Mídia

Espetáculo mais premiado de 2002, "Novas Diretrizes Em Tempos De Paz" realiza temporada em Sp

20/06/2003 00:00

Agência Carta Maior

Desta vez com a presença do ator Tony Ramos no elenco – vencedor do Prêmio Shell no Rio de Janeiro por sua atuação, sua primeira premiação de teatro em 40 anos de carreira – ao lado de Dan Stulbach, que após receber os prêmios da APCA (Associação Paulista dos Críticos de Arte) e Shell em São Paulo, tornou-se o ator mais premiado de 2002 no teatro, o espetáculo "Novas diretrizes em Tempos de Paz" iniciou nova temporada paulistana até 31 de agosto no Teatro Hilton. O texto é de Bosco Brasil, também vencedor dos prêmios APCA e Shell no ano passado, com direção de Ariela Goldmann e iluminação de Gianni Ratto, outro premiado com o Shell, em São Paulo.


Convidado em 2001 a participar pelo Teatro Ágora de um ciclo de dramaturgia, Bosco Brasil encontrou ocasionalmente com Dan Stulbach, logo após o atentado de 11 de setembro. Movido pela conversa e com uma antiga disposição em homenagear os imigrantes que colaboraram com a formação da cultura brasileira no pós-Segunda Guerra, Bosco criou uma fábula de época, influenciada por acontecimentos recentes como o próprio ataque ao World Trade Center. "O clima de incertezas que cerca estes momentos tem muitas semelhanças. No caso do teatro, era preciso saber se ainda havia espaço para sua continuidade diante de tanta tensão", lembra o autor.


Depois de apresentar suas idéias para Dan Stulbach, que aceitou interpretar o personagem Clausewitz, Bosco finalmente escreveu o texto, de início para ser encenado somente no evento do Ágora. "Dois anos depois, continuamos com o espetáculo", completa.


Sinopse – A trama se desenrola em abril de 1945, ao fim da Segunda Guerra Mundial. É quando o sr. Clausewitz (Dan Stulbach), um polonês disposto a esquecer o horror nazista vivido em sua terra natal, chega ao Brasil. Em busca de uma nova vida, disposto a trabalhar como agricultor, ele chega à Alfândega somente com a roupa do corpo e um relativo conhecimento do idioma português. Porém, é barrado por um sisudo funcionário da Imigração chamado Segismundo (Tony Ramos), que, apesar de ser incapaz de desobedecer uma ordem, foi afastado e esquecido pelos chefes. Como o país ainda estava tecnicamente em guerra, aguardando o armistício oficial e as novas diretrizes em tempos de paz, exigia-se dos imigrantes um salvo-conduto para poderem se deslocar.


Clausewitz então se vê dependente da aprovação de Segismundo para permanecer no Brasil. Para piorar a situação do imigrante, experiente na "arte" de obter a verdade, Segismundo logo percebe que o pseudo-agricultor está mentindo. E faz uma proposta inesperada: se conseguir fazer Segismundo chorar, ele fica no Brasil; se não conseguir, voltará ao navio cargueiro de onde veio, que irá zarpar em dez minutos. Dá-se então um intenso embate de dois homens, que irmanados em suas derrotas pessoais, vão em busca da emoção, que poderá ou não devolvê-los a humanidade.


Emoção - "Decidi fazer a montagem numa leitura com Dan, Bosco e Ariela. Fiquei muito comovido. E foi esta emoção que me convenceu. É um texto especial, numa montagem idem" diz Tony Ramos. "Contracenar com o Tony é um enorme prazer, tal como acreditar em tudo que estamos dizendo com a peça. De alguma maneira, se chegamos até aqui, é porque o público também sentiu a mesma coisa" retribui Dan Stulbach, que por conta de seu trabalho no espetáculo foi convidado para "Mulheres Apaixonadas" – novela da TV Globo em que interpreta o personagem Marcos, também ao lado de Tony Ramos.


A direção de Ariela Goldmann concentra-se na interpretação dos atores e na síntese de uso dos elementos cênicos, ressaltando assim a carga dramática do texto. E é aí que entra a iluminação de Gianni Ratto, figura única da história do teatro brasileiro, que delicadamente desenha o espaço cênico, composto apenas por duas cadeiras, uma mesa e a máquina de escrever. "Dirijo com o objetivo de servir à história. É um estilo direto, voltado para os fundamentos da interpretação e, por isso, dos mais difíceis", afirma Ariela Goldmann.


Para a diretora, "Novas Diretrizes em Tempos de Paz" é um espetáculo absolutamente sintético, mas ao mesmo tempo, multifacetado." "Já tivemos três atores interpretando Segismundo (Jairo Mattos, Pascoal da Conceição e Tony Ramos), enquanto somente Dan Stulbach viveu Clausewitz. Este contraponto contribuiu muito no desenvolvimento da montagem e, como diretora, sinto-me recompensada em constatar que ela manteve seu eixo, continua a mesma em essência".


NOVAS DIRETRIZES EM TEMPO DE PAZ


Teatro Hilton

Endereço: Av.Ipiranga, 165 - São Paulo SP – Central de Vendas - (11) 3231-1950

De 13 de junho a 31 de agosto de 2003

Sextas às 21h30, sábados às 21h e domingos às 19h

Preços:R$ 30,00

Duração: 50 min

Capacidade: 420 lugares

Classificação etária: 12 anos

Valet Service – Av. Ipiranga, 165



Conteúdo Relacionado