Clipping Internacional

Clipping Mundo - 13/07/2021

Notícias internacionais sobre o Brasil; Notícias do Mundo - especial Cuba; e Artigos

13/07/2021 10:12

Luiz Fux e Jair Bolsonaro (Marcos Correa/PR)

Créditos da foto: Luiz Fux e Jair Bolsonaro (Marcos Correa/PR)

 
1. NOTÍCIAS INTERNACIONAIS SOBRE O BRASIL

BOLSONARO/ Polícia investiga Bolsonaro por suposta prevaricação na pandemia. A Polícia Federal abriu uma investigação na segunda-feira contra o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, para apressar possíveis irregularidades nas negociações de vacinas contra o covid-19. O processo foi oficialmente aberto hoje após decisão da ministra Rosa Weber do STF que autorizou a investigação que deve apurar se o presidente cometeu prevaricação e outros crimes nas negociações para a compra da vacina Covaxin, elaborada pela farmacêutica empresa Índia Bharat Biotech. As suspeitas foram expostas por uma comissão do Senado que tenta determinar se o governo é responsável pelo agravamento de uma pandemia que já matou mais de 533 mil brasileiros. (El Diário, Espanha; Diário de Notícias, Portugal; El Espectador, Colômbia; El Mercurio, Chile; Últimas Notícias, Venezuela; UYPress, Uruguai; Última Hora, Paraguai) | bit.ly/3yQoKj4 | bit.ly/3kbDVPR | bit.ly/3AVfn3r | bit.ly/3hZVjnU | bit.ly/3edJGsB | bit.ly/3i9cTGb | bit.ly/3AY8gaw

COPA AMÉRICA-VARIANTE/ Brasil "descobre" variante, Chile se recupera e EUA doam novas vacinas. Enquanto o Covid-19 ainda está sobrecarregado no Brasil, país que nesta segunda-feira soube de uma nova variante em seu território. O país, o terceiro com mais mortes por coronavírus no mundo, com mais de 534 mil, viu como a recém-concluída Copa América não só lhes deixou o incômodo de perder o título em casa, nas mãos da Argentina. Também os trouxe a variante B.1.621, conforme anunciado pelo Instituto Adolfo Lutz de São Paulo, que faz parte da Rede Nacional de Sequenciamento Genético do Ministério da Saúde. A descoberta da variante, originária da Colômbia, aconteceu depois que 12 pessoas foram testadas para o coronavírus em Cuiabá, capital de Mato Grosso e uma das sedes do torneio continental. (El Diário, Espanha) | bit.ly/2U4Oiu4

BOLSONARO NO STF/Bolsonaro e o presidente do STF se reuniram para reduzir as tensões sobre as ameaças sobre as eleições. Fux disse ao final do encontro que convidou Bolsonaro a destacar "a importância do respeito às instituições e aos limites impostos pela Constituição para a democracia brasileira" e garantiu que o presidente "entendeu" a mensagem. Na semana passada, o chefe de Estado, líder da extrema direita brasileira e em queda livre nas pesquisas de popularidade e intenção de voto, deu a entender em diversas ocasiões que não haveria eleições no próximo ano, caso não fosse aprovado projeto legislativo que institua o votar no papel. (El Diário, Espanha) | bit.ly/3i2rSSh

MARIELLE FRANCO/ Procuradoras da investigação ao assassinato de Marielle se demitem. As investigadoras dizem que há “intervenção externa” no caso. Desde o início, o caso já teve quatro diferentes responsáveis policiais à sua frente. Um dos principais suspeitos foi condenado por destruição de provas por ter lançado armas ao mar. Simone Sibilio e Letícia Emile pegaram na investigação em setembro desse ano. Elas sairiam saem agora por “receio e insatisfação com interferências externas” que não foram especificadas. Mas o mesmo órgão de comunicação social relaciona esta insatisfação com divergências sobre o testemunho da viúva de Adriano da Nóbrega, ex-capitão do Batalhão de Operações Policiais Especiais do Rio de Janeiro. (Esquerda.net, Portugal) | bit.ly/3ySYCnH

