Mídia

Governos estadual e municipal de São Paulo devem preservar cultura no Tendal da Lapa

07/06/2006 00:00

Carlos Gustavo Yoda – Carta Maior

A Secretaria Municipal de Cultura da capital paulista pediu revisão do projeto de instalação do Poupatempo na Lapa, com a intenção de preservar o espaço cultural Tendal da Lapa, local eleito pleo ex-prefeito José Serra (PSDB) para sediar o Poupatempo. O Movimento em Defesa do Tendal da Lapa, articulação dos grupos e movimentos culturais que ocupam o centro, realizou uma série de manifestações e mobilizações nos últimos meses.

O assunto foi levado pelo secretário de Cultura, Carlos Augusto Calil, ao conhecimento do prefeito Gilberto Kassab (PFL) que o transmitiu ao governador Claudio Lembo (PFL). Conforme a assessoria de imprensa da prefeitura, o governador já determinou a imediata revisão do projeto de implantação do Poupatempo.

“O objetivo dessa revisão é preservar o Tendal como espaço cultural e instalar o Poupatempo em local mais apropriado”, declara a Secretaria de Cultura. A administração do prédio do Tendal da Lapa já foi transmitida pela prefeitura para o governo do Estado.

Segundo o ex-coordenador do espaço e membro do Movimento, Paulo Cauhy, as declarações do governo significam uma grande vitória para a Cultura. “Já esperávamos algum resultado positivo. Na semana passada, chegaram algumas informações da Casa de Cultura, mas continuamos em alerta. As reuniões de mobilização não vão parar. Queremos a revogação do decreto que cede o espaço ao governo do Estado”, afirma.

O prédio passa por um processo de tombamento, devido à sua importância histórica e estrutura arquitetônica. O Tendal da Lapa foi, por muito tempo, o maior entreposto de carne do Brasil. Conforme ofício da Ouvidoria Geral do município, qualquer obra no Tendal precisa ser aprovado pelo Departamento do Patrimônio Histórico.

Hoje, o espaço abriga dezenas de grupos de teatro, dança, circo, música, oratória, literatura, capoeira, grupos de terceira idade, Fóruns Comunitários e de Juventude e diversas manifestações.

Manifesto da Vitória, divulgado pelo Movimento Viva o Tendal, demonstra a satisfação dos produtores culturais: “Com tranqüilidade podemos afirmar que isso só vem confirmar o que já sentíamos a todo momento, durante as manifestações públicas ou durante a coleta de assinaturas a favor do Tendal – são mais de 7500 assinaturas. Sabíamos que estávamos corretos em nossas reivindicações e ações. Com certeza esta decisão é uma vitória e uma importante força na luta de outros movimentos que reinvidicam seus (e nossos) direitos, que em vários momentos nos apoiaram”.

O abaixo-assinado do movimento em defesa do Tendal, que já conta com 7,8 mil assinaturas continuará circulando, assim como a ação no Ministério Público Estadual, até que se tenha total segurança de que o espaço continuará a servir à Cultura.

Paulo Cauhy afirma também que existem outros problemas de estrutura, como poucos funcionários, que precisam ser melhorados pela administração municipal. “O Tendal só não está abandonado porque os funcionário de lá são heróis e contam com a colaboração da comunidade. Não há equipe de limpeza ou de segurança. São cinco ou seis funcionários que cuidam de tudo. Há tempos não há investimentos”, destaca o ex-coordenador do espaço.

A vitória do movimento deve ser comemorada neste mês na tradicional Arraial do Tendal. A festa ainda não está confirmada, devido às incertezas quanto ao espaço. O Tendal da Lapa fica na Rua Guaicurus, 1100 ou Rua Constança, 72. Mais informações pelo telefone 3862-1837.


LEIA MAIS:
ARTISTAS PROTESTAM POR MANUTENÇÃO DE ESPAÇO CULTURAL EM SÃO PAULO


Conteúdo Relacionado