Pelo Mundo

23 de fevereiro de 2013. Querido Slavoj,

Leia a correspondência entre Tolokonnikova, que atualmente cumpre pena num hospital da Sibéria, e Zizek. Tradução de Rodrigo Giordano.

24/11/2013 00:00

.

23 de fevereiro de 2013
 
Querido Slavoj,

Uma vez, no outono de 2012, quando eu ainda estava sendo julgada em Moscou com as outras ativistas do Pussy Riot, eu lhe visitei. Em um sonho, claro.

Pussy Riot tornou-se parte dessa força cuja finalidade é a crítica, a criatividade e a co-criação, experimentação e constantes eventos provocativos. Pegando a definição de Nietzsche emprestada, nós somos as filhas de Dionísio, navegando em um barril, sem reconhecer qualquer autoridade.

Nós somos parte desse movimento que não possui respostas finais ou verdades absolutas, nossa missão é questionar. Há os arquitetos da estática apolínea e há as cantoras punk da dinâmica e da transformação. Um não é melhor que o outro. Mas apenas juntos podemos garantir as funções do mundo da forma como Heráclito definiu: "Este mundo tem sido, e eternamente será, vivido no ritmo do fogo, inflamado de acordo com as ações, e morrendo de acordo com as ações. Essa é a função da respiração eterna do mundo".

Nós somos os rebeldes pedindo pela tempestade, e crendo que a verdade só pode ser encontrada numa busca sem fim. Se o "Espírito do Mundo" o toca, não espere que seja sem dor.

Laurie Anderson cantou: "Apenas um especialista pode lidar com o problema." Seria bom se eu e Laurie pudéssemos reduzir esses especialistas e resolver nossos próprios problemas. Porque o status de expert não garante acesso garantido ao reino da verdade absoluta.

No momento certo, sempre acontecerá um milagre nas vidas daqueles que infantilmente acreditam no triunfo da verdade sobre a mentira, da assistência mútua, daqueles que vivem de acordo com as economias da dádiva.
 
Nadia


Leia a próxima carta aqui.

Leia o resto da correspondência aquiaquiaquiaqui e aqui

Conteúdo Relacionado