Clipping Internacional

Clipping Mundo - 14/04/2021

Notícias internacionais sobre o Brasil; Notícias do Mundo; e Artigos

15/04/2021 09:17

Moro participa de negociações secretas entre Brasil e Estados Unidos sobre a Amazônia (Reprodução/Brasil Wire)

Créditos da foto: Moro participa de negociações secretas entre Brasil e Estados Unidos sobre a Amazônia (Reprodução/Brasil Wire)

 
1. NOTÍCIAS INTERNACIONAIS SOBRE O BRASIL

ARARAQUARA/ Em Araraquara, confinamento para evitar o caos. Nesta cidade do Estado de São Paulo, o prefeito "Edinho" da Silva havia decretado confinamento estrito no final de fevereiro, ao contrário da política do presidente Bolsonaro. Enquanto o número de mortes da Covid-19 batia novo recorde no Brasil - 4.195 mortes em 24 horas - Araraquara saboreou a vitória sobre o vírus. Pela primeira vez em um mês e meio, nenhuma morte pela doença foi deplorável nesta cidade industrial de 240 mil habitantes - uma das poucas, no próspero estado de São Paulo, ainda nas mãos do Partido dos Trabalhadores (PT). Naquela semana, o vírus não matou ninguém por quatro dias. Este é o resultado do confinamento rigoroso imposto no final de fevereiro pelo prefeito Edson da Silva, a quem até seus adversários chamam pelo apelido de "Edinho". A voz está cansada no final da linha. Edinho não se alegra: "É uma luta constante, estamos perante a maior tragédia da história do Brasil." (Libération, França) | bit.ly/32iuJ1O

DILMA ROUSSEFF/ Tribunal de Contas brasileiro absolve Dilma Rousseff de possíveis danos causados à Petrobras. O Tribunal de Contas brasileiro absolveu na quarta-feira a ex-presidente Dilma Rousseff num processo judicial sobre a compra da refinaria de Pasadena nos Estados Unidos pela companhia petrolífera estatal brasileira Petrobras. A decisão foi tomada por unanimidade pelo tribunal, composto por nove juízes, que consideraram que Dilma, bem como outros antigos membros do Conselho de Administração, não tinham qualquer responsabilidade no caso. (Jornal de Notícias, Portugal) | bit.ly/3gcoJ31

MORO/ Sérgio Moro participa de negociações secretas entre Brasil e EUA sobre a Amazônia. A presença do juiz Lava Jato e ex-ministro da Justiça de Bolsonaro, Sérgio Moro, em uma reunião privada bilateral EUA-Brasil sobre a floresta amazônica é motivo de preocupação. Sem cargo divulgado junto ao governo dos Estados Unidos ou do Brasil, quais interesses ele representa? A presença de Moro nessas reuniões da Amazon é incongruente para dizer o mínimo. Ele não é mais membro do governo brasileiro e não possui cargo divulgado junto ao governo dos Estados Unidos ou suas agências. Para quem ele está trabalhando? Quem ele está representando? Então, em que posição e em nome de quem Sérgio Moro está participando de negociações confidenciais entre os Estados Unidos e o Brasil sobre política ambiental? E para qual país? (Brasil Wire, EUA) | bit.ly/32h3Awh

GOVERNO BOLSONARO/ Pedida investigação do Ministro do Meio Ambiente do Brasil por interferir em apurações. A Polícia Federal do Amazonas solicitou nesta quarta-feira ao Supremo Tribunal Federal que investigue o ministro do Meio Ambiente do país, Ricardo Salles, por suposta interferência nas investigações e auditorias de crimes ambientais na região no âmbito de uma operação que apreendeu um recorde de 200.000 metros cúbicos de madeira (cerca de 65.000 árvores desabaram). Saraiva denunciou que o titular da carteira supostamente obstruiu ou dificultou “a ação fiscalizadora do Poder Público em relação às questões ambientais” e foi aproveitado de sua posição para atuar em prol de “interesses privados”. Da mesma forma, frisou que há "fortes indícios" do crime de "advocacia administrativa". (El Diário,Espanha) | bit.ly/3e48n9U