GOLPE/Ecoando Trump, Jair Bolsonaro procura atingir a eleição de 2022. O presidente volta à carga ao ver diminuir o apoio da população e do Congresso. (Financial Times, Inglaterra) | on.ft.com/3yQoEIe

2. NOTÍCIAS DO MUNDO

A CRISE EM CUBA

PÁGINA 12, ARGENTINA | Biden pede que os manifestantes sejam ouvidos e AMLO oferece ajuda humanitária. Alguns apoiam as mobilizações enquanto outros condenam o intervencionismo. Os protestos em Cuba no domingo geraram reações mistas na comunidade internacional. O presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, ofereceu-se para enviar ajuda humanitária à ilha se necessário e exigiu "que se respeite a autodeterminação do povo cubano". Seu homólogo americano, Joe Biden, pediu ao governo cubano que "ouça" os manifestantes que exigem "o fim da repressão e da pobreza". O governo cubano acusa Washington de estar por trás dos protestos sem precedentes na ilha no domingo. O governo Biden ignorou Cuba até agora, em sintonia com seu antecessor Donald Trump. Na verdade, além de um bloqueio de décadas, o governo democrata mantém o país na lista dos patrocinadores estatais do terrorismo. | bit.ly/3AVfpIB

PÁGINA 12, ARGENTINA | Presidente de Cuba sobre os protestos em Cuba: “Existe uma política de sufocamento econômico para provocar revoltas sociais”. O presidente de Cuba, Miguel Díaz Canel, denunciou nesta segunda-feira que os Estados Unidos aplicam "uma política de asfixia econômica para provocar revoltas sociais no país". Díaz Canel dirigiu um discurso à nação para “esclarecer todo um grupo de matrizes que tentaram impor ações para desacreditar o governo e a revolução”. Ele negou ter chamado seus seguidores à violência e se referiu aos cortes de energia que afetam diferentes partes do país e foram um dos motivos para os protestos de domingo. | bit.ly/3AVfpZ7

GRAMNA, CUBA | San Antonio de los Baños: «seja pra o que for Díaz-Canel! Seja pra o que for!». Miguel Díaz-Canel Bermúdez chegou a San Antonio de los Baños na província de Artemisa para conversar com seus habitantes perante a provocação de um grupo de contrarrevolucionários que tentou subverter a ordem enquanto Cuba luta não só contra a COVID-19, mas também e por mais de 60 anos, contra o bloqueio econômico-comercial e financeiro mantido pelo governo dos Estados Unidos. | bit.ly/3e90rVJ

ESQUERDA.NET, PORTUGAL | Milhares de cubanos saíram este domingo às ruas de Havana e outras localidades em protesto contra a falta de comida, medicamentos e os apagões num momento em que a ilha enfrenta a maior vaga da pandemia de covid-19. As manifestações anti-governamentais apelaram também à queda do Governo, por entre gritos de “Liberdade” ou “Abaixo a ditadura”. | bit.ly/3AUMKDw

EL PAÍS, ESPANHA | O que está acontecendo em Cuba? As chaves para entender os protestos contra o governo. A escassez de alimentos e a falta de vacinas eficazes estão por trás das manifestações na ilha. Cuba viveu neste domingo as maiores manifestações das últimas décadas. Gritando "Abaixo a ditadura" ou "Pátria e vida", uma imitação do slogan oficial "Pátria ou morte", os cubanos têm saído às ruas para protestar contra a mistura explosiva da falta de alimentos e da falta de vacinas contra a Covid. A crise económica que a ilha sofre há anos foi agravada pela pandemia que atingiu gravemente o sector do turismo. | bit.ly/3ecNRVr

LA DIARIA, URUGUAI | O presidente Díaz-Canel apontou o bloqueio dos Estados Unidos como a causa das mobilizações. Conforme expressou na véspera, o presidente observou que o verdadeiro motivo da escassez de alimentos e medicamentos na ilha é o bloqueio comercial imposto pelos Estados Unidos. “Se você quer protestar contra a falta de comida, deve protestar contra o bloqueio, não contra o regime cubano”, disse ele. “A população sente que falta, mas quem organiza essas manobras de vandalismo pressiona hipócrita e desonestamente o povo contra um governo que está cuidando dela”, acrescentou Díaz-Canel. | bit.ly/3AVfqMF | bit.ly/3kfchBA

