Clipping Internacional

Clipping Mundo - 14/05/2021

Notícias internacionais sobre o Brasil; Notícias do Mundo; e Artigos

14/05/2021 08:58

A aprovação de Bolsonaro está em 24%, o valor mais baixo desde que chegou à presidência (Ueslei Marcelino/Reuters)

Créditos da foto: A aprovação de Bolsonaro está em 24%, o valor mais baixo desde que chegou à presidência (Ueslei Marcelino/Reuters)

 
1. NOTÍCIAS INTERNACIONAIS SOBRE O BRASIL

LULA/ Lula se fortalece antes das eleições de 2022 diante de um Bolsonaro enfraquecido. Lula teria ampla vantagem no primeiro turno das eleições presidenciais (41%) e prevaleceria no segundo turno com 55% dos votos contra Bolsonaro (32%), cujo índice de reprovação está atualmente em 45%, um ponto percentual mais do que em março. A popularidade do líder de extrema direita está no seu pior desde o início de seu mandato, em 1º de janeiro de 2019, e sua popularidade caiu seis pontos percentuais em apenas dois meses, para 24%, segundo levantamento divulgado pelo Datafolha instituto. O declínio do apoio ao Bolsonaro ocorre em meio à segunda onda de uma pandemia que já deixa cerca de 430 mil mortos e em um momento em que uma comissão parlamentar investiga a gestão errática da crise de saúde por seu governo. (El Diário, Espanha; Le Parisien, França) | bit.ly/3fk3ie6 | bit.ly/3eNIvk6

BOLSONARO/Jair Bolsonaro é aprovado por apenas 24 % dos brasileiros, segundo o Datafolha. Apoio a Bolsonaro cai para o nível mais baixo desde o início de seu mandato. O apoio passou de 30% em março passado para 24% hoje. Para a cientista política Mayra Goulart, "alguns fatores são importantes para entender essa desidratação da popularidade do presidente: Primeiramente, o fim dos auxílios emergenciais e a crise econômica que está correlacionada à pandemia. Houve uma explosão do desemprego no trimestre que termina em janeiro, chegando a 14%, mas com certeza esse número vai aumentar muito na próxima medição. Em segundo lugar, Mayra citou a “sensação de fome". Um outro elemento é a repercussão da CPI da Covid, que passa a imagem de que a presidência é a responsável pela explosão de mortes ocorridas em 2021 no país. (El Diário, Espanha; Sputnik News, Rússia; Público, Portugal; El Clarín, Argentina) | bit.ly/3hrkstc | bit.ly/3hlpfMC | bit.ly/3hqUo1i | bit.ly/3w34cCw

BOLSONARO/ Advogados e acadêmicos sugerem afastamento de Bolsonaro por 'incapacidade' e 'falta de empatia'. Grupo de advogados e professores pediu ao STF para que Jair Bolsonaro seja submetido a exames para avaliar sua capacidade mental de exercer o cargo de presidente. No pedido enviado ao STF, os advogados e acadêmicos afirmam que o presidente não tem empatia e apresenta comportamento desumano, minimizando os impactos e as mortes causadas pela pandemia do coronavírus. "A falta de empatia é característica de doenças mentais sérias, que, no limite, podem levar à incapacidade para o convívio social, quanto mais para a direção política de uma República complexa e populosa”, diz o documento. O texto argumenta ainda que Bolsonaro não apenas deixa de tomar medidas para combater a pandemia da Covid-19 no Brasil, como estimula a população a adotar comportamentos que facilitam a transmissão do vírus. O documento também diz que Bolsonaro tem "inimigos imaginários" e vive a "fantasia" de estar sempre sendo vítimas de um "complô". (Sputnik News, Rússia) | bit.ly/3waAxYj

MEIO AMBIENTE/Câmara dos Deputados aprova polêmica flexibilização das regras ambientais. O texto, aprovado por 300 votos a favor e 122 contra, será encaminhado ao Senado para discussão e posterior votação. A organização ambientalista Greenpeace considerou o projeto "uma afronta à sociedade brasileira" e acusou Bolsonaro de "servir aos interesses particulares do agronegócio". (El Periódico, Espanha) | bit.ly/3w6Orug

