Arte/Humor

Diário do Bolso, 8 de julho de 2021

 

08/07/2021 11:32

(Aroeira)

Créditos da foto: (Aroeira)

 
Diário, a novelinha do UOL continuou. O capítulo de hoje foi sobre o Queiroz, meu amigão.

Nós íamos ao Maracanã juntos, pescávamos juntos em reserva ambiental, e estávamos juntos na inauguração da loja de chocolate do Flavinho. Ele até tirou foto com o Parreira.

O Queiroz era amigo de fazer xixi cruzado. Não, mais que isso! Era amigo de fazer xixi cruzado e de olhos fechados, porque a gente sabia que um não ia respingar no outro.

Mas respingou.

O Queiroz também era amigão do Adriano, aquele miliciano que acabou morto na Bahia. Os dois foram policiais. Até mataram gente juntos. O Adriano foi homenageado pelo Carlos e pelo Flavinho. Eu pessoalmente fui no julgamento dele e fiz discurso a seu favor na Câmara. E a ex-mulher do Adriano foi nomeada no gabinete do Flavinho por dez anos.

Bom, deixa eu voltar pro Queiroz.

Quando estourou o caso das rachadinhas, ele sumiu. E a pergunta mais perguntada no Brasil era: “Cadê o Queiroz?”.

Minha vontade era responder: “Está no meu coração!”. Mas eu me continha. A gente tem que ser forte nessas horas.

O Queiroz se acoitou numa casa do meu advogado, o Wassef. Mas a vida dele e da família andava muito chata. A Márcia, sua mulher, já não aguentava mais.

Aí, ela, a Vera (mãe do Adriano) e o advogado Gustavo Botto Maia começaram a pensar num plano de fuga.

Pô, ia ser um final feliz de filme de bandido, tipo “A Casa de Papel”.

Mas antes disso, o Ministério Público fez uma busca e apreensão nas casas dos Queirozes e pegaram o celular da Márcia. Daí chegaram no coitado, lá em Atibaia.

Então ele foi preso e teve aquele bafafá todo. Mas, graças a Deus, e mais ainda aos advogados e aos juízes, deram direito a prisão domiciliar pra ele e pra Márcia.

Hoje o Queiroz vive num apartamento de 60 metros quadrados na zona oeste do Rio de Janeiro. Pelo menos o prédio é bom. Tem sauna, piscina, essas coisas. E ele pode usar a sala de musculação. Só é chato correr na esteira ergométrica usando aquela tornozeleira eletrônica.

Enfim, Diário..., em vez de “A Casa de Papel”, a história dele ficou mais pra “A Casa de Papel Higiênico”.

@diariodobolso



Conteúdo Relacionado