Mídia

ONG de Peruíbe reúne comunidade e especialistas no seminário de lançamento do projeto Viola Peregrina

17/11/2004 00:00

Agência Carta Maior

A organização não-governamental Mongue Proteção ao Sistema Costeiro, com sede em Peruíbe, lança o projeto Viola Peregrina durante o seminário O que aprendi com meus pais. Nos dias 17, 18 e 19 de dezembro, a comunidade tradicional da Estação Ecológica Juréia-Itatins, especialistas e ambientalistas estarão reunidos para conhecer o projeto, que visa registrar a cultura caiçara por meio de vídeos, programas de rádio e oficinas de construção de instrumentos musicais típicos, como a viola iguapeana. O projeto terá duração de 18 meses e conta com o apoio financeiro da Petrobrás, por meio da Lei de Incentivo à Cultura do Ministério da Cultura.



“Com o seminário O que aprendi com meus pais, queremos estimular a participação de toda a comunidade tradicional da Juréia nas etapas do projeto como, por exemplo, na criação da Cooperativa Caiçara de Cantadores e Luthiers”, explica o secretário executivo da Mongue, Plínio Melo. Um dos destaques do seminário é a presença do professor da Universidade de São Paulo Antonio Carlos Diegues, um dos maiores especialistas em cultura de populações tradicionais. O pesquisador atuará como um observador e fará comentários sob a ótica acadêmica no encerramento do seminário.



Diversas organizações locais foram convidadas como o Grupo Ecológico do Guaraú, a Associação de Monitores Ambientais de Iguape e a Associação de Jovens da Juréia. Durante o seminário, a ONG Cala-boca Já Morreu formará grupos de trabalho para a elaboração de programas de rádio com músicas típicas e informações sobre a cultura caiçara.



O caiçara por opção José Peixe Amarante, que veio de Santos e hoje sobrevive em uma área isolada da Juréia, dará a visão de como é tornar-se um autêntico caiçara. Paula Tavares Martins, neta do patriarca da comunidade caiçara, Henrique Tavares, fará uma homenagem aos povos da mata. Exímia contadora de histórias. Ao final, haverá uma exibição de um documentário sobre a viola iguapeana e um grande baile para convidados com violeiros da Juréia.



Serviço:


Seminário O que aprendi com meus pais, lançamento do Projeto Viola Peregrina

17, 18 e 19 de dezembro de 2004

EMEF do Guaraú (Av. Cesário M. Faria,150, Peruíbe)




Conteúdo Relacionado