Clipping Internacional

Clipping Mundo - 31/05/2021

Notícias internacionais sobre o Brasil- as manifestações contra Bolsonaro; Notícias do Mundo; e Artigos

31/05/2021 10:03

Dezenas de milhares de brasileiros marcham para exigir o impeachment de Bolsonaro (AFP)

Créditos da foto: Dezenas de milhares de brasileiros marcham para exigir o impeachment de Bolsonaro (AFP)

 
1. NOTÍCIAS INTERNACIONAIS SOBRE O BRASIL

AS MANIFESTAÇÕES CONTRA BOLSONARO

THE GUARDIAN, Inglaterra | Dezenas de milhares de brasileiros marcham para exigir o impeachment de Bolsonaro. Dezenas de milhares de manifestantes foram às ruas das maiores cidades do Brasil para exigir o impeachment do presidente Jair Bolsonaro por sua resposta catastrófica a uma pandemia de coronavírus que ceifou quase meio milhão de vidas de brasileiros. Os manifestantes compareceram em mais de 200 cidades e vilas para aquela que é a maior mobilização antiBolsonaro desde o início do surto de Covid no Brasil. Dezenas de milhares de brasileiros marcham para exigir o impeachment de Bolsonaro. As pesquisas sugerem uma raiva crescente com a forma como o populista de direita está lidando com Covid, com 57% da população agora apoiando seu impeachment. Um inquérito do Congresso está atualmente dissecando a calamitosa resposta de Bolsonaro à crise de saúde pública, com revelações prejudiciais sobre a conduta de seu governo sendo transmitidas todas as noites no noticiário. | bit.ly/3g1gsNB | bit.ly/3p3yKSu

LE MONDE, França | “Ele é mais perigoso que o vírus”: no Brasil, novas manifestações contra o presidente Bolsonaro. Dezenas de milhares de pessoas marcharam novamente no sábado (29 de maio) em várias cidades do país contra o chefe de estado de extrema direita e sua disputa sobre como lidar com a pandemia, que deixou quase 460.000 mortos. Vai cair, não vai cair? A escolha da manifestação, em frente ao edifício conhecido como “Balança mas não cai” tinha para a esquerda brasileira, o objetivo de mobilizar em massa para finalmente destituir o inamovível chefe de estado da extrema direita, cuja popularidade está em forte declínio, e da qual uma maioria de brasileiros (57%, segundo pesquisa) está agora pedindo sua saída. A palavra de ordem era “Fora Bolsonaro!” e aconteceram em mais de duzentas cidades no país. | bit.ly/3fBbHeF

EL DIÁRIO, Espanha | O Brasil se levanta contra o Bolsonaro com marchas por todo o país apesar da Covid. Milhares de brasileiros enfrentaram o medo do Covid-19 neste sábado e saíram às ruas para protestar contra o Governo de Jair Bolsonaro, em um grito uníssono "pela vida" que ressoou nas primeiras marchas em massa registradas em todo o país desde o início da pandemia. Os manifestantes exigiram que o dirigente de extrema direita acelere o processo de vacinação no gigante sul-americano e aumente o montante da ajuda para que os mais pobres - os mais afetados pela pandemia - tenham uma renda "decente" para enfrentar a crise que veio com o vírus. Equipados com máscaras, álcool gel e cartazes, os manifestantes também pediram o fim das privatizações de empresas estatais e o fim dos cortes no orçamento das universidades. | bit.ly/3fBih4L

RFI, França | Em Paris, protesto contra Bolsonaro denuncia absurdos na gestão da pandemia no Brasil. Um protesto na Place de la République, local emblemático de manifestações em Paris, reuniu brasileiros para denunciar a má gestão da pandemia da Covid-19 no Brasil e pedir mais vacinas para a população na tarde deste sábado (29). Com uma paródia da peça "Ubu-Rei", marco do teatro do absurdo, os manifestantes criticaram as negativas do governo à compra de vacina e os ataques ao meio ambiente e à ciência. | bit.ly/2TtTtmK

