Mãe Terra

'Indo na direção certa', presidente eleito Obrador promete proibir fratura hidráulica

Ambientalistas estão pressionando-o para 'ir mais além e comprometer-se a fazer a transição do México rumo a um futuro de energia renovável completamente limpa'

07/08/2018 11:02

O presidente eleito mexicano Andrés Manuel López Obrador, ou AMLO, em um comício em 2013. (Foto: ProtoplasmaKid/Wikimedia/cc)

Créditos da foto: O presidente eleito mexicano Andrés Manuel López Obrador, ou AMLO, em um comício em 2013. (Foto: ProtoplasmaKid/Wikimedia/cc)

Por Jessica Corbett, redatora da equipe
  
O presidente eleito do México, Andrés Manuel López Obrador, ou AMLO, cuja vitória no mês passado deixou muitas pessoas esperançosas quanto à nova etapa da nação, recebeu elogios de ambientalistas ao prometer na quarta-feira que proibirá a fratura hidráulica, um método controverso de se extrair gás natural que é frequentemente chamado de fracking.
 
“Essa é a liderança que precisamos em relação ao clima”, afirmou a 350.org.
 




 

ÚLTIMA HORA: o presidente recentemente eleito do México, Lopez Obrador, promete banir o fracking.

Esta é a liderança que precisamos em relação ao clima.

O “plano para banir o fracking no México representa a mais recente decisão de senso comum de um líder mundial quanto a proibir essa prática inerentemente tóxica e poluente”, disse o diretor-executivo da Food & Water Watch, Wenonah Hauter, à DeSmog.

“O presidente eleito Obrador está indo na direção certa em diversos assuntos, incluindo a energia e o meio ambiente”, adicionou Haute. “Ele pode ir mais além e comprometer-se a fazer a transição do México rumo a um futuro de energia renovável completamente limpa, criando assim um exemplo extraordinário para seus vizinhos ao norte”.

López Obrador, que assumirá o cargo em primeiro de dezembro, fez o anúncio sobre o fracking em uma conferência de imprensa na quarta-feira. “Não usaremos mais esse método para extrair petróleo”, afirmou, de acordo com The Associated Press.

Ele também protestou contra a privatização realizada em 2013 das reservas de petróleo e gás que há muito eram controladas pela estatal Comissão Federal de Eletricidade (CFE), com a seguinte declaração: “Os governos neoliberais deliberadamente fecharam as plantas da CFE para comprar eletricidade de empresas estrangeiras a preços muito altos... Tudo isso será corrigido.”

Enquanto Hauter apelava a AMLO para marcar o início de uma nova era de energia limpa, como o Washington Post relatou na quarta-feira, “nos últimos dias López Obrador disse que investiria $ 9,4 bilhões no setor estatal, incluindo duas novas refinarias de petróleo e a renovação de seis já existentes”.

Thomas Tunstall, diretor de pesquisa da Universidade do Texas no Instituto de Desenvolvimento Econômico em San Antonio, apontou, para DeSmog, que o México “tem substanciais reservas convencionais de petróleo e gás inexploradas”. Ele também afirmou que a nação continuará a construir gasodutos porque eles “são muito menos caros do que o transporte através de carros-tanque de GNL”.

Em meio às celebrações da promessa de AMLO de banir o fracking, a Dra. Sandra Steingraber, uma bióloga baseada em Nova York e ativista contra o fracking, relembrou os planos do presidente eleito para o petróleo e encorajou-o a ouvir os ativistas do México contra gasodutos que estão “arriscando sua vida e sua liberdade” em sua luta contra a energia suja:

 



 

Liderança em relação ao clima? Hum. O presidente eleito também se compromete a incrementar a produção de petróleo/refinarias.

Solidariedade com os ativistas de gasodutos e contra #fracking nas linhas de frente do MX, arriscando sua vidas e sua liberdade. Vamos ouvi-los.

Tradução: Nina Torres Zanvettor

Publicado originalmente em Common Dreams

Conteúdo Relacionado