Arte/Humor

Diário do Bolso, 3 de setembro de 2021

 

03/09/2021 10:34

(Reprodução)

Créditos da foto: (Reprodução)

 
Diário, o dedodurismo é a maior maldição que existe na política brasileira.

O cara participou do esquema, fica quieto, pô!

Não tem nada que ficar falando pra Deus e o mundo o que fez e o que não fez. Pede atestado médico, mente na cara dura, se esconde na casa do advogado, faz qualquer coisa, mas não dá com a língua nos dentes!

Agora foi a vez do Marcelo Nogueira, que trabalhou de 2003 a 2007 no gabinete do Rachadinho, digo, Flavinho, confessar que tinha que devolver 80% do salário. Pô, ninguém orientou o cara pra ficar calado? Não tem um Wassef genérico pra cuidar dele?

O Marcelo ainda falou que ficava com 20% porque trabalhava de verdade. Mas os que não trabalhavam, que eram laranjaspuros, ficavam só com uma mixaria e entregavam quase tudo pra Ana Cristina, que era minha mulher na época.

Ele também reclamou que esse negócio de 80% incluía o 13º salário, as férias, o vale-alimentação e até a restituição do Imposto de Renda. Mas é claro, pô! Quer moleza? Come maria-mole! Senta no pudim! Toma sopa de minhoca! Casa com velho broxa! Opa! Aí, não.

Mas o que é certo é certo, talkei? Combinou, não pode reclamar depois.

Pô, o Marcelo é gay e preto, mas era tratado quase como gente da família. Erauma espécie de babá do Jair Renan. Quando me separei da Ana, pedi para ele ficar cuidando do Renanzinho. Até ajudava dando um troco por fora.

Nos últimos anos ele trabalha pra Ana Cristina lá em Resende. O problema começou quando ela se mudou pra Brasília. A Ana trouxe o cara para fazer tudo na casa: limpar, lavar, passar e o escambau. Combinou que ia dar R$ 3 mil por mês. Mas só deu R$ 1,3 mil. Pô, a Ana deixava ele morar com ela e o cara ainda queria receber? Eita povinho ingrato!

O Marcelo também falou que a casa em Brasília é da Ana Cristina, que ela comprou usando um laranja.

Pelo jeito, eu e os meninos vamos ter que jogar toda a culpa nela. Tudo bem, ex-mulher é pra isso mesmo.

Olha,Diário, a nossa bandeira jamais será vermelha. Mas em laranja até que ela fica bonita.

#diariodobolso

PS: O Marcelo contou tudo isso prum jornalista chamado Guilherme Amado. Deve ser filho do tal do Jorge, aquele escritor comunobaiano que escreveu “Dona Gabriela e seus dois maridos: Cravo e Canela”.



Conteúdo Relacionado