EL PAÍS, Espanha | Esquerda do Brasil sai às ruas contra o Bolsonaro pela primeira vez na pandemia. Os protestos, impulsionados pela gestão desastrosa da pandemia e a volta de Lula, reúnem milhares de pessoas convocadas por movimentos sociais em mais de uma centena de cidades. Milhares de pessoas convocadas pelos movimentos de esquerda marcharam gritando "Fora Bolsonaro" em dezenas de cidades contra a extrema direita e a favor da vacina, do pagamento do auxílio emergencial e de Lula. Nesses 14 meses de crise de saúde, os protestos contra o líder populista de extrema direita se limitaram basicamente ao mundo virtual, às redes sociais. Especificamente, houve alguns panelaços contra Bolsonaro, embora o descontentamento e a indignação estivessem aumentando. Até este sábado, a esquerda havia se recusado em mobilizar nas ruas para evitar a propagação da doença. | bit.ly/3uzEww3

LA JORNADA, México | Protestos contra Bolsonaro em muitas cidades no Brasil. Dezenas de milhares de pessoas protestaram novamente em várias cidades brasileiras contra o presidente Jair Bolsonaro, especialmente por sua gestão caótica da pandemia, que deixa quase 460.000 mortos e ameaça se enfurecer novamente. Os manifestantes também fizeram outras críticas ao presidente, a quem acusam de promover o desmatamento da Amazônia, a violência dos invasores de terras indígenas e o racismo. No Recife a manifestação foi dispersada pela polícia com gás lacrimogêneo e balas de borracha, sem que informassem o motivo da repressão. (La Jornada, México) | bit.ly/3uySxdv

THE HINDU, Índia | Brasileiros fazem protestos em todo o país contra a resposta do Presidente Bolsonaro à Covid. Nas manifestações cartazes eram carregados com frases como "Fora com Bolsonaro" e "Impeachment já". A popularidade de Bolsonaro despencou durante a crise do coronavírus, que matou mais de 460 mil brasileiros enquanto o líder de extrema direita minimizava sua gravidade, descartava o uso de máscaras e lançava dúvidas sobre a importância das vacinas. Em São Paulo, a maior cidade do Brasil, milhares de pessoas usando máscaras bloquearam uma das maiores avenidas da cidade. Um grande balão representava o Sr. Bolsonaro como um vampiro. | bit.ly/3uwEBkp

AMÉRICAS

La Presse, Canadá | bit.ly/3uF8TkO

El Espectador, Colômbia | bit.ly/3vEqavN

El Clarín, Argentina | bit.ly/2RWMwdr

El Mercúrio, Chile | bit.ly/3p31Q4o

Soy Chile, Chile | bit.ly/3vEqaMj

Telesur, Venezuela | bit.ly/3p9xHAy

Últimas Notícias, Venezuela | bit.ly/3uCqREK

El País, Uruguai | bit.ly/2Tmok4s

Última Hora, Paraguai | bit.ly/3c8ogfn

La Diária, Uruguai | bit.ly/3g1guFd

EUROPA

Deutsche Welle, Alemanha | bit.ly/3vC9eWJ

Le Nouvel Observateur, França | bit.ly/3uDzPBF

La Croix, França | bit.ly/3i66vBa

Le Parisien, França | bit.ly/34xDWEH

Jornal de Notícias, Portugal | bit.ly/3g0MQj8

Tribune de Genève, Suíça | bit.ly/2SGyGfd

La Vanguardia, Espanha | bit.ly/3fC4ye1

The Independent, Inglaterra | bit.ly/3wEKygq

El Periódico, Espanha | bit.ly/3iiS8cX

El Mundo, Espanha | bit.ly/3vHSD3W

Jornal de Notícias, Portugal | bit.ly/34xDWEH

OUTRAS REGIÕES

Al Jazeera, Catar | bit.ly/34Blz1H

Daily News, Turquia | bit.ly/2SGhqa6

OUTRAS NOTÍCIAS

ÍNDIOS E MINERADORES/Mineradores ilegais atacam polícia e queimam casas indígenas na Amazôni. Mineiros atacam aldeias Yanomami e Munduruku em dois estados. Centenas de garimpeiros atacaram a polícia que tentava impedir a mineração ilegal na Amazônia brasileira antes de invadir uma aldeia indígena e incendiar casas, segundo promotores federais no estado do Pará, no norte do país. O Ministério Público estadual disse que mineiros tentaram bloquear uma operação da Polícia Federal fechando as entradas para o município de Jacareacanga na quarta-feira e tentando invadir uma base policial. Horas depois, mineiros invadiram uma aldeia do povo Munduruku e incendiaram várias casas, incluindo uma que pertencia a uma importante crítica mineira e ativista indígena, Maria Leusa Munduruku. Supremo Tribunal Federal ordena ao governo que proteja os indígenas. (The Guardian, Inglaterra) | bit.ly/3i6ruDG

