Clipping Internacional

Clipping Mundo - 21/07/2021

Notícias internacionais sobre o Brasil; Notícias do Mundo; e Artigos

21/07/2021 09:20

Lula da Silva, em março de 2021, no sindicato dos metalúrgicos (Miguel Schincariol, AFP)

Créditos da foto: Lula da Silva, em março de 2021, no sindicato dos metalúrgicos (Miguel Schincariol, AFP)

 

1. NOTÍCIAS INTERNACIONAIS SOBRE O BRASIL

2022/ Lula e Bolsonaro concordaram que a eleição do próximo ano será um mano a mano entre eles. Ambos descartaram a possibilidade de um terceiro caminho alternativo emergir. Em entrevistas de rádio separadas, realizadas na terça-feira, tanto o atual presidente brasileiro Jair Bolsonaro quanto o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva colocaram de lado a alternativa de que existe uma terceira via e garantiram, cada um a seu modo, que as eleições presidenciais que serão realizadas em Outubro do próximo ano será resolvido entre eles. Partidos de centro direita como o PSDB já discutem internamente um nome para a terceira via. Um deles é o atual governador de São Paulo, João Dória. (La Diária, Uruguai) | bit.ly/3iDO2uu

LULA/ Em entrevista Lula criticou as posições de Bolsonaro sobre as eleições de 2022. E prevê a demissão ou incapacitação de Bolsonaro. No dia 1º de julho, o ex-militar garantiu que, se perder nas urnas no ano que vem, só entregará a faixa presidencial se o candidato escolhido vencer "de forma limpa", em outra referência ao voto impresso. O ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva, previu nesta terça-feira a demissão ou incapacitação do atual presidente daquele país, Jair Bolsonaro, que considerou estúpido sem possibilidade de ser eleito novamente pelos brasileiros como governante. O ex-dirigente sindical metalúrgico também descreveu a terceira via eleitoral como pretexto e "invenção de partidos que não têm candidato. Seria importante para todas as partes lançar um pretendente e testar sua força", recomendou. (Últimas Notícias, Venezuela) | bit.ly/3wTitlh

FUNDO ELEITORAL/ Bolsonaro diz que vai vetar um fundo milionário para a campanha eleitoral no Brasil. O fundo de financiamento de campanha está garantido por lei e inscrito no orçamento do Estado, visto ser o principal mecanismo de financiamento de campanha dos candidatos, mas tem sido criticado por alguns setores devido ao seu elevado valor. A criação desse fundo foi aprovada em 2017, em meio a notórios escândalos de corrupção derivados das contribuições de empresas privadas para campanhas eleitorais, mas Bolsonaro se manifestou contra essa iniciativa. O veto de Bolsonaro ao montante aprovado pelo Congresso, porém, pode enfraquecer o apoio do presidente na Assembleia Legislativa, num momento em que aumenta a pressão de alguns setores para abrir um processo político que leve à sua destituição. (El Diário, Espanha) | bit.ly/3iBR9D5

CASTILLO/ O presidente brasileiro Jair Bolsonaro expressou sua disposição de trabalhar com o presidente eleito do Peru, Pedro Castillo. O líder da extrema direita brasileira, um dos últimos governantes sul-americanos a se pronunciar sobre a promulgação de Castillo como presidente eleito do Peru, usou um tom bastante conciliador na mensagem que divulgou para parabenizar o futuro presidente peruano após fortes críticas no último mês. Desta vez, o chefe de Estado do Brasil não utilizou suas próprias redes sociais para divulgar a mensagem, mas pediu que fosse publicada nas páginas da Secretaria de Comunicação Social da Presidência com sua assinatura. Anteriormente, já havia dito: “Agora perdemos o Peru. Faltando 1% do escrutínio, só um milagre pode reverter o resultado. Uma pessoa do Fórum de São Paulo vai assumir (como presidente)”. (El Diário, Espanha) | bit.ly/3wVzo6X

