Clipping Internacional

Clipping Mundo - 28/05/2021

Notícias internacionais sobre o Brasil; Notícias do Mundo; e Artigos

28/05/2021 09:01

Dimas Covas foi convocado a prestar depoimento na CPI da Covid (Wallace Martins/Futura Press/Estadão Conteúdo)

Créditos da foto: Dimas Covas foi convocado a prestar depoimento na CPI da Covid (Wallace Martins/Futura Press/Estadão Conteúdo)

 
1. NOTÍCIAS INTERNACIONAIS SOBRE O BRASIL

CPI DA COVID/ O Instituto Butantan diz que o Bolsonaro atrasou a compra de vacinas no Brasil. O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, sugeriu que o presidente Jair Bolsonaro dificultou e atrasou a compra das vacinas anticovid chinesas que aquele centro produz no Brasil e que hoje são as mais aplicadas no país. “Poderíamos ter sido o primeiro país a vacinar no mundo”, o que não aconteceu devido a esses atrasos nas negociações, disse Covas a uma comissão do Senado que investiga a gestão governamental de uma pandemia que já causou a morte de quase 455 mil brasileiros. Naquela época, o presidente tinha fortes disputas políticas com o governador de São Paulo, João Doria, seu maior adversário no campo conservador e de cuja administração depende o Butantan, respeitado e centenário centro científico do país. O depoimento de Covas coincide amplamente com o que o presidente da Pfizer para a América Latina, Carlos Murillo, apresentou perante a mesma comissão do Senado, ao afirmar que esta farmacêutica apresentou oferta semelhante, também em agosto de 2020, e que foi "ignorada" pelo Governo de Bolsonaro até março deste ano. (El Díário, Espanha; Público, Portugal; La Diária, Uruguai; Diário Correo, Peru) | bit.ly/3uB2APu | bit.ly/3uzkyl3 | bit.ly/3ftVpnP | bit.ly/3fwp142

BOLSONARO/ O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, está sob cerco. À medida que sua popularidade cai, o populista se volta para o clientelismo. Em 2018, na campanha eleitoral, Jair Bolsonaro usou esses e mais rudes insultos para denegrir seus colegas políticos, especialmente os do PT, de esquerda. Como presidente, ele prometeu avançar sua agenda sem distribuir caros ou emendas. O primeiro sinal de que havia desistido dessa “nova política” veio em meados de 2020, quando formou uma aliança com um bloco de partidos autosserviços conhecido como o centrão . O suporte do Centrão nunca é gratuito.No ano passado o governo de Bolsonaro desembolsou mais de 20 bilhões de reais (US $ 3,9 bilhões) por meio de emendas do relator. Pelo menos 3 bilhões de reais foram canalizados pelo ministério do desenvolvimento para parlamentares para financiar obras públicas e comprar equipamentos agrícolas a preços inflacionados, às vezes por meio de empresas pertencentes a parentes. (The Economist, Inglaterra) | econ.st/3vByNHK

BOLSONARISMO/ Bolsonarismo intensifica campanha de intimidação contra críticos. Professores universitários, jornalistas, lideranças indígenas e até um ‘youtuber’ vêm sendo denunciados desde que o ultradireitista preside o Brasil. A polícia do Senado brasileiro abriu uma investigação contra Celso Rocha de Barroso que escreveu “esperemos que a CPI faça o seu trabalho e mande o presidente para a cadeia ”. Os processos, vindos da órbita do bolsonarismo, costumam desencadear autênticos linchamentos nas redes sociais, incluindo ameaças de morte e, no caso das mulheres, também estupros. Depois de dias ou semanas, muitas das investigações são arquivadas. Resultado que não surpreende outro réu recente, Conrado Hubner, professor de direito constitucional da Universidade de São Paulo, colunista e tweeter com 61 mil seguidores. “É uma tentativa de explorar a justiça para nos intimidar”, explicou. (El País, Espanha) | bit.ly/34q9zzV

