Leituras

Gramsci, ambientalista para os pequenos

No fim deste mês será publicado pela primeira vez no Brasil o conto de tradição sarda e transcrito por Antonio Gramsci, 'O rato e a montanha'

13/09/2019 19:02

(Divulgação)

Créditos da foto: (Divulgação)

 
Pela primeira vez publicado no Brasil, o volume com o conto O rato e a montanha, uma história que vem da tradição oral da Sardenha, foi transcrito por Antonio Gramsci em 1933 e estará disponível nas livrarias no fim deste mês de setembro.

O filósofo marxista, originário da região, em junho daquele ano se encontrava preso e a transcrição do conto produzida por ele foi enviada em uma de suas cartas à mulher pedindo que ela recontasse a história para seu filho, Delio.

Cumprindo o desejo do saudoso pensador sardo, a artista catalã Laia Domènech, agora, especialista em ilustração de livros infantis, deu vida gráfica à jornada desse incansável ratinho, publicada no Brasil pela Boitempo.

Além da importância de Gramsci como autor, o livro se mostra bastante atual. Ele fala das consequências ambientais da atividade humana no planeta.

O início da história:

‘’Um rato bebe um copo de leite, sem se dar conta que era a única coisa que uma mãe tinha para alimentar seu bebê. O bebê acorda chorando de fome, e a mãe chora porque não tem como alimentá-lo. Arrependido, o rato parte para buscar mais leite com a cabra, mas o que parecia uma tarefa simples revela-se uma longa jornada a fim de reverter os estragos da guerra e da exploração incansável do meio ambiente e dos bens comuns.’’

El ratón y La montaña foi traduzido por Luiz Sérgio Henriques e Thaisa Burani e sua leitura é indicada para ser compartilhada com o pré-leitor (de até cinco anos), pelo leitor iniciante, de 6 a 7 anos e pelo leitor autônomo, de idade entre oito e nove anos.O volume tem 44 páginas.

Clique aqui para mais informações

Conteúdo Relacionado