Economia Política

Salvar vidas não conflita com salvar a economia, afirmam 32 proeminentes economistas dos EUA

 

29/03/2020 11:47

 

 
O Grupo de Estratégia Econômica, um grupo bipartidário que tem como objetivo pensar os desafios econômicos dos EUA, divulgou uma declaração nesta quarta (25) conclamando a sociedade estado-unidense a unir esforços para prover mais testes, mais respiradores, mais equipamentos de proteção individual e mais apoio a hospitais e unidades de saúde.

“Somente quando tivermos progredido nessas frentes, as empresas e os consumidores dos EUA poderão retomar a atividade econômica normal sem induzir uma expansão ressurgente que leva a efeitos de saúde e econômicos ainda mais graves”, afirmam.

Entre os economistas que assinam a declaração estão Ben Bernanke, ex-presidente do Fed e os ex-secretários do Tesouro dos EUA: Henry M. Paulson, Timothy Geithner, Robert E. Rubin e Lawrence H. Summers.

Eis a Declaração do Grupo de Estratégia Econômica sobre a pandemia e a crise econômica COVID-19:

“A pandemia da COVID-19 está, simultaneamente, ameaçando vidas de americanos, a sustentabilidade do sistema de saúde de nosso país e a nossa prosperidade econômica. Nossa preocupação primordial neste momento deve ser retardar a propagação desse vírus e equipar nosso sistema de saúde para responder com eficácia. Salvar vidas e salvar a economia não estão em conflito no momento; apressaremos o retorno a uma atividade econômica robusta, tomando medidas para conter a propagação do vírus e salvar vidas.

Os atores do setor público e privado devem trabalhar juntos para prover mais testes, mais respiradores, mais equipamentos de proteção individual e mais apoio a hospitais e unidades de saúde. Somente quando tivermos progredido nessas frentes, as empresas e os consumidores dos EUA poderão retomar a atividade econômica normal sem induzir uma expansão ressurgente que leva a efeitos de saúde e econômicos ainda mais graves.

Estamos profundamente preocupados com a perspectiva de uma recessão prolongada que corroeria a subsistência econômica de milhões de americanos. Enquanto os americanos praticam distanciamento social e profissionais médicos trabalham para salvar vidas, os formuladores de políticas devem adotar medidas para apoiar famílias e empresas durante esse período difícil. Esses esforços coletivos permitirão que mais empresas voltem a funcionar o mais rápido possível e minimizem a severidade das dificuldades econômicas do povo americano.”

*Com informações de 'Economic Strategy Group'





Conteúdo Relacionado