Leituras

O Brasil fora do armário

Conquistas, direitos, lutas sociais e diversidade sexual e de gênero são temas de livro recém lançado

06/12/2020 14:42

(Reprodução)

Créditos da foto: (Reprodução)

 
Leonardo Nogueira, Maysa Pereira e Rafael Toitio são os autores do volume O Brasil fora do armário: diversidade sexual, gênero e lutas sociais, recém lançado, que vem contribuir para a reflexão, sob perspectiva marxista, dos principais desafios enfrentados pelas mulheres e LGBT s. Nas suas páginas, as suas principais conquistas e projetos de futuro no que se refere à construção e efetivação da igualdade de direitos.

Os autores partem da recuperação histórica sobre sexualidade e gênero no mundo e no Brasil para, em seguida, situar, na perspectiva dos movimentos sociais, alguns elementos centrais da luta desses segmentos.

Com esta panorâmica, é possível vislumbrar os diversos caminhos para o reconhecimento destas pautas pelo conjunto dos brasileiros interessados no fim das desigualdades, e que superam o identitarismo e também o preconceito em relação ao que se denomina pauta identitária.

É uma leitura importante e que vem qualificar o debate sobre gênero e sexualidade na luta geral pela emancipação humana, voltada para mulheres e LGBT s, pesquisadores, militantes populares, estudantes, professores, e sociedade brasileira em geral.

Introduzindo o trabalho, abaixo trechos do texto:

“Este livro se insere na batalha das ideias com o objetivo de evidenciar a relevância de uma abordagem que considere gênero e sexualidade como elementos indivorciáveis da sociabilidade humana e, portanto, elementos que não podem ser mecanicamente excluídos das análises sobre a sociedade em seus aspectos estruturais e conjunturais''.

''[...] A diversidade sexual e de gênero precisa ocupar um espaço coerente na reflexão e na ação política, evitando o engodo de encará-la como subproduto de uma ‘cortina de fumaça’. Para tanto, é necessário recuperar o lugar e o papel, na nossa sociedade, da sexualidade e das relações patriarcais de gênero (entendidas aqui, inicialmente, como as relações nas quais os homens exercem, predominantemente, o poder e as funções de autoridade moral, política, social e econômica, e todas as consequências que esta situação desigual acarreta)''.

''Essa recuperação pode se dar com base nos fundamentos históricos do desenvolvimento do ser social, dos debates sobre a particularidade da formação social brasileira e das análises de conjuntura política''.

''Também se torna fundamental investigar como o imperativo do heterossexismo (ou seja, a heterossexualidade como única forma de desejo sexual) e da cisgeneridade (quando a única identidade de gênero aceita é a que corresponde à atribuída no nascimento) se articulam com as determinações de classe, raça/etnia e gênero”.

Leonardo Nogueira, um dos autores, é assistente social, doutorando no Programa de Pós-graduação em Serviço Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro e é professor do Departamento de Serviço Social da Universidade Federal de Ouro Preto. Um dos autores de Hasteemos a bandeira coloridadiversidade sexual e de gênero no Brasil , Ed. Expressão Popular. Maysa Pereira é engenheira agrônoma, doutoranda no Programa de Pós-graduação em Plantas Medicinais Aromáticas e Condimentares da Universidade Federal de Lavras. E Rafael Toitio é cientista social, doutor em Ciências Sociais pelo Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais da Universidade Estadual de Campinas, e é professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte.

O volume se inscreve na Coleção Emergências da Editora Expressão Popular.



Conteúdo Relacionado