Arte/Humor

Diário do Bolso, 2 de agosto de 2019

 

02/08/2019 11:32

 

 
Diário, na semana que vem vou indicar oficialmente o Dudu para embaixador. Ah, que orgulho para um pai! Quem diria que aquele garoto que tirava notas ruins na escola ia chegar tão longe?

A imprensa lulomarxista vai reclamar, mas o Dudu é um garoto gabaritado: nunca estudou em escola pública!

Tenho certeza que vai ter gente dizendo que é nepotismo. Mas é isso mesmo, talkei? Vou ajudar a família dos outros antes da minha?

Eu sou assim, protetor, há muito tempo.

Por exemplo, quando eu era casado com a Ana Cristina, eu empreguei a parentalha toda. Ela foi nomeada para um cargo no gabinete do Carluxo, no gabinete do Flávio passaram nove parentes dela e eu empreguei cinco no meu gabinete na Câmara dos Deputados: a irmã, o irmão, dois primos e a mãe dela. Pô, empreguei até a sogra, que família unida, hein?

E a maioria do pessoal morava em Rezende.

Isso aí você sabe pra que que é, né Diário? Pois é. Cada um tem a bolsa-família que merece. Se bem que no meu caso é bolso-família, kkk!

Por causa do cargo de embaixador, no churrasco de domingo vão dizer que o Dudu é meu preferido. Mas é injustiça. O Flavinho foi meu estagiário na Câmara dos Deputados quando tinha só 19 anos. Ele trabalhava 40 horas por semana em Brasília e ao mesmo tempo, no Rio de Janeiro, fazia faculdade de Direita, quer dizer, de Direito.

Você quer saber como ele estava nos dois lugares ao mesmo tempo, Diário? Não estava, né. Mas era um carguinho de nada. Hoje ia render só uns 13,5 mil por mês.

Olha, Diário, minha árvore genealógica é um pé de laranja.

Acho até que vou mudar meu lema para “Família acima de tudo. E a minha acima de todas”, kkk!

@diariodobolso



Conteúdo Relacionado