NEGACIONISMO/ Bolsonaro pediu ao STF que proíba quarentenas em três estados. Argumenta que os direitos básicos de locomoção e trabalho seriam violados. O recurso judicial foi apresentado pela AGU contra quarentenas nos estados do Paraná, Pernambuco e Rio Grande do Norte. Horas antes, Bolsonaro incentivou o comando do Exército a se preparar para intervir "dentro da Constituição" nos estados e municípios e impedir, por exemplo, medidas como o toque de recolher noturno, apesar de o país se preparar para uma possível terceira onda em risco de um segundo colapso de um hospital nacional. O pedido foi feito no mesmo dia em que o laboratório federal Fiocruz, dependente do Ministério da Saúde, alertou sobre o risco de surto de infecções em junho, com 20 capitais que possuem mais de 80% de ocupação de leitos de terapia intensiva para pacientes com Covid19. (Página 12, Argentina. El Diario, Espanha; Guardião, Angola) | bit.ly/3fy6Bjk | bit.ly/34n6NeS | bit.ly/3vBVdIR

PANDEMIA-CRIANÇAS/ Covid-19: Brasil enfrenta mortalidade infantil preocupante. Desde o início da pandemia, mais de 2.800 crianças menores de 10 anos morreram de Covid-19 no Brasil. Destas, mais da metade tinha menos de 1 ano de idade. Esses números assustadores não podem ser comparados com outros países do mundo onde existem dados sobre o assunto (na França, por exemplo, apenas 13 crianças menores de 19 anos morreram de Covid-19). "A subnotificação é imensa". Acima de tudo, são dois a três maiores do que os divulgados pelo Ministério da Saúde. E por um bom motivo: os dados do Vital Strategies incluem crianças que morreram de dificuldade respiratória aguda de causas desconhecidas, na maioria das vezes o resultado de Covid-19 não diagnosticado. (RFI, França; Le Monde, França) | bit.ly/2RPDVcF | bit.ly/3fBbJmN

COVID-19/ O Brasil ultrapassa 460.000 mortes por Covid e 16,5 milhões de casos. O Brasil registrou 2.012 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas e ultrapassou 460.000 mortes, em meio a marchas massivas contra o Governo de Jair Bolsonaro, que ocorreram neste sábado em todo o país, apesar dos alertas da chegada de uma possível terceira onda da pandemia. O Brasil, com seus mais de 212 milhões de habitantes, é o segundo país do mundo com mais mortes por Covid-19, atrás dos Estados Unidos, e o terceiro em número de infecções, atrás dos Estados Unidos e da Índia. A preocupação dos especialistas aumentou nos últimos dias, após a detecção de novos casos da variante indiana em várias regiões do país. Na tentativa de conter o contágio, o governo proibiu, desde a véspera, a entrada de tripulantes que chegavam em barcos da Índia, mas também da Inglaterra ou da África do Sul, outras nações onde se desenvolveram cepas contagiosas do vírus. (El Diário, Espanha; Xihuanet, China; El Mercurio, Chile; Diario Correo, Peru) | bit.ly/2SGTPGj | bit.ly/3vD9mp7 | bit.ly/34BlACN | bit.ly/3uAPJN7

LULA/ Lula pode liderar uma geringonça à brasileira. Roberto Requião é do MDB, ou partido de Michel Temer. Michele Caputo, é do PSDB, ou partido de Fernando Henrique Cardoso. Arilson Chiorato, do PT, ou partido de Lula da Silva. Goura Nataraj milita não PDT, nem Ciro Gomes. E Mabel Canto, não PSC, ou partido conservador que chegou para abrigar Jair Bolsonaro. Os e outros políticos do Paraná, estado com mais de duas vezes a área de Portugal, reúnem-se a partir de Março Numa "ampla frente contra o governo do fascismo e em defesa da vida e da democracia" à qual dá o apelido de "geringonça paranaense", aludindo ao acordo do Governo de Portugal. O seu idealizador, Roberto Requião, disse que "é preciso derrotar o projeto de poder de Jair Bolsonaro, que respira morte, pobreza e o fim da soberania nacional", em torno de "uma ampla frente criada a partir da sociedade civil", cabelo que faria ser necessário para você presidir o centro-esquerda e a "deixassem ou ego de side". (Diário de Notícias, Portugal) | bit.ly/3uL7xW1