DEVASTAÇÃO/ Fotos aéreas do Brasil mostram a devastação de terras indígenas por mineiros. Impacto de milhares de garimpeiros selvagens mostrados quando o presidente Jair Bolsonaro é acusado de tentar promover seu trabalho ilegal. Fotografias aéreas raras e perturbadoras revelaram a devastação que está sendo infligida à maior reserva indígena do Brasil por milhares de garimpeiros cujas atividades ilegais se aceleraram sob o líder de extrema direita do país, Jair Bolsonaro. Ativistas acreditam que cerca de 20.000 garimpeiros estão operando dentro da reserva Yanomami, no norte do Brasil, usando lanchas e aeronaves leves para penetrar na vasta extensão de selva perto da fronteira com a Venezuela.(The Guardian, Inglaterra) | bit.ly/3fSr3u7

‘LOCKDOWN’/ Bolsonaro apela novamente ao STF contra as medidas de saúde anticovid. O presidente apresentou nesta quinta-feira um novo recurso perante o STF contra as medidas sanitárias adotadas por alguns governos locais para conter os casos de Covid-19, doença que já matou quase 457 mil pessoas no país. Especificamente, o recurso busca anular todas as medidas que se assemelham ao confinamento da população ('lockdown') e ao toque de recolher imposto por alguns estados brasileiros. Desde o início da crise de saúde, Bolsonaro desprezou a periculosidade da Covid-19, que ele chamou de "gripe pequena"; censurou o uso de máscara e rejeitou as restrições à mobilidade por considerá-las uma "ruína" econômica. Sua questionada gestão da pandemia está sendo investigada por uma comissão do Senado. (El Diário, Espanha) | bit.ly/34n6NeS

BOLSONARO/ Deboche presidencial: Bolsonaro agora promove três tipos de chá indígena para tratar COVID-19. O presidente disse que durante uma viagem oficial que fez hoje para a inauguração de uma ponte no estado do Amazonas, um dos mais afetados pela pandemia, conversou com "vários" índios Balai e Yanomami para conhecer sua situação contra o coronavírus. “Eu perguntei se algum deles tinha morrido e me disseram que não, que nenhum tinha morrido na comunidade de Balaios. E por que eles não morreram? Beberam alguma coisa? Vamos lá, escreva lá, segundo eles, tem vídeo disso, eles tomaram chá de carapanaúba, saracura ou jambo”. (El Diário, Espanha; Diario Correo, Peru) | bit.ly/3fs2vJi | bit.ly/3fSr4hF

LULA/ Lula garantiu que Bolsonaro será responsabilizado por mortes pela Covid no Brasil. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva garantiu hoje que o presidente Jair Bolsonaro vai pagar por irresponsabilidade e descuido nesta pandemia Covid-19 que já causou 454.429 mortes no Brasil até hoje. Ele especificou sobre o ex-militar, ‘não é que ele os matou. Ele não os salvou porque era irresponsável ''. O fundador do Partido dos Trabalhadores denunciou que “uma sociedade que chora 450.000 mortos não pode ver um presidente andando de motocicleta sem oferecer um gesto de condolências pelo luto de milhares de famílias em seu país”. (Últimas Notícias, Venezuela) | bit.ly/3fwp142

COVID-19/ O Brasil contabiliza 2.245 mortes e 67.467 casos de Covid-19 em 24 horas. O número total de mortes por coronavírus chega a 456.674, enquanto o número de infecções chega a 16.342.162. As mortes por Covid-19 vêm diminuindo lenta e gradativamente, após atingir o pico de uma média de mais de 3.000 mortes por dia em 12 de abril, embora continuem em níveis preocupantes, com uma média de cerca de 1.800 mortes diárias. Especialistas já alertaram para a possível chegada de uma terceira onda nas próximas semanas, num momento em que a vacinação avança lentamente no país, com apenas 10% da população seguindo o esquema completo, após receber as duas doses da vacina. (Xihuanet, China; El Diário, Espanha) | bit.ly/34nTquZ | bit.ly/3vuQZ5v

