diária, Uruguai) | bit.ly/3Cjch9x

EUA-VACINA/A linha dura de Biden sobre os mandatos da vacina obrigatória atrai elogios e resistência. Alguns especialistas afirmam que a ação de Biden chega em um momento crítico de uma pandemia, mas processos judiciais de líderes republicanos também são esperados.(The Guardian, Inglaterra) | bit.ly/3lg5Mx1

ARGENTINA/Hoje começa a maratona eleitoral de meio termo de mandato. São as PASO, as primárias no sistema argentino. Em meio a uma pandemia que abre cenários desconhecidos, a maratona eleitoral de meio termo que vai determinar os próximos dois anos começa com o PASO. Como chegam o partido no poder e as forças da oposição e o que esperam? Os presos que hoje se decidem e o embate de modelos que se prenuncia para as eleições de 14 de novembro. Quem será eliminado ou rebaixado. Renovação no Congresso. Quantos saem, quantos podem entrar. Cenários em deputados e senadores. Interno no partido do governo e na oposição. Possíveis sequelas. Como as campanhas mudaram. Participação, uma dúvida. Um elogio à liderança popular. A lista dos candidatos por cada frente política. (Página 12, Argentina) | bit.ly/38XmFqN | bit.ly/39fNy9D

PERU/ Abimael Guzmán, líder do Sendero Luminoso condenado por participar da morte de 30.000 pessoas, morre. O terrorista, que morreu aos 86 anos, cumpria prisão perpétua há já quase 30 anos em um presídio de segurança máxima em Lima. (El País, Espanha) | bit.ly/3lj3A8c

FRANÇA/ Anne Hidalgo é candidata ao Eliseu. A prefeita de Paris desafia Macron: "Pelo futuro de nossos filhos". Anne Hidalgo anunciou oficialmente sua candidatura ao Eliseu. Hidalgo, uma francesa de origem espanhola, reeleita em 2020 à frente do município de Paris, irá, portanto, adicionar seu nome à longa lista de possíveis ou declarados candidatos de esquerda, incluindo Jean-Luc Mélenchon (extrema esquerda), o o ex-socialista Arnaud Montebourg, o comunista Fabien Roussel ou mesmo o candidato que será escolhido nas primárias ecológicas. (Il Messaggero, Itália) | bit.ly/3E9rLOO

3. ARTIGOS/ENTREVISTAS/REPORTAGENS

BRASIL:

Bruno Meyerfeld, reportagem – Brasil/golpe (Le Monde, França) | “No Brasil, o ‘contra-golpe de Estado’ que não ocorreu. No final de uma semana altamente caótica, o presidente Jair Bolsonaro parece ter desistido repentinamente de suas ambições golpistas, para grande desgosto de seus apoiadores e grande prejuízo para sua autoridade.” | bit.ly/3E8o6kl

Amílcar Salas Oroño – Brasil (Tiempo Argentino, Argentina) | “As elites econômicas e o golpe dentro do golpe” | bit.ly/2Xahstt

João Ruela Ribeiro – Brasil/Bolsonaro (Público, Portugal) | “Pressionado, Bolsonaro afasta-se do radicalismo para tentar conter crise política” | bit.ly/3hnNfO8

OS 11 DE SETEMBRO/Chile e EUA: | Ralph Milliband – Chile/11-09 (Jacobinlat, América Latina) | “O golpe de Estado no Chile” | bit.ly/3EckQV6

Juan Carlos Ramírez Figueroa – Chile/11-09 (Página 12, Argentina) | “Chile passa tranquilo no aniversário do golpe de 1973. O país parece estar mais focado em substituir a Carta Magna herdada de Pinochet do que em lembrar quando seus homens derrubaram Salvador Allende.“ | bit.ly/3k4ehvZ

Rémy Ourdan – EUA/11-09 (Le Monde, França) | “11 de setembro de 2001-2021: duas décadas na ‘névoa da guerra’" | bit.ly/397mf0N

Barbara Lee, entrevista – EUA/ 11-09 (Democracy Now, EUA) | “A deputada Barbara Lee, que votou sozinho após o 11 de setembro contra as ‘Guerras para sempre’, sobre a necessidade de inquérito sobre a guerra no Afeganistão” | bit.ly/3C3UdQl

Eduardo Febbro – EUA/11-09 (Página 12, Argentina) | “A resposta dos EUA ao 11 de setembro: duas décadas de guerra, repressão, tortura, espionagem, barbárie e trevas” | bit.ly/3nnvcvl

Atilio Boron – EUA/11-09 (Página 12, Argentina) | “11/09: as mentiras e as razões” | bit.ly/390prLP

Marc Basset – Europa/EUA: 11-09 (El País, Espanha) | “Do "somos todos americanos" ao espectro de uma Europa sem os EUA” | bit.ly/3lhsN2H

Aldana Vales – EUA/11-09 (Página 12, Argentina) | “11 de setembro: O aniversário da ferida das Torres Gêmeas ocorre poucas semanas após a ferida da retirada do Afeganistão” | bit.ly/3932yqZ

Branko Marcetic – EUA/11-09 (Jacobin, EUA) | “Vinte anos atrás, a grande imprensa criou a ‘guerra contra o terror’” | bit.ly/3yZzPhz

Amy Davidson Sorkin – EUA/11-09 (The New Yorker, EUA) | “O Julgamento eterno em Guantánamo. O presidente Biden agiu para encerrar a guerra no Afeganistão, mas os procedimentos contra os demais detidos da guerra contra o terrorismo, incluindo os suspeitos do 11 de setembro, se arrastam.” | bit.ly/3lgOwrz

Conteúdo Relacionado