Leituras

Rosa Luxemburgo na contracorrente

 

21/03/2021 15:47

(Reprodução)

Créditos da foto: (Reprodução)

 
Publicado no mês de aniversário dos 150 anos de Rosa Luxemburgo, o livro do cientista político argentino Hernán Ouviña oferece uma introdução à vida e à obra da pensadora, revelando o potencial do seu pensamento para o contexto político latino-americano.

O autor destaca nos escritos de Rosa a abordagem de temas caros para a militância do século XXI, como ecossocialismo, antipatriarcalismo, anticolonialismo e internacionalismo, além da valorização das formas de vida comunitárias e não capitalistas.

Sem perder de vista as contribuições teóricas da autora, Hernán indica como a trajetória política de Luxemburgo pode ajudar a recriar a luta em prol da emancipação na contemporaneidade a partir de uma compreensão da teoria marxista. Não como um sistema acabado a ser “aplicado”, mas como uma caixa de ferramentas e um estímulo para o pensamento crítico e a ação disruptiva.

Os capítulos deste livro buscam abrir uma janela por onde se vislumbra as diferentes inquietações e urgências que, para Rosa, remetem a problemas candentes e núcleos traumáticos que precisam ser discutidos, encarados e resolvidos de forma coletiva e sem receituário prévio para que a construção do socialismo seja um projeto civilizatório alternativo.

O autor, Hernán Ouviña, é graduado em ciência política e doutor em ciências sociais pela Universidade de Buenos Aires (UBA), professor da Faculdade de Ciências Sociais da UBA e pesquisador do Instituto de Estudos Latino-Americanos e Caribenhos da mesma instituição.

Ouviña organiza e é autor também de livros e materiais voltados para o pensamento crítico e a realidade latino-americana. Entre eles: Zapatismo para principiantes (2007); Gramsci y la educación: pedagogía de la praxis y políticas culturales en América Latina (2011) e Reinventar a los clásicos: las aventuras de René Zavaleta Mercado en los marxismos latinoamericanos (2018).

Para a degustação do trabalho, trecho de um dos capítulos:

''Rosa navega na contracorrente e, apesar de tais adversidades, exercita uma militância criativa de qualquer ângulo que se observe. Assume sua condição subalterna para superá-la e fazer dessa possível limitação uma virtude autoafirmativa, trincheira onde se proteger e lutar a plenos pulmões, contra ventos e marés. Rompe cada um dos mandatos que a sociedade lhe pretende impor e pratica com extrema ousadia um ativismo febril e intransigente, sempre em favor dos/as mais fracos/as ou subjugados/as por esse sistema. E, para os inimigos, recomenda um método infalível que sempre dá bons resultados: “Polegares nos olhos e joelhos no peito!”.

*Rosa Luxemburgo e a reinvenção da política: Uma leitura latino-americana
Editora Boitempo
184 páginas


Conteúdo Relacionado