Arte/Humor

Diário do Bolso, 3 de novembro de 2020

 

03/11/2020 13:14

 

 
Ah, Diário, hoje é o grande dia!

O Donald vai conseguir a reeleição? Ai, ai, ai...

Se ele não se reeleger, a coisa vai ficar preta. Ou azul, que é a cor dos comunistas do Partido Democrata. Aquele tal de Bidê não pode ganhar! Senão vai chegar com aquele papinho de preservar a Amazônia, que não pode fazer queimada e coisa e tal...

O Ricardo Salles e o Ernesto Araújo estão morrendo de medo. O Ernesto até encomendou uma vela de sete dias para o Trump. E com o formato da Estátua da Liberdade. O Ricardo fez questão de acender. Mas usou um lança-chamas. Estragou tudo.

Mas o pior é que a derrota do Trump pode inspirar outros lugares por aí a desistirem da direita. Já não basta a derrota na Bolívia e a nova Constituição no Chile? Que isso? É festa agora?

Pô, o Trump estava sendo tão legal comigo... Me deu um bocado de cloroquina que ele não ia usar, mandou uns tanques de guerra velhos pro Exército, até me ofereceu um terno meio puído que ele não usava mais (só não aceitei porque ficava muito grande).

Mas eu sei que ele não vai entregar a rapadura fácil, não. Vai brigar até o fim. É capaz de se esconder embaixo da mesa da sala oval se precisar.

A tática do loirão vai ser dizer que a eleição foi fraudada. Vou ver direitinho como é que ele vai fazer, porque daqui a dois anos talvez precise imitar esse negócio por aqui. Aliás, no começo desse ano eu já disse que tinha provas de fraude na eleição brasileira e que eu devia ter vencido no primeiro turno. Prometi que ia mostrar tudo em breve. Mas nunca mostrei, é claro. Só estava passando a manteiga para preparar o caminho.

Sabe, Diário, no tocante à eleição do Trump, eu ando tão preocupado que hoje de manhã até rezei um Pai Nosso. Mas dei uma mexida no texto. Ficou assim:

Pai Nosso que estais na Record,

politicado seja o vosso nome,

mande ao Trump os vossos votos,

para que seja feita a minha vontade,

assim no Brasil como nos EUA.

O eleitor de cada dia nos dai hoje

e não deixeis o Donald perder a eleição,

senão vou me dar mal,

amém.

Ah, Diarinho, hoje é o Dia “D”. Só não sei se é “D” de Donald ou de Desastre.

#diariodobolso



Conteúdo Relacionado