Arte/Humor

Diário do Bolso, 20 de agosto de 2019

 

20/08/2019 12:30

 

 
Pô, Diário, o almoço de família desse domingo teve mais briga que convenção de partido de esquerda.

Tudo começou porque o Carluxo quis dar uma resposta pro Freixo, que escreveu assim no Twitter: “E aí, @SF_Moro, você vai continuar nesse silêncio constrangedor enquanto o seu chefe @jairbolsonaro desmoraliza a Polícia Federal pra blindar o Queiroz e proteger a família?”

O Carluxo, que não tem sangue de barata, respondeu: “Aí maluc(x), o que tem pra falar sobre estes casos dos amigos do PSOL?”. E colocou uma lista de investigados pelo Coaf. Mas esqueceu de tirar o Flavinho.

Por causa disso, o 01 e o 02 comeram a macarronada bem caladões. Um nem olhava para o outro.

A Michelle também não estava muito de conversa, porque a Veja descobriu que a avó dela era traficante, a mãe foi indiciada por falsidade ideológica e um tio foi preso como miliciano.

Já eu fiquei calado porque estava jogando WarWitzel no celular (é um jogo em que você atira de um helicóptero, mas tem que mirar nos inocentes. Se acertar miliciano perde ponto).

Só o Dudu é que falava alguma coisa. Ele estava com um fone de ouvindo e ficava repetindo: “Dã buque isom dã teibol, dã buque isom dã teibol...”. Deve ser alguma língua árabe que ele está aprendendo.

Então, uma hora lá, o Flavinho não aguentou e explodiu: “Pô, Carluxo, como é que você me bota na lista de corruptos?”.

“Já apaguei, pô.”

“Ainda bem, senão eu é que te apagava.”

O Carluxo suspirou, revirou os olhos e disse: “Deixa de ser nervosete, Flavinho. O papai já tirou o Saadi da Polícia Federal, vai trocar o superintendente da Receita no Rio, já avisou que vai mandar o presidente do Coaf embora, fez o Toffoli brecar a investigação e o Moro está dando uma de cego. Tá tudo dominado. Para de fazer draminha.”

Aí Flavinho deu um soco na mesa e disse: “Draminha é o cacete! Não é você que tem que aguentar engraçadinho no Twitter, dizendo ‘Até o teu irmão sabe que você é corrupto, hein?’. Não tinha nada que ter postado aquilo. Daqui a pouco você vai dizer onde está o Queiroz, seu burraldino!”

“Opa! Burraldino, não!”, gritou o Carluxo jogando uma mão cheia de macarrão na cara do Flavinho. O Flavinho arregalou os olhos e ficou um instante parado. Depois virou seu prato na cabeça do Carluxo e começou a maior briga macarrônica.

A Michelle saiu da mesa chorando e eu fui jogar WarWitzel na sala, pra não cair molho no meu celular. Só o Dudu que ficou lá com eles, de olhos fechados e repetindo: “Dã buque isom dã teibol, dã buque isom dã teibol...”

@diariodobolso

Conteúdo Relacionado