Leituras

Defensor Público lança livro explorando o bolsonarismo, as Fake News e a operação Lava Jato

De acordo com o autor, trata-se de uma obra que todos devem ter acesso para terem uma melhor compreensão e não serem enganados pelos discursos, teorias e projetos da direita brasileira.

13/11/2019 09:41

(Divulgação)

Créditos da foto: (Divulgação)

 
O Bolsonarismo, a Operação Lava Jato e o avanço da direita no Brasil são alguns temas incluídos no livro Fanatismo e Manipulação: o esquema da nova colonização do Brasil, que foi recentemente lançado na 9ª Bienal do Livro em Maceió pelo defensor público Othoniel Pinheiro.

De acordo com a Pontes Editores de Campinas, o livro traz aspectos históricos e atuais para abordar a formação do reacionarismo no Brasil, a criminalização dos movimentos sociais, os programas policialescos de TV, o discurso de ódio, o fanatismo político, as manifestações de rua em 2013, a demonização da política, a derrota de Aécio Neves em 2014, o impeachment de 2016, o movimento Escola sem Partido, o avanço do obscurantismo religioso, a seita formada por Olavo de Carvalho, a prisão de Lula, as Fake News nas eleições de 2018, o ativismo partidário de setores do Ministério Público e do Poder Judiciário, entre outros temas interessantes.

Um aspecto muito importante é que não podemos entender o cenário atual do Brasil, sob o viés autoritário, machista, patriarcal, homofóbico e com defeituosa inclinação democrática, sem uma necessária análise de seu passado de violências físicas, emocionais e estruturais perpetradas com o objetivo de dominação e manutenção dos poderes da elite dominante.

Assim, o incômodo de alguns com a ascensão dos mais pobres nos governos petistas, a psicologia autoritária em não aceitar a derrota em 2014, o golpe de Estado travestido de pedalada fiscal, o discurso da meritocracia, a pré-disposição à violência, o ódio manifesto, o uso da mentira descarada como forma de fazer política, entre tantas outras manifestações, possuem explicações históricas e psicossociais nas raízes da formação do povo brasileiro sem as quais não podemos entender tais fenômenos da atualidade de maneira adequada.

Nesse contexto, analisando cada um dos tópicos Fanatismo e Manipulação: o esquema da nova colonização do Brasil mostra ao leitor que a ascensão do bolsonarismo passa a ser melhor entendida mediante análises históricas e sociológicas das raízes da formação psicossocial do povo brasileiro, onde poderemos encontrar respostas para saber os motivos pelos quais indivíduos absurdamente lobotomizados perdem suas autonomias e senso crítico para defender cegamente interesses exclusivos das elites dominantes, que atualmente são formadas pelos bancos privados e pelos principais rentistas do sistema financeiro.

Tudo isso é narrado sem dispensar o papel fundamental da Guerra Híbrida nesse contexto, por meio da qual países como os Estados Unidos tentam tenta liquidar a soberania brasileira em meio a uma disputa geopolítica mundial com preocupantes reflexos na América Latina.

A eleição de Jair Bolsonaro é bastante explorada na obra, destacando aspectos como o uso das redes sociais para a propagação de informações falsas, o uso da religião para fins políticos, a utilização de clichês rasos e da mentira como armas políticas, bem como a participação do ex-estrategista da Casa Branca no governo Trump, Steve Bannon, nas eleições brasileiras em 2018.

Já as críticas à Operação Lava Jato, destacada como um projeto de poder, são elaboradas a partir traços primitivos, anti-intelectuais e autoritários de uma parte do povo brasileiro, onde estão presentes o culto à ditadura militar, a demonização da política, a tolerância com arbitrariedades praticadas por agentes do Estado e o uso do Poder Judiciário para influenciar nas eleições presidenciais.

De acordo com o autor, “trata-se de uma obra com 325 páginas que todos devem ter acesso para não serem feitos de imbecis pelas ideias, teorias e propostas empurradas por aqueles que querem colonizar e roubar o nosso país”.

O livro está sendo vendido inicialmente pela Pontes Editores de Campinas, bem como pelo site da Martins Fontes Paulista.



Conteúdo Relacionado