AMAZÔNIA/ A relação harmoniosa dos indígenas com a floresta no Brasil gera rendimentos, diz um estudo. Os esforços de algumas etnias indígenas brasileiras para evitar o desmatamento e manter uma relação harmoniosa com a floresta em suas reservas podem ser capitalizados como créditos de carbono e lhes oferecer uma renda. A devastação da vegetação nativa nesta reserva - entre 1988 e 2017- foi de 21,3 hectares por ano, em média, taxa que nos últimos 5 anos caiu para uma média de 12,8 hectares por ano, graças às mudanças adotadas pelos Poyanawa no uso da terra. Isso porque a etnia Poyanawa tem priorizado as atividades agrícolas em áreas já devastadas e investido na recomposição de superfícies degradadas, com implantação e fortalecimento de pomares e lavouras caseiras. (El Diário, Espanha) | bit.ly/3rmry52

OLIMPÍADAS/ Marta e Brasil querem coroar sua história com a medalha de ouro em Tóquio. O país busca retomar seu lugar no futebol feminino mundial. Os Jogos Olímpicos, para o futebol feminino, são tão grandes quanto uma Copa do Mundo. É com esse espírito que a Seleção Brasileira Feminina, treinada por Pia Sundhage e comandada por Marta, viaja a Tóquio em busca da primeira medalha de ouro de sua história. As duas últimas edições olímpicas, em que o Brasil subiu ao pódio, e uma eliminação nas oitavas de final da última Copa do Mundo mostram que a missão será difícil, mas, com o melhor jogador de futebol de todos os tempos e um treinador vencedor, há um grande oportunidade. (El País, Espanha) | bit.ly/3hTWDK2

COVID-19/ O Brasil atingiu 544.180 mortes provocadas pela Covid-19 e 19.419.437 casos confirmados da doença. Nesta terça-feira, o ministro da Saúde do Brasil, Marcelo Queiroga, informou que serão enviadas doses extras de vacinas contra a Covid-19 para seis estados brasileiros que fazem fronteira com outros países na América do Sul. Queiroga destacou que o objetivo do envio das doses extra é criar uma espécie de cordão sanitário e restringir a entrada de novas variantes do vírus que causa a Covid-19 no país. O governo brasileiro também informou sobre o recebimento de um novo lote com mais um milhão de doses da vacina conta a Covid-19 por meio do consórcio Covax Facility, da Organização Mundial da Saúde (OMS). Nessa remessa foram entregues vacinas da AstraZeneca que serão distribuídas para os estados e as cidades. (Jornal de Notícias, Portugal; Xihuanet, China) | bit.ly/3wPyoRL | bit.ly/36Q13LR

2. NOTÍCIAS DO MUNDO

ESPIONAGEM PEGASUS/ Espionagem global de chefes de estado e mais centenas de políticos, empresários, jornalistas e ativistas foram vítimas de software desenvolvido em Israel. Mais de 50 mil números de telefone de jornalistas, políticos, ativistas defensores dos direitos humanos e empresários, incluindo os do Presidente da França, Emmanuel Macron e seu homólogo mexicano, Andrés Manuel López Obrador, foram objeto de possível espionagem através do celular Pegasus programa, desenvolvido pelo Grupo NSO, uma empresa privada israelense. A informação foi revelada após uma investigação internacional conhecida como Projeto Pegasus por ‘Forbidden Stories’, uma organização sem fins lucrativos com sede em Paris e a Anistia Internacional e que foi publicada posteriormente por 17 meios de comunicação internacionais. Também estão na lista jornalistas da CNN, The Associated Press, Voice of America, The New York Times, The Wall Street Journal, Bloomberg, Le Monde, Financial Times e Al Jazzera, até mesmo ouvindo as conversas de seus proprietários (Página 12, Argentina) | bit.ly/2W07CZX

ISRAEL-PEGASUS/Agentes de seguranda dos EUA e da União Europeia desconfiam das ligações da NSO com a inteligência israelense. Autoridades e analistas dizem que a empresa israelense de tecnologia de vigilância fabrica um produto de classe mundial, mas alguns suspeitam de um relacionamento com o governo de Israel. As autoridades de segurança dos Estados Unidos e da Europa consideram a empresa um grau de suspeita, apesar da capacidade de sua tecnologia para ajudar a combater terroristas e criminosos violentos. Embora a NSO seja uma empresa privada, as autoridades americanas há muito suspeitam que algumas informações que coleta também são vistas pelo governo israelense, disse um atual funcionário americano familiarizado com o assunto. (The Washington Post, EUA) | wapo.st/3rqyu0V

