Leituras

Livro conta 21 histórias de estudantes que lutaram pela educação

 

12/03/2021 17:38

(Divulgação)

Créditos da foto: (Divulgação)

 
Pode um estudante mudar a escola? É uma dúvida para muita gente, inclusive os próprios estudantes. A Associação Quero na Escola lançou recentemente um livro que reúne diversas experiências importantes, de estudantes de diferentes partes do mundo, que lutaram por novos paradigmas na educação não deixa dúvidas: a resposta é sim. A obra “21 Histórias de Estudantes que Mudaram a Escola” é uma coletânea de casos reais, de adolescentes que conseguiram, de alguma forma, transformar sua própria escola e, às vezes, até mesmo o sistema educacional.

Se tratam de pessoas de carne e osso, que ainda muitos novas precisaram lutar para ter acesso à educação ou melhorar a educação que eles e seus colegas recebiam. No livro, há casos mundialmente famosos, como os de Malala Yousafzai, que lutou pelo direito das meninas estudarem, e de Greta Thunberg, que se tornou a maior voz contra o aquecimento global ao escolher faltar às aulas. Mas há também histórias emocionantes que nunca ganharam os holofotes ou que não são vistas como se tivessem sido feitas por pessoas ainda nos bancos escolares. São histórias que merecem ser conhecidas por todos.

A Associação Quero na Escola trabalha há anos incentivando ações que visem dar protagonismo aos alunos, e perceberam que muitas vezes os estudantes não se veem como pessoas capazes de sugerir mudanças na educação.

“A escola parece para eles um sistema estático, com regras que só os adultos podem mexer. As 21 narrativas do livro mostram que a verdade é bem diferente: os alunos têm sim grande poder e quando o usam mobilizam muito mais”, diz Cinthia Rodrigues, uma das autoras.

Outra das autoras do livro é Luciana Alvarez, que afirma que “reunir histórias de conquistas educacionais promovidas pelos adolescentes – e não pelos governos, estudiosos ou professores – colabora para o grande esforço da atualidade de colocar os alunos no centro do processo de ensino-aprendizagem. Queremos que essa centralidade seja plena”.

Cinthia Rodrigues e Luciana Alvarez são jornalistas com mais de 10 anos de experiência na cobertura de temas relacionados à educação, tendo atuado em jornais como O Estado de São Paulo e Folha de São Paulo, além de revistas como Nova Escola e Educação. Ambas são cofundadoras da Associação Quero na Escola.

O livro está em campanha de financiamento coletivo, na qual se pode contribuir com valores a partir de 50 reais. Para conhecer melhor o projeto e os benefícios que a campanha oferece basta clicar neste link: https://www.catarse.me/21estudantes.

Os valores arrecadados na campanha serão usados para financiar o trabalho da Associação Quero na Escola, uma organização não governamental criada em 2015 com o objetivo de contribuir com a educação pública em suas demandas reais dos estudantes por aprendizados além do currículo obrigatório, fomentar o debate na sociedade sobre essa necessidade e atender às solicitações dentro das próprias escolas públicas.






Conteúdo Relacionado