THE WASHINGTON POST, EUA | Biden anda na corda bamba com Cuba. Os protestos contra o regime em Cuba representam um desafio espinhoso para Biden - com críticos da direita atacando-o por sua passividade percebida e críticos da esquerda irritados por ele não ter revertido as políticas do governo Trump. | wapo.st/3AWANx6

LA JORNADA, MÉXICO | Sem mencionar o bloqueio, Biden apoia protestos antigovernamentais em Cuba. O Governo dos Estados Unidos expressou imediatamente seu apoio aos protestos antigovernamentais em Cuba devido à crise naquele país, sem reconhecer que as medidas dos Estados Unidos destinadas a sufocar a economia da ilha, e que a comunidade internacional acaba de condenar pela 29ª vez e que têm o propósito exato de gerar esse tipo de crise, sem falar nos milhões de dólares que Washington dedica a intervir nos assuntos internos de Cuba, inclusive promovendo justamente esse tipo de manifestações. | bit.ly/3ilpxlF

THE NEW YORK TIMES, EUA | ‘Todo mundo tem um ponto de inflexão’: a fome alimenta os protestos de Cuba. Um dia depois de uma rara eclosão de protestos antigovernamentais em Cuba, os Estados Unidos e Cuba trocaram palavras duras. Mas os protestos em Cuba no domingo ofereceram algum tipo de acordo bipartidário nos Estados Unidos, com democratas e republicanos se manifestando em apoio às manifestações. Outros culparam o embargo comercial americano pelos protestos e pela privação que os motivou, postura que o governo cubano adotou no domingo, quando as manifestações começaram. | nyti.ms/3ySpzrM

OUTROS ASSUNTOS

ÁFRICA DO SUL/ A agitação violenta irrompe na África do Sul. A violência esporádica atinge KwaZulu-Natal e Joanesburgo. A violência estourou na África do Sul, com dezenas de pessoas presas após saques na província oriental de KwaZulu-Natal, onde o ex-presidente Jacob Zuma está preso, e na capital econômica Joanesburgo. Cerca de 23 caminhões foram incendiados no rio Mooi, cerca de 150 quilômetros a noroeste de Durban. Embora alguns dos protestos pareçam ter sido desencadeados pela detenção de Zuma de 15 meses por desacato ao tribunal, eles estão associados a um sentimento de desespero econômico, visto que o país enfrenta restrições cada vez maiores sob a terceira onda da pandemia Covid-19. (Global Times, China) | bit.ly/3xPlcxe

FOME/ A fome mata mais que a Covid-19 diz relatório da Oxfam sobre a crise alimentar global. O relatório mostra que após um ano e meio desde o início da pandemia, as mortes por fome no mundo estão acima das mortes por COVID-19. De acordo com o estudo, onze pessoas morrem a cada minuto por causa da fome extrema, número superior às sete mortes geradas pela pandemia na mesma época. O trabalho também afirma que “os conflitos armados, os distúrbios econômicos causados pela pandemia e a crescente crise climática agravaram a pobreza e a situação catastrófica de insegurança alimentar nas áreas mais famintas do mundo, por sua vez, criando novos núcleos de fome”. (Página 12, Argentina) | bit.ly/3ySprIO

INGLATERRA/ Aumento repentino do racismo após derrota na final da Eurocopa. Os velhos demônios da Inglaterra estão retomando sua sarabanda racista. Mesmo antes do epílogo fracassado do futebol europeu, os sinais já haviam sido dados: alguns dos "torcedores" ingleses vaiaram seu time quando os jogadores caíram de joelhos ao chamado do movimento Black Lives Matter. Domingo à noite, uma enxurrada de insultos inundou os estádios. (L’Humanité, França) | bit.ly/3yUMin8