VACINA PFIZER/ A Pfizer confirma que o governo brasileiro ignorou ofertas de vacina em 2020. O presidente da Pfizer para a América Latina, Carlos Murillo, confirmou nesta quinta-feira que a farmacêutica se ofereceu para entregar as primeiras vacinas anticovids ao Brasil no final de 2020 e que o governo de Jair Bolsonaro ignorou a proposta. Murillo compareceu perante uma comissão do Senado investigando possíveis omissões do governo no combate à pandemia e disse que os contatos com o Brasil começaram em maio de 2020 e que, segundo oferta apresentada em agosto, a Pfizer poderia ter entregue o as primeiras 5 milhões de doses em dezembro passado. Murillo especificou que os contatos com o Governo ocorreram desde maio do ano passado e que, no início de agosto, com a vacina ainda em fase de desenvolvimento, uma oferta para entregar 30 milhões de doses, das quais 500.000 chegariam em Dezembro. (El diário, Espanha) | bit.ly/3w6giuJ

CLÃ BOLSONARO/ O filho de Bolsonaro esteve presente em uma reunião com a Pfizer em que vacinas foram rejeitadas. Carlos Bolsonaro, que não ocupa nenhum cargo no governo, participou de uma reunião em dezembro de 2020. O gerente geral da Pfizer na América Latina, Carlos Murillo, disse quinta-feira que Carlos Bolsonaro, filho do presidente brasileiro, participou de uma reunião em dezembro de 2020 para obter vacinas contra o Covid-19, apesar de não fazer parte do governo. (La diária, Uruguai) | bit.ly/3hqhQM7

RACISMO/ Milhares protestam contra racismo e violência policial no Brasil. Milhares de pessoas protestaram nesta quinta-feira em várias cidades brasileiras contra o racismo e a violência policial, uma semana depois de uma operação antinarcóticos que deixou 28 mortos em uma favela do Rio de Janeiro. Sob o lema “Nem bala, nem fome, nem Covid. Os negros querem viver! ”, Os manifestantes, protegidos com máscaras para se proteger do vírus, exigiram com faixas e gritos o fim da discriminação estrutural contra negros e mestiços, 55% da população, no dia em que se comemora o fim da escravidão no Brasil em 1888. (El Espectador, Colômbia; Le Monde, França; La Presse, Canadá; UYPress, Uruguai) | bit.ly/2RUn6ww | bit.ly/3uMyysU | bit.ly/3odDN2g | bit.ly/3hq8oIt

LULA-PATENTES/ Lula: “Gente, estamos há mais de um ano a tentar baixar o preço. A empresa está irredutível”: uma história histórica sobre quebra de patentes. Depois de uma farmacêutica norte-americana se ter recusado em 2007 a diminuir o preço de um dos medicamentos mais utilizados no tratamento contra o vírus do VIH/Sida, o Governo brasileiro fez uma coisa que nunca tinha feito: recorreu ao mecanismo de licenciamento obrigatório, ou “quebra de patentes”, para comprar o medicamento a um preço mais barato. Lula da Silva, à época presidente do país, não admitia que alguém “ficasse rico à custa da desgraça dos outros”. A decisão foi louvada e mais pessoas puderam ter acesso ao tratamento, mas quase ninguém espera que o feito possa ser repetido agora com as vacinas contra a Covid. (Expresso, Portugal) | bit.ly/2RUs7FD

COVID-19/O Brasil ultrapassa 430.000 mortes por Covid-19 e se aproxima de 15,5 milhões de casos. Os números confirmam o Brasil como o segundo país do mundo em número de vítimas, atrás dos Estados Unidos, e como o terceiro em número de casos, só superado por Estados Unidos e Índia. (Diario Correo, Peru) | bit.ly/33Na1Yw

