Pelo Mundo

Abaixem a idade de acesso ao Medicare agora: estudo alerta que 35 milhões podem perder seguro saúde vinculado ao emprego

''O sistema nacional de seguro saúde está desmoronando mais a cada dia''

05/04/2020 15:43

Um quarto é preparado em um hospital temporário no Central Park em 30 de março de 2020 na cidade de Nova York (John Lamparski/Getty Images)

Créditos da foto: Um quarto é preparado em um hospital temporário no Central Park em 30 de março de 2020 na cidade de Nova York (John Lamparski/Getty Images)

 

A pandemia do coronavírus e o colapso econômico resultante podem causar que 35 milhões de pessoas nos EUA percam seu seguro saúde vinculado ao emprego nos próximos meses, com estadunidenses de baixa renda carregando o fardo do prejuízo.

Isso de acordo com um relatório divulgado na sexta-feira pela firma de pesquisa e consultoria Health Management Associates (HMA). A nova análise alerta que, dependendo da severidade do desemprego nos EUA, “o número de pessoas recebendo cobertura de um empregador pode cair de 12 a 35 milhões, incluindo os trabalhadores e os membros da família”.

O pior cenário apresentado no relatório projeta uma taxa de desemprego de 25% - igual à taxa de desemprego no pico da Grande Depressão. Economistas do Federal Reserve em St. Louis estimaram no mês passado que a taxa de desemprego poderia chegar a 32% ao final de junho.

“Por toda a conversa abstrata que ouvimos no ano passado sobre os esquemas dos seguros de saúde, é provável que vejamos isso em escala sem precedentes em termos de velocidade e devastação”, tuitou Jeff Stein, repórter do Washington Post, se referindo ao debate político que emergiu na primária presidencial Democrata de 2020 sobre se o sistema de saúde vinculado ao emprego dá às pessoas mais “escolhas” do que uma alternativa universal como o Medicare para Todos.

Enquanto muitas pessoas que perderem sua cobertura estarão elegíveis para se inscrever no Medicaid, o relatório do HMA nota que “um terço de todos os empregos” está localizado em estados que optaram por não expandir o programa.

Como resultado, alerta o relatório, o número total de estadunidenses sem seguro pode subir de cerca de 28 milhões hoje para 40 milhões, com o impacto caindo desproporcionalmente sobre as milhões de pessoas morando em estados que não expandiram o Medicaid.

“Precisamos abaixar a idade de acesso ao Medicare para 0 agora”, tuitou Alexandria Ocasio-Cortez (Democrata-N.I.), apoiadora do Medicare para Todos, em resposta ao relatório.

“Assistência de saúde de boa qualidade não deveria estar vinculada ao seu emprego”, tuitou o senador Bernie Sanders (Independente-Vt.), em resposta ao novo relatório. “Ao menos, o governo deve garantir assistência médica a todos, sem custo, ao longo de toda a crise.”

Como reportou o Common Dreams, o Instituto de Política Econômica estimou que 3.5 milhões de pessoas provavelmente já perderam seu seguro vinculado ao emprego apenas nas duas últimas semanas com o avanço da pandemia do coronavírus que continua a conduzir demissões em massa nos EUA. O Departamento de Trabalho anunciou que 6.6 milhões de pessoas apresentaram pedidos de seguro desemprego somente na semana passada.

Ryan Cooper, correspondente nacional do The Week, escreveu em uma coluna que “graças à insistência única dos EUA em vincular o seguro saúde ao emprego”, o sistema de saúde dos EUA “está correndo um sério risco de colapsar”, se não houver uma ação imediata do Congresso.

“Seja o que for, tem que ser grande, e precisa acontecer pra ontem”, escreveu Cooper. “O sistema nacional de seguro saúde está desmoronando mais a cada dia.”

*Publicado originalmente em 'Common Dreams' | Tradução de Isabela Palhares

Conteúdo Relacionado