LULA/ Lula da Silva critica Jair Bolsonaro nas redes: “Ele nunca trabalhou na vida”. Em uma série de tweets, o ex-presidente brasileiro criticou o atual presidente e afirmou que "em breve ele só poderá visitar o quartel". Lula tem se destacado nas pesquisas diante das eleições de 2022. Suas críticas a Jair Bolsonaro estão no centro de sua estratégia, e nesta sexta-feira ele atacou a atual presidente novamente em sua conta no Twitter. (El Clarín, Argentina) | bit.ly/3uBcWPk

ESTADO POLICIAL/ Bolsonaro reprime a dissidência enquanto sua presidência entra em crise. Líderes indígenas, jornalistas, cientistas, médicos e outros críticos enfrentaram ameaças crescentes do governo do presidente de extrema direita nos últimos meses. Um colunista de jornal proeminente. Vários líderes indígenas. Médicos, acadêmicos e cientistas. Todos eles, nas últimas semanas e meses, foram submetidos a intimações, investigações ou outros esforços mais implícitos para silenciar as críticas que fizeram ao governo do presidente brasileiro Jair Bolsonaro, o líder de extrema direita que reforçou suas táticas autoritárias como seu próprio futuro político tornou-se cada vez mais incerto. (HuffPost, EUA) | bit.ly/3p8a6zT

2. NOTÍCIAS DO MUNDO

ARGENTINA/ Justiça argentina condena policial que simbolizava a mão pesada do macrismo. Luis Chocobar é condenado a dois anos e meio de prisão por ter matado em 2017 um ladrão que fugia após agressão a um turista. A Justiça argentina condenou nesta sexta-feira a dois anos e meio de prisão suspensa e cinco anos de inibição do cargo ao policial argentino Luis Chocobar, que se tornou o símbolo da política de segurança do macrismo. Em 8 de dezembro de 2017, Juan Pablo Kukoc, de 18 anos, agrediu e esfaqueou um turista americano junto com um cúmplice nas ruas do popular bairro de La Boca em Buenos Aires. (El País, Espanha) | bit.ly/2RXogb8

COLÔMBIA/ Treze mortos em outro fim de semana trágico. Cali foi mais uma vez palco de um dia violento com a morte de pelo menos 13 pessoas ao terminar um mês de protestos contra o governo de Iván Duque. Neste sábado, o presidente voltou a defender a ação das forças de segurança e também respondeu com a militarização de oito dos 32 departamentos (províncias). Organizações de direitos humanos denunciam mais de 300 desaparecidos no mês passado, enquanto as autoridades reconhecem apenas 123 casos. Pelo menos 59 pessoas morreram em um mês de protestos, segundo dados da Ouvidoria, que solicitou à Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) o avanço de sua visita ao país. (Página 12, Argentina) | bit.ly/2R88ppP

PERU/ Pesquisa publicada nesta sexta-feira no Peru registra empate técnico entre Castillo e Fujimori. Os candidatos à presidência do Peru, Pedro Castillo e Keiko Fujimori, aparecem cada vez mais equilibrados nas pesquisas de intenção de voto para o segundo turno das eleições de 6 de junho. O estudo mais recente, da empresa Datum, conclui que 42,6% dos votos válidos iriam para Castillo, do Peru Libre, e 41,7%, para Fujimori, da Fuerza Popular. A candidata de direita, portanto, cresce 1,6% em apoio desde a última medição, e sua rival cai 2,9%. (La Diaria, Uruguai) | bit.ly/3wJwnGR

CUBA/ Covid19. Em Cuba, o desejo de "voltar a uma vida normal". A ilha está passando por uma grave crise econômica; todos os produtos básicos são escassos. E ainda assim o país, na vanguarda da pesquisa médica, apesar do bloqueio dos EUA, lançou sua campanha de imunização com suas próprias vacinas. (l’Humanité, França) | bit.ly/3vyAkOy