2. NOTÍCIAS DO MUNDO

NAMÍBIA/ Alemanha concorda em pagar à Namíbia 1,1 bilhão de euros pelo histórico genocídio Herero-Nama. O texto da declaração conjunta chamará as atrocidades alemãs de "genocídio", mas omitirá as palavras "reparações" ou "compensação". A Alemanha concordou em pagar à Namíbia € 1,1 bilhão (£ 940 milhões) para financiar projetos entre as comunidades afetadas pelo genocídio Herero-Nama no início do século 20, o que o governo de Angela Merkel afirma ser um gesto de reconciliação, mas sem vinculação jurídica. Desde 2015, a Alemanha negociou com o governo da Namíbia o que chama de uma tentativa de “curar as feridas” da violência histórica. (The Guardian, Inglaterra) | bit.ly/3wFJDfP

RUANDA/ Macron admite a responsabilidade da França no genocídio de Ruanda. No entanto, ele nega qualquer cumplicidade no massacre de cerca de 800.000 tutsis e hutus moderados. O presidente francês Emmanuel Macron admitiu hoje a "responsabilidade" de seu país pelo genocídio perpetrado em Ruanda em 1994, mas negou que tivesse qualquer cumplicidade na matança de cerca de 800.000 tutsis e hutus moderados. “Os assassinos que assombravam os pântanos, as colinas, as igrejas, não tinham rosto da França, mas a França tem um papel, uma história e uma responsabilidade política em Ruanda. E tem um dever: enfrentar a história e reconhecer a quantidade de sofrimento que ela infligiu ao povo de Ruanda, fazendo prevalecer o silêncio sobre o exame da verdade durante também longo", reconheceu o presidente. (La Vanguardia, Espanha) | bit.ly/34r43x0

GAZA/ ONU aprova comissão para investigar violações de direitos humanos em Israel. O Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas aprovou esta quinta-feira a criação de uma comissão para investigar as violações ao direito internacional e humanitário que teriam sido cometidas nos territórios palestinianos ocupados, incluindo Jerusalém Orienta. A criação de comissão internacional independente teve a aprovação de 24 dos 47 países que integram o Conselho de Direitos Humanos. “Espero sinceramente que esta seja a última vez que precisamos de uma sessão tão extraordinária”, disse a Alta Comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet. Israel fala de “decisão vergonhosa”. (Público, Portugal) | bit.ly/34pgvgy

CHILE/Aumentam as infecções por Covid no Chile, apesar da vacinação ampla. O Chile mais uma vez superou 8.000 novos casos de Covid-19 nesta quinta-feira, número que não era registrado desde abril, quando o país viveu os momentos mais críticos de uma segunda onda da pandemia, e apesar de mais de 50% dos a população já recebeu as duas doses da vacina. (Última Hora, Paraguai) | bit.ly/3wIzzm2

COLÔMBIA/ Um mês de protestos da Colômbia deixou dezenas de mortos, mas não há fim à vista. Os manifestantes foram às ruas pela primeira vez em 28 de abril contra um aumento de impostos que muitos colombianos disseram que os deixaria mais pobres. A reforma foi rapidamente retirada, mas os protestos continuaram impulsionados por uma raiva profunda contra o governo. Alguns temem que o rancor profundo continuará a alimentar a revolta em um país intimamente familiarizado com conflitos violentos e profundas desigualdades sociais, com muitas pessoas com pouco a perder. (South China Morning Post, Hong Kong) | bit.ly/3fw0VGg