BOLSONARO/ Acuado pela CPI, Bolsonaro levanta o tom diante da investigação iminente de sua gestão da Covid. "A temperatura está subindo" e "vão haver consequências desses atos arbitrários", declarou Bolsonaro a um grupo de seguidores em clara alusão à investigação que o Senado vai iniciar, promovida por opositores de esquerda e o direito e aprovado por um magistrado do Supremo Tribunal. "O Brasil está no limite. Estou esperando que o povo dê um sinal", declarou o presidente sem especificar que tipo de sinal espera, e disse que a política de "fechar tudo". A investigação parlamentar, que terá início em cerca de 15 dias, ocorrerá em meio à pior fase da pandemia no país, que já acumula quase 360 mil mortes e 13,6 milhões de infecções e tem sua rede hospitalar à beira do colapso. (El Diário, Espanha; Diário de Notícias, Portugal; El Clarín, Argentina) | bit.ly/2Q6uKmX | bit.ly/3uYTCMx | bit.ly/3slH67R | bit.ly/2PXa4y1

BOLSONARO/ STF confirma investigação à atuação de Bolsonaro na pandemia. O Supremo Tribunal Federal (STF) brasileiro confirmou a decisão do juiz Luís Roberto Barroso que ditou a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar supostas omissões do Governo no combate à pandemia de Covid-19. Por 10 votos contra um, o Supremo validou a criação da CPI e destacou que cabe ao Senado definir como serão os trabalhos da comissão. Face à decisão provisória do juiz do Supremo Luís Roberto Barroso, ditada na semana passada, o Senado brasileiro aprovou na terça-feira a criação da CPI para investigar supostas omissões do Governo Federal, presidido por Jair Bolsonaro, no combate à pandemia de Covid-19. Caberá agora às lideranças de partidos e de blocos no Senado indicarem os membros que integrarão a CPI da Covid-19. (Diário de Notícias, Portugal; El Clarín, Argentina; The Independent, Inglaterra; Deutsche Welle, Alemanha; Últimas Notícias, Venezuela) | bit.ly/2OPVoQu | bit.ly/32f1blR | bit.ly/3afjNXb | bit.ly/2PXa6pD | bit.ly/3wUwD6W

IMPEACHMENT/ Os pedidos de impeachment de Bolsonaro estão aumentando, mas seu controle sobre o Brasil continua forte. Cresce o movimento para responsabilizar Bolsonaro pela carnificina do Covid que ele fez pouco para mitigar. A Suprema Corte brasileira ordenou na semana passada que o Senado abrisse uma CPI. Políticos e colunistas proeminentes pediram repetidamente sua remoção. Mais de 110 pedidos de impeachment foram feitos contra ele e ele foi acusado de crimes contra a humanidade no Tribunal Penal Internacional. Mas poucos veem qualquer chance real de remover o Bolsonaro tão cedo. Menos da metade da população apoia processos de impeachment - muito pouco para motivar um caso. Por enquanto, um político culpado por uma pluralidade de brasileiros pelo pior desastre humanitário da história nacional está protegido - por aliados conservadores que ganharam maior poder no Congresso Nacional, pelo apoio duradouro de 30% dos eleitores e por um casulo de mídia digital de direita que permitiu sua ascensão ao poder e agora é essencial para mantê-lo. (The Washington Post, EUA) | wapo.st/3e48hPA

COLAPSO NA SAÚDE/ Brasil: um colapso da saúde sem precedentes. Com mais de 358.000 mortes, o segundo país mais enlutado do mundo continua afundando na crise. A explosão da mortalidade diária, devido ao surgimento da variante "P1" e à gestão desastrosa do presidente Jair Bolsonaro, é alarmante para o resto do planeta. E o pior ainda está por vir. “Até o final de abril, teremos 5 mil mortes por dia”, prevê Domingos Alves, professor da Universidade de São Paulo. O nível diário de mortes agora é incomparável no mundo e, em números absolutos, o país é o segundo mais enlutado do mundo depois dos Estados Unidos, com 358.718 mortes em 13 de abril de 13,6 milhões de infecções. (Libération, França; Il Messaggero, Itália; La Repubblica, Itália) | bit.ly/2PXa6G9 | bit.ly/2Q8KwOa | bit.ly/3aenBbg

PANDEMIA/ Estudo da Fiocruz indica que durante o mês de abril os índices de infectados e mortos por coronavírus continuarão em "níveis preocupantes". Ao mesmo tempo, a Justiça brasileira endossou a abertura no Senado de uma comissão para investigar a gestão da pandemia pelo governo Bolsonaro. Relatório divulgado pela Fiocruz mostrou que a pandemia do coronavírus continuará em níveis preocupantes ao longo de abril. Segundo estudo divulgado em seu site, entre os dias 4 e 10 de abril, a tendência de alta transmissão da Covid-19 se manteve no país, com valores recordes no número de óbitos - média de 3.020 por dia - e aumento no número de casos positivos, cerca de 70.200 por dia. (La Diária, Uruguai) | bit.ly/3wXd5ij