CANADÁ/ Terror no Canadá: eles encontraram os restos mortais de 215 crianças indígenas em uma velha escola. De acordo com uma investigação recente, o sistema de ensino residencial daquele país separou à força as crianças indígenas de suas famílias e constituiu um “genocídio cultural”. O sistema funcionou de 1890 a 1950 e chegou a ter 500 alunos. Suas portas foram fechadas em 1969. Uma equipe de pesquisa encontrou recentemente uma vala comum com os restos mortais de 215 crianças indígenas na Kamloops Indian Residential School, uma antiga escola localizada na Colúmbia Britânica, oeste do Canadá, que foi projetada para "integrar" os povos originários do país. (Página 12, Argentina) | bit.ly/3uByXgI

EUA/ Republicanos bloqueiam investigação a invasão ao capitólio. “Um dia doloroso” diz Sanders. A maioria democrata no Senado foi insuficiente para impedir a força de bloqueio dos republicanos. Apenas seis conservadores votaram pela investigação. Trump avisara antes que iriam existir “consequências” para quem votasse ao contrário do seu interesse. (Esquerda.net, Portugal) | bit.ly/3yO7bRv

INDÚSTRIA DO PETRÓLEO/ A paciência do mundo com a indústria de combustíveis fósseis está se esgotando. Os ativistas percebem um ponto de inflexão à medida que acionistas, conselhos e Haia agem para forçar a Chevron, ExxonMobil e Shell a reduzir a poluição. Em uma série de derrotas impressionantes para a indústria do petróleo, ao longo de menos de 24 horas, tribunais e salas de diretoria se voltaram contra os executivos da Shell, ExxonMobil e Chevron. A Shell foi ordenada por um tribunal de Haia a ir mais longe para reduzir suas emissões climáticas, enquanto rebeliões de acionistas nos Estados Unidos impunham metas de emissões à Chevron e uma reforma da diretoria da Exxon. (The Guardian, Inglaterra) | bit.ly/3wLk39f

3. ARTIGOS/ENTREVISTAS

Lina Sankari, reportagem– Brasil/esquerda (L’Humanité, França) | A esquerda lança a batalha na rua.” | bit.ly/3uEgNel

Patricia Williams – EUA (the Guardian, Inglaterra) | “Os EUA branco têm um medo arraigado da negritude. É hora de perder esse medo”. | bit.ly/3p7c8AD

Eric Nepomuceno – Brasil (Página 12, Argentina) | “Jair Bolsonaro incentiva a anarquia no exército” | bit.ly/3gd9AwP

Alcysio Canette Neto – Brasil/Bolsonaro (Jacobin, EUA) | “Bolsonaro será considerado responsável pelo desastre da Covid-19 no Brasil ?” | bit.ly/3uC52oK

Lola Allen e Guillaume Long – Colômbia (Le Monde Diplomatique, França) | “Atire no 'inimigo interno' da Colômbia. Explosão repressiva diante do descontentamento popular.” | bit.ly/34ClV80

Geraldina Colotti – EUA-América Latina (Sinistra in Rete, Itália) | “Das embaixadas dos Estados Unidos, um novo Plano Condor contra o socialismo latino-americano” | bit.ly/3fBKMPW

Alfredo Zaiat – Argentina/austeridade (Página 12, Argentina) | “O mito do ajuste econômico” | bit.ly/3p5HU0I

Hannah Ellis-Petersen e Aakash Hassan, reportagem – Índia/pandemia (The Guardian, Inglaterra) | “Kumbh Mela: como um festival religioso superespalhado semeou Covid em toda a Índia.” | bit.ly/3vPrUCN

David Smith – EUA/racismo (The Guardian, Inglaterra) | “‘Eles não falaram sobre isso’: como um historiador ajudou Tulsa a enfrentar o horror de seu passado: o massacre de Tulsa de 1921” | bit.ly/34v9hbb

Eduardo Febbro – França/esquerda (Página 12, Argentina) | “As ilusões perdidas do socialismo francês” | bit.ly/34vOUKX

Michel Hasson – Capitalismo/social democracia (Esquerda.net, Portugal) | “Para onde foi a social democracia? O abraço da social democracia ao social liberalismo é em última instância reflexo da transição do capitalismo fordista para o capitalismo neoliberal.” | bit.ly/3p7FyOI

Bruno Maia – Capitalismo/Big Pharms (Esquerda.net, Portugal) | “As vacinas produziram mais 9 multimilionários” | bit.ly/2SGTTpx



Conteúdo Relacionado