Arte/Humor

Diário do Bolso, 10 de outubro de 2019

 

10/10/2019 07:46

(Reprodução)

Créditos da foto: (Reprodução)

 
Diário, eu odeio esse tal de Chico Buarque.

Odeio, odeio, odeio!

Hoje me perguntaram se eu ia assinar o diploma do Prêmio Camões que ele ganhou. Dei uma resposta que achei ótima: “Até 31 de dezembro de 2026 eu assino”.

Pensei que dado um chá-mate nele (é chá-mate ou xeique-mate que fala?).

Mas o cara respondeu assim: “A não assinatura do Bolsonaro no diploma para mim é um segundo prêmio Camões”.

Pô, Diário, eu tenho que admitir que a resposta do cara foi boa pra caramba. Tanto que eu não consegui dar uma resposta pra resposta.

Isso me deixou com mais raiva ainda. Que ódio, que ódio, que ódio!

Esse Chico é todo metido a galã, toca violão, diz que joga bola, tem olho verde..., bah! Grande coisa...

E esse prêmio aí? Nem deve ser tão importante. Me disseram que Camões era um poeta caolho. Esse tal de Chico gosta de um presidente sem dedo e ganha um prêmio de caolho. Tudo pela metade!

Aliás, o Chico Buarque que leve o diploma pro Lula assinar. Se bem que o Nove Dedos só deve saber fazer um “x”.

Olha, Diário, agora até fiquei na dúvida se assino ou não o tal diploma. É que, se eu assinar, posso aproveitar pra fazer um borrão nojento com uma caneta-tinteiro, depois, com a minha Bic da Compactor, vou assinar o meu nome bem grande, em cima do dele, e, pra terminar, ainda desenho uma daquelas coisas que eu desenhava na porta do banheiro da escola.

É, acho que vou fazer isso. Meus eleitores vão gostar. Eles acham engraçado tudo o que eu faço. Se bem que dessa vez nem o pessoal da Jovem Pan ficou do meu lado. E olha que lá até canhoto é de direita.

Chico Buarque, apesar de você amanhã há de ser outro dia.

Opa! Peraí! Essa frase não é de uma música dele? Ah, que ódio, que ódio, que ódio!

@diariodobolso



Conteúdo Relacionado