COVID-19/ O Brasil soma 3.459 novas mortes por Covid-19 e ultrapassa 360.000 no total. O Brasil registrou 3.459 mortes relacionadas ao Covid-19 nas últimas 24 horas e ultrapassou 360 mil mortes desde o início da pandemia, que vive sua pior fase no país. Nos últimos três dias, o país registrou 8.747 óbitos ligados ao novo coronavírus, que se espalha sem restrições pelo território nacional, apesar das restrições de mobilidade vigentes em grande parte dos estados brasileiros. Houve o registro também de 73.513 infecções no último dia, com as quais o saldo total de positivos desde 26 de fevereiro de 2020, quando foi notificado o primeiro caso, agora é de 13.673.507, embora especialistas em saúde estimam que, devido à subnotificação, o número pode ser até "duas ou três vezes" maior. O Brasil é o segundo país com mais mortes por Covid-19, depois dos Estados Unidos, e o terceiro em número de infectados, depois dos Estados Unidos e da Índia, embora seja atualmente o lugar do planeta onde mais mortes por Covid-19. 19, com tendência de alta. (El Diario, Espanha; Xihuanet, China; Telesur, Venezuela; Diario Correo, Peru) | bit.ly/3e5uuwD | bit.ly/3gcoOnl | bit.ly/3ekmPuH | bit.ly/3gcwIwJ

CLOROQUINA/ Tratamento ilegal com cloroquina mata mulher 27 dias depois de ser mãe. Uma mulher, de 33 anos, infetada com Covid-19, foi tratada com nebulização de hidroxicloroquina. Médica não seguiu protocolos nem consultou o marido da paciente, que estava no hospital com o filho recém-nascido há apenas 27 dias. A mulher morreu. (Jornal de Notícias, Portugal) | bit.ly/3dk1NwM

ESTADO POLICIAL/ Polícia militar do Brasil fica em meio ao debate sobre as restrições da Covid. A morte do soldado tornou-se um grito de guerra anti-lockdown para partidários radicais de Jair Bolsonaro. (Financial Times, Inglaterra) | on.ft.com/3wZwYW4

SUSPENSÃO DE VOOS/ Governo francês alega "pragmatismo" após suspender voos com Brasil. Os jornais franceses discutem a decisão do governo de fechar toda a circulação aérea com o Brasil, anunciada na véspera pelo primeiro-ministro francês, Jean Castex. A que se deve essa mudança de um dia para o outro? “Pragmatismo”, respondem pessoas próximas ao presidente Emmanuel Macron, citados pelo jornal Le Monde. A variante brasileira P1 ainda circula pouco no território francês (0,5%), onde a mutação britânica prevalece. Mas a mídia e especialistas franceses apontam com ênfase para o perigo da cepa brasileira. “É preciso temer a variante brasileira?” (RFI França) | bit.ly/3dldsvq

2. NOTÍCIAS DO MUNDO

ARGENTINA/ Governo anuncia novas restrições devido ao aumento de infecções. Diante do aumento das infecções, o presidente Alberto Fernández decidiu estender a proibição do tráfego noturno na Área Metropolitana de Buenos Aires (AMBA) até 30 de abril. O presidente também suspendeu todas as atividades sociais e culturais em locais fechados pelo mesmo período. Após o anúncio, em alguns bairros da cidade de Buenos Aires ouviram-se batidas de panelas. Houve também uma pequena manifestação em frente à residência presidencial. A última parte publicada ontem pelo Ministério da Saúde informava que haviam sido registradas 25.157 novas infecções pelo Covid-19, pouco menos que na terça-feira, quando se conhecia o número recorde de 27.001. (Página 12, Argentina) | bit.ly/3wYl8eH | bit.ly/3uR0onb

URUGUAI/ Coronavírus no Uruguai: à beira do colapso sanitário. Há vários dias, é o país com o maior número de casos novos por milhão de habitantes. O Uruguai vive um momento alarmante. Aquele que foi exemplo do mundo na gestão da pandemia hoje tem um sistema de saúde à beira do colapso, a previsão de mais de 1.200 mortes em abril, um número crescente de casos e um governo que continua evitando levar duras medidas contra a mobilidade. E já Acumula 149.430 casos positivos (31.302 ativos) e 1.595 óbitos. O governo continua evitando tomar medidas duras contra a mobilidade eo presidente do Uruguai, Luis Lacalle Pou, ainda proclama a chamada "liberdade responsável", acompanhada de medidas mornas como a suspensão das aulas presenciais -até 3 de maio ou o fechamento das academias e plantões- free shops na cidades fronteira com o Brasil. (Página 12, Argentina) | bit.ly/2Q6uEM7

