Mídia

Marcelo Tas e as novas armas do Tio Sam

Agora tentam promover 'mudanças de regime' com ações voltadas principalmente para a manipulação da opinião pública. Marcelo Tas é um bom exemplo.

05/10/2015 00:00

reprodução

Créditos da foto: reprodução

A informação abaixo não prova que Marcelo Tas vendeu sua opinião ao Tio Sam. Não vou entrar nesse mérito. Prefiro acreditar que não.
 
Tas é um cara influente no twitter, com milhões de seguidores, e me parece normal que um assessor de Hillary Clinton queira se gabar, junto à chefe, que conseguiu "plantar" uma ideia junto à opinião pública brasileira.
 
Mas reforça uma das teorias de conspiração mais quentes dos últimos tempos.
 
(E teorias de conspiração ganharam outro status após as revelações do wikileaks e do snowden. Agora elas voltaram a ser levadas à sério).
 
É a teoria do novo tipo de golpe desenvolvido pelo governo americano.
 
Eles agora tentam promover "mudanças de regime" com ações voltadas principalmente para a manipulação da opinião pública.
 
Na verdade, nem é tão conspiração assim. Pensando bem, não é crime pretender influenciar a opinião de outro país.
 
Quem é mais culpado aqui somos nós, que deveríamos estar mais atentos a essas tentativas de nos manipular, o que pode levar a opinião pública a defender coisas que não interessam à soberania brasileira.
 
Além disso, é mais um argumento para defendermos a democracia na mídia: a própria soberania nacional está em perigo se continuarmos tão vulneráveis, através da nossa mídia, a esse tipo de manipulação.
 
***
 
Da página do Ação Popular - Baderna Neles!:
 
O apresentador Marcelo Tas virou assunto de e-mails trocados por assessores de Hillary Clinton com a então secretária de Estado em 2011.
 
O motivo? Tas repassou, em sua conta no Twitter, uma mensagem do então assessor de Hillary para Inovação, Alec Ross. Ross narrou o feito em e-mail de agosto de 2011 a Thomas Shannon, então embaixador dos EUA.
 
Em uma troca de mensagens entre assessores de Hillary um deles disse:
 
"Você já me ouviu falar sobre como devemos cultivar 'influenciadores de mídias sociais' com o objetivo de validar e amplificar nossa mensagem"
 
O assessor conta então que Tas foi convidado para um "café" por iniciativa da Embaixada.
 
O assessor então diz:
 
Publiquei algo sobre Síria no meu Twitter. Tas pegou [o tuíte], reescreveu em português e então o disseminou para os seus quase 2 milhões (na época) de seguidores no Twitter
 
A troca de e-mails chegou a Hillary, que celebrou: "É um bom exemplo".
 
Marcelo tas diz que a celebração de seu tuíte por assessores é "normal". "A novidade é o Estado americano me achar relevante."
 
ATUALIZAÇÃO - - - > Conseguimos acesso aos documentos.
 
1. Entrar no site: https://foia.state.gov/
2. No campo "Search FOIA site" pesquisar por "Marcelo Tas"
3. Clicar no primeiro link que aparece.
 
Está tudo confirmado pelo próprio governo americano.



Conteúdo Relacionado