2. NOTÍCIAS DO MUNDO

ARGENTINA/ Alberto Fernández encontrou-se com a diretora geral do FMI para trabalhar para chegar a um acordo. “Foi uma reunião muito construtiva ”, disse a chefe do FMI. É o primeiro encontro cara a cara e aconteceu à sombra do Vaticano. Ela está em Roma para um seminário que compartilhará com Martín Guzmán e ele atrasou seu retorno à Argentina para vê-la, após um encontro com o Papa. A reunião entre a equipe do FMI e parte da delegação argentina, durou uma hora e meia. O encontro se revestia de enorme importância para a delegação argentina para a construção de um acordo sobre a dívida externa do país com o Fundo. (Página 12, Argentina) | bit.ly/3eRc1Wp

CHILE/ A primeira eleição democrática de governadores muda a estrutura política do Chile. Junto com a eleição de uma Assembleia Constituinte, os chilenos acabaram neste domingo com o modelo centralizado em sua capital. Os chilenos nunca elegeram seus líderes regionais nas urnas, até agora indicados pelo Executivo há décadas. É um dos dois países da OCDE, junto com a Turquia, que não elege autoridades intermediárias, como fazem, por exemplo, Argentina, Brasil ou Peru. O que acontecerá neste final de semana será histórico: pela primeira vez, os cidadãos irão às urnas para escolher democraticamente os governadores das 16 regiões do país, incluindo o Metropolitano, de Santiago do Chile, onde vivem sete dos 18 milhões de habitantes do país sul-americano. (El País, Espanha) | bit.ly/3uRbgSs

COLÔMBIA/ Os colombianos exigem reforma da polícia. “Eles estão nos matando”: as centenas de milhares de colombianos que se manifestaram contra o governo desde o final de abril também denunciam a repressão exercida pelas forças de segurança, exigindo reformas profundas da polícia. Empobrecida pela pandemia com 42,5% da população abaixo da linha da pobreza, enfrentando um recrudescimento da violência, a Colômbia é atormentada desde 28 de abril por um movimento popular de raiva, no qual os jovens são de primeira linha. A faísca foi um projeto de reforma tributária rapidamente descartada, liderado pelo presidente de direita Ivan Duque, que visava aumentar o IVA e ampliar a base do imposto de renda. (La Presse, Canadá) | bit.ly/3v01GN6

CUBA/ Cuba começa a aplicar duas das vacinas contra o coronavírus que estão em desenvolvimento no país. As autoridades de saúde desejam alcançar 1,7 milhão de pessoas inoculadas com Abdala e Soberana 02 em Havana. Abdala é uma das cinco vacinas contra o Covid-19 que estão em desenvolvimento em Cuba. Nessa fase em que ainda não possuem homologação oficial, são denominadas “vacinas candidatas”. Neste caso, a fase III dos ensaios clínicos terminou no dia 1º de maio, após sua aplicação a 48.000 voluntários em três províncias do país: Santiago de Cuba, Guantánamo e Granma. (La Diaria, Uruguai) | bit.ly/3bqU1zH

URUGUAI/ O Uruguai tem o maior índice de mortalidade per capita do mundo, enquanto o vírus se dissemina na América do Sul. Durante a maior parte do ano passado, o Uruguai foi apontado como um exemplo para evitar que o coronavírus se espalhe amplamente, enquanto os países vizinhos lutam contra o aumento do número de mortos. A boa sorte do Uruguai acabou. Na semana passada, a taxa de mortalidade per capita da pequena nação sul-americana Covid-19 foi a mais alta do mundo. Seis dos 11 países com as maiores taxas de mortalidade per capita estão na América do Sul, uma região onde a pandemia está deixando um saldo brutal de desemprego, pobreza e fome crescentes. Em sua maioria, os países da região não conseguiram adquirir vacinas suficientes para inocular suas populações rapidamente. (The New York Times, EUA) | nyti.ms/3bsxHWt

VENEZUELA/ Guaidó quer juntar-se às negociações com Maduro. A disponibilidade para negociar diretamente com Maduro uma saída política da crise institucional venezuelana representa uma mudança de postura por parte de Guaidó, que defendeu sempre uma abordagem musculada ou boicotes eleitorais a processos que considera ilegítimos. (Público, Portugal) | bit.ly/33IKcsJ