EUA-PANDEMIA/ A variante Delta é responsável por 83% dos novos casos nos EUA. Um aglomerado de estados do meio-oeste e do sul surgiram como novos pontos de acesso para Covid. As fatalidades da Covid aumentaram quase 48% na semana passada, para uma média de 239 por dia. Nas últimas duas semanas, a taxa de infecção nos EUA aumentou 198%. A campanha nacional de vacinação diminuiu significativamente. Os EUA estão administrando 521.000 doses por dia, uma redução de 85% em relação ao pico em abril, quando doses de 3,38 m foram administradas todos os dias. “Isso está se tornando uma pandemia de não vacinados”, disse Walensky, diretor do CDC. “Estamos vendo surtos de casos em partes do país que têm baixa cobertura de vacinação porque pessoas não vacinadas estão em risco. As comunidades que estão totalmente vacinadas geralmente estão se saindo bem ”. Mesmo com o ressurgimento do vírus, legisladores republicanos permitem que o ceticismo com a vacinação cresça. (The Guardian, Inglaterra; The New York Times, EUA) | bit.ly/3hWqrpH | nyti.ms/2Uq5b2H

COLÔMBIA/ Colômbia comemora sua independência sem desfile militar e com a volta dos protestos nas ruas. A Colômbia voltou às ruas para protestar contra o governo de Iván Duque, enquanto o presidente instalava as sessões do Congresso e reiterava seu apoio às forças da ordem, diante das críticas à repressão policial que deixou cinquenta mortos. A tensão dos últimos meses também se manifestou na sala do Congresso: enquanto representantes do partido do governo aplaudiam as forças públicas, parlamentares da oposição gritavam assassinos contra eles. (El País, Espanha) | bit.ly/2UpufXz

ESPANHA/ O governo espanhol apresentou a primeira lei que expressa uma condenação à ditadura de Franco. A Lei da Memória Democrática, que será analisada pelo Congresso, estabelece o crime de apologia ao franquismo. O gabinete de Pedro Sánchez aprovou terça-feira um projeto de Lei da Memória Democrática que visa avançar na condenação à ditadura de Francisco Franco e na proteção das vítimas. “É a primeira lei que condena e repudia expressamente o golpe de Estado de 1936 e a subsequente ditadura, que foi o período mais negro da nossa história contemporânea”, disse o Ministro da Presidência, Relações com os Tribunais e Memória Democrática. , Félix Bolaños, depois de aprovado o texto em Conselho de Ministros. (La Diária, Uruguai) | bit.ly/3iqv4XO

PERU/ Pedro Castillo, finalmente presidente do Peru. O professor de 51 anos, do esquerdista Peru Libre, venceu após uma votação muito acirrada: com 50,12% dos votos, ficou à frente de sua rival ultradireita Keiko Fujimori, por apenas 44.263 votos. Mais de um mês depois de realizado o segundo turno das eleições presidenciais, a autoridade responsável pelo exame dos recursos interpostos por Keiko Fujimori confirmou a posse de Pedro Castillo como novo presidente da República do Peru. Membro do esquerdista Peru Libre, Pedro Castillo, 51, é o primeiro chefe de estado peruano não relacionado com as elites econômicas e políticas. (l’Humanité, França) | bit.ly/3iBe69c

ISRAEL/ Ben & Jerry's com os palestinos: o boicote do sorvete contra Israel é desencadeado. A gigante estadunidense de sorvetes Ben & Jerry's (Unilever) anunciou nesta segunda-feira que a venda de seus produtos nos “Territórios Palestinos ocupados é um ato inconsistente com nossos valores”, e por isso será extinta, conforme explica em comunicado divulgado via Twitter. O anúncio da empresa sediada em Vermont desencadeou uma série de reações condenatórias do establishment político israelense. (La Repubblica, Itália) | bit.ly/3zmRO20

GUERRA FRIA EUA-CHINA/ Ciberataques abrem nova frente de conflito de Biden com Pequim. China nega responsabilidade no ataque que atingiu a Microsoft Exchange e escapa, para já, a sanções, depois de uma inédita posição comum de norte-americanos e aliados. Na semana passada o secretário de Estado Antony Blinken decalcou a doutrina do antecessor Mike Pompeo: confirmou que não aceitava as pretensões territoriais de Pequim no Mar do Sul da China e advertiu que qualquer ataque às Filipinas iria desencadear uma resposta norte-americana ao abrigo do tratado de defesa mútuo. Também na semana passada, quatro departamentos avisaram os empresários norte-americanos do risco de investir e manter negócios em Hong Kong desde que a nova lei da segurança na prática eliminou as liberdades da antiga colónia britânica. O mais recente campo de desentendimento não é no mar, nem em terra, mas no ciberespaço. (Diário de Notícias, Portugal) | bit.ly/3iqvbTe