BOLÍVIA/ Juiz nega recurso de ação de liberdade ao ex-presidente Áñez. Com a decisão do juiz, foi ratificada a medida para estender de quatro para seis meses a prisão preventiva de Jeanine Áñez, que está presa na cidade de La Paz. | bit.ly/3kdubEH

MÉXICO/ O México relata mais de 100 jornalistas e ativistas mortos desde 2018. O presidente mexicano, Andres Manuel Lopez Obrador, prometeu fazer mais para proteger jornalistas e ativistas, mas dados do governo mostram que muitos foram mortos durante seu mandato. (Deutsche Welle, Alemanha) | bit.ly/3yU0NY2

VENEZUELA/ Polícia detém outro aliado Guaidó enquanto Maduro promove diálogo. Freddy Guevara foi preso acusado de terrorismo e "traição". O Serviço de Inteligência venezuelano deteve o ex-deputado Freddy Guevara, colaborador próximo do líder Juan Guaidó, que denunciou "ameaças" contra ele, enquanto o presidente Nicolás Maduro conversava com um setor minoritário anti-chavista para promover o diálogo nacional. (El Periódico, Espanha) | bit.ly/2VxZKPb

EUA/ Congressistas democratas deixam o Capitólio do Texas para boicotar projeto de lei republicano que restringe votação. A legislatura estadual precisa que os democratas tenham quorum e aprovem a lei. A maioria dos democratas do Capitólio do Texas deixou o estado na segunda-feira para a capital dos Estados Unidos, rejeitando as propostas dos republicanos sobre as leis eleitorais, que consideram um ataque ao direito de voto. Mais de 50, do total de 67 democratas na Câmara estadual de Austin, partiram no meio da tarde para Washington a bordo de dois voos, com a intenção final de aumentar a pressão sobre o presidente Joe Biden e o Congresso para agir e aprovar o que é conhecido como Lei do Povo e o John Lewis Voting Rights Act, "para proteger os texanos e todos os americanos da batalha nacional dos apoiantes republicanos de Donald Trump contra a democracia". (El País, Espanha) | bit.ly/2UFROek

3. ARTIGOS/ENTREVISTAS

BRASIL

Carles Senso – Brasil (Rebelion, Espanha) | “Brasil, próximo golpe de Estado” | bit.ly/3yNgvUM

Thomas Traumann – Brasil (Americas Quaterly, EUA) | “Lula está de volta. Mas qual Lula?” | bit.ly/3AXiJTB

Vinicius Mariano de Carvalho, entrevista - Brasil (RFI, França) | “As Forças Armadas não se aventuariam num golpe por Bolsonaro” | bit.ly/3keAPe0

CUBA

Attilio Boron – Cuba (Página 12, Argentina) | “Cuba, o bloqueio e a crise” | bit.ly/3kcx88s

Ayelén Oliva – Cuba (El Diário, Espanha) | “Protestos em Cuba: os fatores que fizeram escalar o conflito em tão pouco tempo” | bit.ly/3eeiwlc

Rosa Moussaoui – Cuba (L’Humanité, França) | “Na grande ilha sufocada pelo bloqueio, a ira transborda” | bit.ly/3AWVBEO

Ben Burgis - Cuba/EUA (Jacobin, EUA) | “Os EUA devem acabar com suas sanções brutais contra Cuba, não intervir lá” | bit.ly/3xENHxE

OUTROS

Carlos Noriega – Peru (Página 12, Argentina) | “Keiko Fujimori visa a democracia” | bit.ly/2UM24Sb

Nils Castro – Haiti (Página 12, Argentina) | “No Haiti, somente a primeira frase se repete” | bit.ly/2U9qfdk

Geraldina Colotti – Haiti (Sinistra in Rete, Itália) | “Haiti: eis porque o presidente Jovenel Moïse foi morto” | bit.ly/3i85jLM

Karen Petrou – EUA (The New York Times, EUA) | “Apenas os ricos poderiam gostar desta recuperação econômica” | nyti.ms/3yS8kXn

Paul Krugman – EUA (The New York Times, EUA) | “O mito duradouro dos espaços urbanos do inferno” | nyti.ms/3ySYCEd



Conteúdo Relacionado