ISRAEL-PALESTINA/Gaza prestes a se tornar um inferno. Israel lança grande ofensiva aérea e terrestre na Faixa de Gaza. O Ministério da Saúde de Gaza aumenta para 119 o número de mortos em ataques israelenses na Faixa, à medida que dezenas de famílias fogem ao norte do enclave. Pelo menos 119 palestinos, incluindo 32 crianças, foram mortos pelos ataques dos céus. O norte de Gaza está vazio de pessoas, com famílias inteiras fugindo da violência. (El Periódico, Espanha) | bit.ly/3w5k5Iz

ISRAEL-PALESTINA/ A escalada em Gaza faz explodir a coexistência entre árabes e judeus em Israel. É o caso da cidade de Lod, um símbolo de coabitação. Em Lod, cidade industrial onde 40% da população é palestina com cidadania israelense, ou seja, descendentes de palestinos que permaneceram em suas terras em 1948 após a criação do Estado de Israel, a tensão aumentou entre jovens árabes e grupos extremistas Judeus. Uma sinagoga queimou, queimou veículos e uma agressividade crescente que se respira nas ruas. Por muito tempo, a cidade de Lod foi um símbolo de coabitação entre israelenses e palestinos cidadãos de Israel, mas nesta semana a coexistência explodiu em pedaços. (Página 12, Argentina) | bit.ly/3uNtAfo

ISRAEL/ Em Israel, Netanyahu e a extrema direita atacam os palestinos. Grupos racistas judeus atacam árabes em várias cidades israelenses. Paralelamente ao bombardeio em Gaza, os preparativos para uma invasão terrestre estavam se acelerando na quinta-feira, enquanto o Hamas continuava disparando foguetes contra Israel. O linchamento ao vivo de um palestino por um grupo de extrema direita em uma pequena cidade ao sul de Tel Aviv tem causado medo em todo o mundo. Os sinais de alerta estavam lá. As manifestações de protesto no bairro Sheikh Jarrah de Jerusalém Oriental para evitar o despejo de dezenas de famílias palestinas não mobilizaram apenas os residentes da parte ocupada da cidade. (L’Humanité, França) | bit.ly/2Qhe5NI

3. ARTIGOS/ENTREVISTAS

Yair Wallach – Jerusalém (The Guardian, Inglaterra) | “O desejo da direita israelense de tomar o Monte do Templo ameaça virar 2.000 anos de judaísmo de cabeça para baixo” | bit.ly/2SU6eH3

Emily DiVito e Aaron Sojourner _ EUA/Trabalho (The Guardian, Inglaterra) | “Os norte-americanos estão mais pró-sindicatos - e anti-grandes empresas - do que em qualquer momento em décadas” | bit.ly/2RNuNol

Marco Enriquez Ominami, entrevista – Chile (Página 12, Argentina) | “Os fundos privados de pensão (AFP), legado do pinochetismo, são o cimento da ira chilena” | bit.ly/3fgqaew

Denis Charbit, entrevista – Israel/palestinos (Libération, França) | “Extrema direita em Israel: ‘Esses ativistas se sentem mais livres e legítimos’” | bit.ly/3hpUje1

Louis Imbert – Israel (Le Monde, França) | “’ Não há mais coexistência hoje’: em Lod, assolada por motins, amargura e raiva dos árabes israelenses” | bit.ly/33G1BlQ

François Chimits – China (Le Monde, França) | "Ao longo de seu enriquecimento, a China combinou seu desenvolvimento com esforços ad hoc contra certas dependências" | bit.ly/3uPdJwH

Belén Fernández – Israel/Palestina (Jacobin, EUA) | “Que tipo de democracia mata crianças?“ | bit.ly/3uJ9vqu

Bernard Avishai – Israel/Palestina (The New Yorker, EUA) | “Hamas e Netanyahu estão jogando perigosamente em Jerusalém. Forças em Israel e em Gaza estão tentando explorar a violência polarizadora.” | bit.ly/3w6gcmR

Geraldina Colotti – Colômbia (Sinistra in Rete, Itália) | “Colômbia, Uribe e a ‘revolução molecular’" | bit.ly/2RjXSrt



Conteúdo Relacionado