EUA-CUBA/ O governo de Biden inicia uma mudança hesitante em sua política em relação a Cuba. O governo Joe Biden revelou que está avaliando a facilitação de remessas, ampliando sua equipe diplomática em Havana e explorando iniciativas para tornar a internet mais acessível na ilha, nos primeiros sinais de uma mudança vacilante na política dos Estados Unidos em relação a Cuba. Mantendo seu mantra oficial de que a política para Cuba se baseia nos princípios da democracia e dos direitos humanos, a Casa Branca confirmou terça-feira que Biden emitiu instruções para promover o início de uma possível mudança em sua política para com a ilha pela primeira vez. Biden assumiu a presidência há seis meses. (La Jornada, México) | bit.ly/3eIs73T

3. ARTIGOS/ENTREVISTAS

Cecília Tornaghi – Brasil/desigualdade (Americas Quaterly, EUA) | “Desigualdade é o calcanhar de Aquiles do Brasil” | bit.ly/3wPaohy

Kyle Paoletta, resenha – Brasil/livro (The Nation, EUA) | “Histórias da família de Beatriz Bracher. Em ‘Antonio’, a romancista mostra como a história de uma família pode ajudar a contar a história mais ampla de desigualdade e violência na vida brasileira.” | bit.ly/3rwNnij

Edward Snowden, entrevista – Pegasus (The Guardian, Inglaterra) | “Edward Snowden pede a proibição do comércio de spyware em meio a revelações da Pegasus” | bit.ly/3eHISw3

Stephanie Kirchgaessner, entrevista– Pegasus (The New Yorker, EUA) | “A ferramenta de spyware que rastreia dissidentes ao redor do mundo” | bit.ly/3xZp8vM

Rosa Moussaoui e Pierric Marissal, entrevista – Pegasus (L’Humanité, França) | “Descriptografia: Pegasus, o vírus que engole tudo nos smartphones que tem como alvo” | bit.ly/3xUVyY1

Gerardo Szalkowicz – Cuba (Página 12, Argentina) | “Cerrar fileiras com Cuba, sem romantizá-la” | bit.ly/3wVuYg7

Sandra Russo – Cuba (Página 12, Argentina) | “A verdade de Cuba” | bit.ly/3rgtn3v

Joe Parkin Daniels, reportagem – Colômbia/Cuba (The Guardian, Inglaterra) | “Colômbia sobcríticas por apoiar protestos em Cuba e sufocar dissidentes em casa” | bit.ly/36SINkR

Hamilton Nolan – Capitalismo/bilionários (The Guardian, Inglaterra) | “Por que Bezos está voando para o espaço? Porque os bilionários pensam que a Terra é um navio que está afundando” | bit.ly/36XAkNf

Amanda Mars– EUA/Biden (El País, Espanha) | “Os planos de Biden se enfraquecem seis meses após assumir o cargo. Projetos estrela como a reforma da polícia ou da imigração, bem como a lei de votação, perdem força enquanto outros, como infraestrutura, encolhem.” | bit.ly/3xWO8DQ

Ramiro Escobar La Cruz – desigualdade (El País, Espanha) | “Aquela outra distância social | bit.ly/3kFwDE8

François-Xavier Gomez – Peru/Castillo (Libération, França) | “Pedro Castillo, da escola rural ao palácio presidencial do Peru.” | bit.ly/3kMersJ

Lin Lan – Guerra Fria/China-Ocidente (Global Times, China) | “As elites narcisistas ocidentais se consideram "civilizadas" diante da China e da Rússia” | bit.ly/3kFUzal

Adolfo Rodrigues Gil – Nicarágua (Jacobinlat, América Latina) | “A revolução sandinista (capítulos I e II)” | bit.ly/2TqXmsZ | bit.ly/3hWqrGd

Visconte Grisi – Capitalismo/pandemia (Sinistra in Rete, Itália) | “A Grande Depressão está chegando?” | bit.ly/3rnwx5i

Conteúdo Relacionado