Mídia

Vaza Jato nos jornais - 10 de julho

 

11/07/2019 18:01

 

 

Número de textos publicados desde o primeiro dia da cobertura do escândalo (10/06/19)

Número de textos publicados desde o primeiro dia da cobertura do escândalo (10/06/19)

O dia 10 de julho manteve a tendência de redução da cobertura sobre a Vaza Jato que vínhamos verificando nos dias precedentes. As novas mensagens divulgadas pelo Intercept não foram suficientes para reacender  a cobertura, que contou com apenas 10 textos.

GLOBO

Número de textos publicados desde o primeiro dia da cobertura do escândalo (10/06/19)

Número de textos publicados desde o primeiro dia da cobertura do escândalo (10/06/19)

O diário manteve cobertura tímida, com apenas um texto no dia sobre o escândalo. Em sua coluna, Elio Gaspari critica a tática utilizada por Sérgio Moro e procuradores da Lava Jato de negarem as mensagens e transformarem a discussão em uma denúncia de parcialidade, tal qual o PT teria feito com a própria Lava Jato. O jornalista também aponta que não há fatos relevantes que permitam duvidar da autenticidade dos diálogos, mesmo que um simples conflito cronológico fosse capaz de tornar as mensagens questionáveis.

ESTADÃO

Número de textos publicados desde o primeiro dia da cobertura do escândalo (10/06/19)

Número de textos publicados desde o primeiro dia da cobertura do escândalo (10/06/19)

O Estadão também deu pouca atenção  ao  escândalo, com apenas dois textos citando a Vaza Jato, ambos neutros. O diário cita os vazamentos em matéria sobre a decisão de deputados de retirar prisão em 2ª instância de pacote anticrime de Moro. O jornal também informa que o Coaf respondeu a um pedido de informações sobre uma possível investigação das movimentações financeiras de Glenn Greenwald. O Conselho alegou sigilo e não confirmou a investigação.

FOLHA

Número de textos publicados desde o primeiro dia da cobertura do escândalo (10/06/19)

Número de textos publicados desde o primeiro dia da cobertura do escândalo (10/06/19)

A Folha continua com a maior cobertura diária, com sete textos que citam a Vaza Jato. Na coluna Painel, Daniela Lima aponta que a cisão entre os ministros do Supremo Tribunal Federal tem se aprofundado com os vazamentos do Intercept: de um lado defensores da Lava Jato, até que provas consideradas graves apareçam, do outro, ministros que vêem nas mensaens evidências de crimes cometidos por Moro e parceiros. Há também uma entrevista de João Doria, governador de São Paulo, defendendo Moro e a Operação Lava Jato e afirmando que, mesmo que erros tenham sido cometidos, o benefício obtido pela Operação, salvar o Brasil da corrupção, o faz manter seu respeito pelo atual ministro da Justiça. A Folha, por fim, noticia o novo vazamento realizado pelo Intercept de áudio de Deltan Dallagnol comemorando a proibição de entrevista do ex-presidente Lula.

JORNAL NACIONAL

Na edição do dia 9 do Jornal Nacional não houve menção à Vaza Jato.  No mesmo dia o Intercept divulgou novo material – um áudio do procurador e coordenador da Lava-Jato, Deltan Dallagnol, comemorando o fato de Luiz Fux ter proibido entrevista de Lula, derrubando autorização concedida pelo ministro Ricardo Lewandowski, durante a campanha eleitoral de 2018. O áudio foi divulgado pela agência de notícias cerca de 2h30 antes da edição do jornal ir ao ar. O JN divulgou matéria detalhada (191s) sobre a prisão, pela força-tarefa, de Mario Libman, acusado de ser operador de Mario Messer, o “doleiro dos doleiros”. Ou seja, os editores do Jornal Nacional noticiam a Lava Jato, mas não  parecem ter interesse pela Vaza Jato.

FACEBOOK

Em 9 de julho, apenas o post da Mídia Ninja, com o áudio inédito do procurador Deltan Dallagnol, comemorando a liminar do ministro Fux, alcançou o ranking das publicações mais compartilhadas. O debate na rede nesta data foi pautado pela Reforma da Previdência, que estava sendo votada hoje na Câmara.

CONCLUSÃO

A nova mensagem divulgada pelo Intercept não conquistou as páginas de todos os jornais no trigésimo primeiro dia de cobertura. O grupo Globo e o Estadão preferiram ignorar o novo vazamento e continuar com a cobertura reduzida do escândalo. A Folha, por sua vez, continua não apenas noticiando os novos vazamentos, como também discutindo os reflexos dos mesmos no STF.

*Publicado originalmente no Manchetômetro

Conteúdo Relacionado