Mídia

Google, Facebook e Democracia

A recente notícia de que os emails do Gmail são lidos por terceiros é mais um caso que ilustra a perda de privacidade que a população tem vindo a enfrentar. Texto de Hernâni Carmo

08/07/2018 08:50

Reprodução

Créditos da foto: Reprodução

Por Hernâni Carmo

Mas se olharmos com maior atenção ao que está a acontecer, independentemente de ser um humano a ler os nossos emails em vez de uma máquina, percebemos que os nossos gostos, as nossas opiniões, as nossas ideologias, a nossa rede de amigos, isto é, os nossos dados, constituem uma fonte de poder que poderá colocar em causa o sistema democrático.

Este caso do serviço de correio eletrónico da Google é mais um que se junta ao do Facebook, que disponibilizou dados de cerca de 80 milhões de pessoas à Cambridge Analytica (empresa que trabalhava para a campanha eleitoral de Trump). Assistimos a um processo acumulativo informação sobre cada um de nós, que terá cada vez mais valor. Os dados serão cada vez mais uma fonte de poder. Tal como no caso da Cambridge Analytica, em que esses dados foram utilizados para influenciar o sentido de voto dos eleitores americanos, quem tiver na sua posse estes dados, terá o poder de nos conhecer melhor do que nós próprios nos conhecemos. Este é um tema que tem vindo a ser debatido pelo historiador Yuval Harari, que refere que pela primeira vez na história, vamos ter algo a saber mais sobre cada um de nós, do que cada um de nós sabe sobre si mesmo. Este facto colocará em causa toda a nossa liberdade individual. Não serei eu a decidir que quero comprar aquela mochila amarela, será quem tem esses dados a fazer-me comprar aquela mochila amarela, porque ele saberá exatamente como atuar de forma a que eu a compre, e eu nem perceberei que alguém está a escolher por mim. Este exemplo aplica-se exatamente da mesma forma a umas eleições políticas. É neste ponto que a democracia fica em causa. Quanto maior for a acumulação de dados, mais eficaz será esta manipulação.

Começam a surgir várias vozes que alertam e tentam combater este caminho sombrio. Como é o caso de um dos criadores da internet, Tim Berners-Lee, que se encontra a desenvolver um software que pretende retirar o controlo dos dados da população a empresas como a Google e o Facebook. A regulação tem que aumentar, têm que ser criadas medidas que não permitam a estas empresas possuir tanta informação sobre cada um de nós. Está em causa a nossa liberdade individual, a nossa liberdade enquanto sociedade. Está em causa a democracia.

Texto de Hernâni Carmo, economista e estudante de história.
 
Publicado originalmente na Esquerda.net.

Conteúdo Relacionado