GUERRA FRIA/ Biden se prepara para impor duras sanções à Rússia. As medidas, que visam diplomatas, entidades e a dívida do banco central russo, vêm em plena escalada da tensão com Moscou a quem os EUA acusam de por ciberataques e interferência eleitoral. As medidas, que visam diplomatas, entidades e a dívida do banco central russo, surgem em meio à crescente tensão com Moscou. Por outra parte, A Rússia inicia exercícios militares no Mar Negro em meio à crescente tensão na região. Moscou defende a implantação contra a "ameaça" da possível chegada na área de navios da OTAN dos EUA (El País, Espanha) | bit.ly/3mPucOh | bit.ly/3dh0e2B

HAITI/ O governo haitiano renunciou e o país tem um novo primeiro-ministro. O país caribenho sofre uma nova onda de insegurança e violência, que culminou na renúncia do governo local. O próximo objetivo será resolver os problemas e buscar estabilidade política. Segundo o governo, a mudança visa resolver os graves problemas de insegurança neste país em crise. “A renúncia do Governo, que aceitei, vai permitir enfrentar o flagrante problema da insegurança e continuar as discussões com vista a alcançar os consensos necessários para a estabilidade política e institucional do nosso país”, tuitou. O novo primeiro-ministro é Claude Joseph, acrescentou, o até então ministro das Relações Exteriores. (El Espectador, Colômbia) | bit.ly/32o7R0N

FRANÇA/ Covid-19: suspensão de voos do Brasil, medida considerada tardia e insuficiente. A luta contra a circulação de variantes, inclusive a brasileira, começa com medidas de quarentena eficazes na chegada. O governo afirma que está trabalhando para fortalecer o sistema. (Le Monde, França) | bit.ly/3uM1AZ4

PATENTES/ Prêmios Nobel e ex-presidentes pedem suspensão das patentes das vacinas Covid-19. Prêmios Nobel e ex-chefes de estado ou governo pediram em uma carta pública a suspensão temporária das patentes de vacinas covid-19 e convidaram o presidente dos EUA, Joe Biden, a apoiar a iniciativa. A supressão da propriedade intelectual do imunizador é "uma etapa vital e necessária para acabar com a pandemia", considere os 170 signatários da carta, incluindo os ex-presidentes da França, François Hollande, e da Libéria, Ellen Johnson Sirleaf, e o primeiro Ministro britânico Gordon Brown. O texto propõe a suspensão temporária de algumas obrigações do Acordo sobre Aspectos dos Direitos de Propriedade Intelectual Relacionados ao Comércio (TRIPS) para que qualquer país possa produzir a vacina sem se preocupar em ter a patente. (El Mercurio, Chile) | bit.ly/3wR0HAi

3. ARTIGOS/ENTREVISTAS

Miguel Nicolelis – Brasil/Pandemia (Libération, França) | “A pandemia não será controlada no mundo se não for no Brasil” | bit.ly/3gdYSI2

Emiliana G. Hidalgo – China/Argentina (Página 12, Argentina) | “A cooperação subnacional entre Argentina e China” | bit.ly/2OMyTMo

Cristophe Deroubaix – Neoliberalismo (L’Humanité, França) | “Estados Unidos: o neoliberalismo não é mais o profeta no seu país” | bit.ly/32gSZS5

Xavier Ragot, entrevista – EUA/Biden (Libération, França) | "O plano Biden, ‘muito keynesiano' é uma evolução política profunda" | bit.ly/3mG9DE7

Alfredo Serrano Mancilla e Sergio Pascualn- Equador (Página 12, Argentina) | “A derrota do progressismo no Equador” | bit.ly/3dmkoIy

Adam Nossiter – Afeganistão (The New York Times, EUA) | “As questões cruciais para o Afeganistão: O que acontecerá com as mulheres e as minorias? O presidente afegão pode manter o poder? Essas e outras questões urgentes enfrentam um país temeroso enquanto os militares dos Estados Unidos se retiram.” | nyti.ms/3tkwKXa

Pierre Barbancey e Christophe Deroubaix – Guerra Fria (L’Humanité, França) | “Joe Biden deixa Cabul para melhor enfrentar Beijing” | bit.ly/2OOZYyo



Conteúdo Relacionado