Pelo Mundo

A Big Farma não quer que ampliemos o Medicare. Temos que lutar contra eles

Ao retirarmos a proibição do Medicare de negociar preços de medicamentos prescritos, nós podemos ampliar os benefícios e reduzir a idade de elegibilidade

04/05/2021 09:52

A indústria farmacêutica, o lobby mais poderoso de Washington, acredita que sua riqueza e poder podem impedir que o Congresso e o presidente ajam  (Andrew Lichtenstein/Corbis/Getty Image)

Créditos da foto: A indústria farmacêutica, o lobby mais poderoso de Washington, acredita que sua riqueza e poder podem impedir que o Congresso e o presidente ajam (Andrew Lichtenstein/Corbis/Getty Image)

 
Estamos começando a progredir na criação de um governo que trabalhe em prol de todos, e não somente dos muito ricos. Mas ainda temos um longo caminho a percorrer.

Até agora vocês já leram as grandes manchetes sobre o Plano de Resgate Americano que Joe Biden assinou como lei em março: os 1.400 dólares em pagamentos diretos, a enorme expansão do crédito fiscal infantil, a extensão de benefícios de seguro-desemprego e a produção e distribuição de dezenas de milhões de doses de vacinas que são necessárias para acabar com essa pandemia.

O que vocês podem não ter ficado sabendo é que tornamos a saúde básica primária bem mais acessível dobrando o financiamento para centros de saúde comunitários e triplicando o financiamento para conseguir médicos, dentistas e enfermeiras para áreas carentes de tais serviços. Crianças que estão presas em casa desde o ano passado agora poderão fazer atividades esse verão por causa de um grande e novo financiamento para programas de verão e após o horário escolar.

Esses são grandes passos à frente.

Mas nesse tempo de crise sem precedentes, não é o suficiente. Joe Biden sabe disso, e eu sei que vocês sabem disso.

A agenda que o presidente divulgou em seu discurso dá ao Congresso um bom mapa do caminho, mas precisamos ir além se quisermos combater seriamente a enorme crise econômica, social, salutar e ambiental que nosso país enfrenta.

Como presidente do comitê orçamentário do Senado, terei um papel ativo no desenho de boa parte dessa nova lei. Temos muitas áreas críticas que iremos abordar incluindo a decadente infraestrutura da nossa nação, a necessidade de combater a mudança climática e fornecer assistência à infância para todas as famílias estadunidenses. Mas, agora, eu queria falar com vocês sobre uma área específica em que estarei concentrado.

É um absurdo que mais de 50 anos após a promulgação do Medicare, os idosos ainda não recebam cobertura odontológica, oftalmológica e auditiva básica. Muitos idosos não conseguem ler jornais porque não podem pagar por óculos de grau, não conseguem falar com seus netos porque não podem pagar por aparelhos auditivos e têm problemas na hora de comer porque não podem pagar por dentaduras.

Também já é hora de reconhecer que devemos reduzir a elegibilidade do Medicare para os milhões trabalhadores mais velhos que precisam desesperadamente de assistência médica.

Nesse momento crucial na história dos EUA é hora de um presidente Democrata e um Congresso Democrata fazerem o que o povo estadunidense quer. Devemos ampliar os benefícios do Medicare e reduzir a idade de elegibilidade do Medicare. Usar nossa maioria para tomar esse passo não é somente a coisa certa a fazer pelo povo estadunidense – também é a boa política.

Esses passos podem parecer caros e são. Mas aqui está algo incrível. Podemos pagar pelo custo total dessas adições ao Medicare permitindo que o programa negocie o custo de medicamentos prescritos.

Por mais incrível que pareça, é proibido por lei que o programa Medicare negocie com farmacêuticas sobre o custo de medicamentos que os idosos compram. O poder de lobby das grandes farmacêuticas significa que estão roubando o governo e cobrando do povo o preço que querem. Não somente isso. Por causa do poder da indústria farmacêutica, todos os estadunidenses são forçados a pagar, de longe, os preços mais altos no mundo por medicamentos prescritos. Esse absurdo deve acabar.

Negociar preços de remédios é o que todos os outros grandes países no planeta fazem. A Administração de Veteranos faz. Somente o Medicare não pode tomar esse passo tão óbvio.

O que estamos lutando para conquistar agora é a própria definição de uma situação na qual todos saem ganhando. Os idosos pagam preços mais baixos por remédios prescritos e recebem assistência odontológica, oftalmológica e auditiva. Milhões de outros estadunidenses se tornam elegíveis para participar do programa Medicare. E nós reduzimos os preços de remédios prescritos para todos.

É quase insano pensar que temos que lutar por essas políticas tão sensatas que são fortemente apoiadas pelo povo estadunidense. Mas não é surpresa que a indústria farmacêutica usará todo o seu poder em Washington para tentar evitar que elas entrem em vigor. De 1999 a 2018 as farmacêuticas gastaram 4.7 bilhões de dólares para fazer lobby com o governo federal. Representando 233 milhões por ano. Além dos mais de 400 milhões em contribuições para campanhas de candidatos federais e comitês e 900 milhões para candidatos estaduais e comitês.

A indústria farmacêutica, o lobby mais poderoso de Washington, acredita que sua riqueza e poder podem impedir que o Congresso e o presidente ajam para ampliar o Medicare e reduzir o preço de medicamentos prescritos. Bem, eu discordo. Eu acredito que nos próximos dias e semanas, se todos nós fizermos nossas vozes serem ouvidas podemos mostrar quão poderoso pode ser o povo estadunidense quando estamos juntos e lutamos. Não vamos permitir que a ganância da indústria farmacêutica seja um obstáculo no caminho dos estadunidenses para a conquista de assistência médica e medicamentos prescritos razoavelmente precificados.

Enquanto nação estamos começando a progredir na proteção dos interesses da classe trabalhadora. O Establishment e os defensores do status quo estão resistindo. Mas, nesse momento crucial, se tivermos coragem de educar, organizar e andar para frente, vamos vencer essa batalha. No final do dia, um movimento forte e enraizado de milhões de estadunidenses lutando por justiça pode e irá derrotar o poder do Dinheiro Organizado.

*Publicado originalmente em 'The Guardian' | Tradução de Isabela Palhares

Conteúdo Relacionado