Economia Política

Colunista abandona jornal denunciando 'fraude' na cobertura do caso Swissleaks

Peter Osborne afirma que o diário britânico 'daily telegraph' colocou os interesses dos bancos à frente dos interesses dos seus leitores.

18/02/2015 00:00

reprodução

Créditos da foto: reprodução

Num artigo publicado no Open Democracy, o principal colunista político do Daily Telegraph explica as razões do seu afastamento, afirmando que o jornal, por forma a manter a sua valiosa conta de publicidade, suprimiu deliberadamente informações sobre o gigante banco internacional HSBC, nomeadamente sobre o facto de a sua subsidiária suíça ter ajudado clientes ricos a fugir aos impostos e a esconder milhões de dólares em ativos.
 
Conforme esclarece Osborne, as criticas ao HSBC têm vindo a ser desencorajadas desde 2013. Um antigo executivo do jornal chegou a alertar que não se podiam “dar ao luxo de ofender” o gigante banco internacional.
 
O editor associado do Spectator, e cara familiar no programa de investigação Dispatches do Channel 4, defende que a recente cobertura do Telegraph do escândalo do HSBC “eleva-se a uma forma de fraude para com os seus leitores”.
 
"Existem grandes problemas aqui. Eles atingem o coração da nossa democracia, e não podem continuar a ser ignorados", frisa.
 
O ex colonista do Daily Telegraph refere que a cobertura ao HSBC é “parte de um problema mais abrangente”, sublinhando que existe “uma grande quantidade de evidências” que apontam para o “colapso” no jornal da distinção entre o departamento de publicidade e o departamento editorial.
 
"Não é só o Telegraph que está em causa aqui", adianta Osborne, acrescentando que nos últimos anos temos assistido ao aparecimento de “executivos sombras que determinam que verdades podem ou não ser veiculadas através dos media mainstream".
 
Autoridades suíças promovem buscas na sede da filial suíça do HSBC
 
"O Ministério Público anuncia que, na sequência de recentes revelações públicas relativas ao HSBC Private Bank (Suiça), foi aberto um procedimento criminal contra o banco" por “branqueamento de capitais agravado”, avança a agência Lusa, que cita as autoridades suiças.
 
Nesta quarta-feira, vai ser votado no Parlamento o requerimento do Bloco de Esquerda para a audição do secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Paulo Núncio, na comissão parlamentar de Orçamento e Finanças, a propósito do SwissLeaks.



Conteúdo Relacionado