Movimentos Sociais

Combate à fome e à concentração de terras deve pautar encontro mundial

01/03/2002 00:00






São Paulo - A partir do próximo final de semana, a Reforma Agrária volta a receber destaque dentro do debate sobre o desenvolvimento global. Organizado pelos governos brasileiro e espanhol (através dos Ministérios do Desenvolvimento Agrário, do Brasil, e da Agricultura, da Espanha) e pela FAO, órgão da ONU para a agricultura e alimentação, o Fórum Mundial da Reforma Agrária, que acontece de 5 a 8 deste mês em Valência, na Espanha, deve reunir representantes de 68 países para um grande debate sobre a miséria no campo e a urgência da implantação de uma reforma agrária efetiva nos países do Hemisfério Sul, como forma de garantir a segurança alimentar do planeta.

Segundo dados da FAO, 84% da fome no mundo ocorre nas zonas rurais entre
agricultores, pescadores e extrativistas. A causa, aponta o órgão, é a crescente industrialização das atividades agrícolas, a concentração de terras nas mãos de grandes empresas e fazendeiros, a expulsão dos camponeses de suas terras e o investimento em produção de commodities agrícolas, como soja, café e algodão, em detrimento dos alimentos.

Contando com a participação do ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rosseto, e do presidente do Incra, Rolf Hackbart, o evento pretende reunir os diversos setores da sociedade e do poder público, como centros de pesquisa, ONGs, movimentos sociais do campo (principalmente a Via Campesina, que congrega 72 entidades e movimentos de agricultores de 47 países), governos e órgãos multilaterais da ONU em uma articulação que defina diretrizes para que a temática volte à pauta das discussões econômicas, ambientais e de desenvolvimento internacionais.

Segundo Caio Galvão, assessor de Miguel Rosseto, o MDA, que participa tanto do próprio evento quanto de encontros paralelos com a FAO, buscará intercambiar experiências positivas com outros países para fortalecer o processo no Brasil. A Agência Carta Maior acompanhará o Fórum Mundial da Reforma Agrária com uma equipe de repórteres e analistas. Os principais debates também serão transmitidos ao vivo pela TV Carta Maior a partir do dia 5 de dezembro.


Conteúdo Relacionado