CUBA/"O bloqueio mata, sua solidariedade mata o bloqueio": comunidade internacional junta-se à coleta de seringas para Cuba. Organizações populares e grupos solidários de vários países respondem a uma campanha internacional que visa a obtenção dos 20 milhões de seringas de que Cuba necessita para vacinar toda a sua população contra Covid-19, sob o lema. Do Chile, Uruguai, Estados Unidos, Honduras, Espanha, Itália, Nicarágua e outros países que aceitaram o desafio, estão trabalhando para arrecadar fundos para comprar as seringas que serão usadas para imunizar os 11,2 milhões de cubanos com os projetos de vacinas antiCovid-19 Abdala e Soberana 02. As autoridades sanitárias cubanas propuseram imunizar toda a população da ilha contra Covid-19 com seus próprios medicamentos antes do final de 2021, e espera-se que a produção de 100 milhões de unidades dessas vacinas, uma vez certificadas, sejam empregadas em populações pobres e países de baixa renda. (La Jornada, México) | bit.ly/3wFJEAp

EL SALVADOR/ Bukele, o "presidente millenium" que coloca a democracia de joelhos. O jovem presidente eleito há 2 anos usa jeans, boné de cabeça para baixo e desfila na TikTok. Mas, por trás dessa imagem bacana, o líder salvadorenho Nayib Bukule, depois dos repetidos golpes contra o Parlamento e do julgamento do Tribunal Constitucional, agora concentra todos os poderes neste país centro-americano minado pela corrupção e pela violência. (L’Humanité, França) | bit.ly/34nVWRM

MEIO AMBIENTE/ Um Tribunal holandês condenou a Shell a reduzir suas emissões criando um precedente em todo o mundo. A Shell foi condenada por um tribunal holandês a reduzir suas emissões de forma muito mais deprimida do que o planejado, decisão que abre um precedente mundial e pode ter um grande impacto em toda a indústria de combustíveis fósseis. Gigante do petróleo se compromete a reduzir as emissões em 20%, além de ordens judiciais holandesas de corte de 45% até 2030. (Expresso, Portugal) | bit.ly/3vxU2tL

3. ARTIGOS/ENTREVISTAS

Vanessa Barbara – Brasil (The New York Times, EUA) | “A revelação da conspiração do supervilão Bolsonaro é estranhamente atraente” | nyti.ms/34rHhVO

Gabriela Montaño – Bolívia (Página 12, Argentina) | “Bolívia: os desafios da Arce” | bit.ly/3fS6fmr

Mário Toer – Chile (Página 12) | “O protagonismo do povo chileno” | bit.ly/3wFJFUZ

Juan Jesús Aznárez – Peru (El País, Espanha) | “O ‘cholo’ sedicioso. O ‘cholo’ sedicioso. O candidato à presidência do Peru, favorito nas urnas, tem muitas razões porque denuncia empresas estatais que passaram a ser meras testas de ferro dos privatizadores. (El País, Espanha) | bit.ly/3utaEBB

Sergio Halimi – Gaza (Le Monde Diplomatique, França) | “Um povo em pé” | bit.ly/2SvjBwZ

Jack Orlando – Palestina (Sinistra in Rete, Itália) | “Notas palestinas” | bit.ly/3vx9mXJ

Paul Krugman- EUA (The New York Times, EUA) | “A economia está girando suas rodas e está a ponto de decolar” | nyti.ms/2SEGGx9

Amy Goodman e Denis Moynihan – EUA (Democracy Now, EUA) | “Cem anos após o massacre em Tulsa, as reparações estão há muito atrasadas” | bit.ly/3fzjJot

Susan Glasser – EUA (The New Yorker, EUA) | “A democracia nos EUA não está morta, mas está chegando lá. Um país que não consegue nem mesmo concordar em investigar um ataque ao seu Capitólio está com grandes problemas, de fato.” | bit.ly/3uty5Lb

Dominique Pinsolle – França (Le Monde Diplomatique, França) | “A arte do golpe de estado. De Napoleão à Junta birmanesa” | bit.ly/34r43Nw



Conteúdo Relacionado