Pelo Mundo

Bernie Sanders pede por leis ousadas para travar catástrofe acentuada do COVID-19

''Nesse momento sem precedentes na história moderna estadunidense, é imperativo que respondamos de uma forma nunca vista antes''

05/04/2020 15:53

O candidato democrata à presidência, senador Bernie Sanders (Joe Raedle/Getty Images)

Créditos da foto: O candidato democrata à presidência, senador Bernie Sanders (Joe Raedle/Getty Images)

 
O senador Bernie Sanders divulgou suas exigências para seis prioridades que, segundo ele, devem ser incluídas na próxima rodada do apoio econômico federal para os cidadãos que estão sofrendo enquanto a pandemia do coronavírus paralisa o sistema de saúde do país e dilacera a economia.

“Estamos em meio a uma pandemia do COVID-19 que poderia levar a morte de centenas de milhares de estadunidenses e infectar outros milhões, e estamos entrando em uma reviravolta econômica que pode ser pior do que a Grande Depressão dos anos 30”, disse Sanders. “Nesse momento sem precedentes na história moderna estadunidense, é imperativo que respondamos de uma forma nunca vista antes.”

De acordo com o gabinete do senador de Vermont, Sanders quer que a próxima lei inclua seis provisões que são focadas em ajudar a classe trabalhadora nos EUA a resistir a essa crise:

* Abordar a crise do desemprego garantindo que os trabalhadores permaneçam empregados e com salário e fornecer serviços sociais para todos no país, independentemente de cidadania ou status migratório.

* Garantir sistema de saúde Medicare para Todos para todos no país.

* Usar imediatamente o Ato de Defesa de Produção para produzir equipamentos de proteção pessoal, ventiladores, e outros equipamentos de saúde necessários para trabalhadores na linha de frente lidando com a crise.

* Fornecer alimento para todos no país durante toda a crise.

* $600 bilhões de dólares em auxílio para estados e cidades.

* Suspensão imediata de aluguéis, pagamentos de hipoteca, dívidas médicas e dívidas de consumidor por quatro meses e suspensão de pagamentos de dívidas estudantis durante toda a pandemia.

Em um vídeo postado nas redes sociais, Sanders disse que a pandemia apresenta uma emergência para as populações mais vulneráveis da nação e para toda a classe trabalhadora, e que medidas drásticas devem ser tomadas para proteger a saúde e o bem-estar econômico das pessoas:


Sanders, candidato para nomeação presidencial Democrata em 2020, anunciou as prioridades na sexta. Nina Turner, co-presidente de campanha, tuitou a necessidade de pensamentos ambiciosos.

“Estamos entrando em uma reviravolta que pode ser pior do que a Grande Depressão”, disse Turner. “Devemos responder a esse desafio sem precedentes com as medidas mais ousadas: Sanders está sublinhando as prioridades mais compreensíveis que vão fornecer IMEDIATAMENTE auxílio e não vão deixar ninguém para trás.”

O plano foi elogiado por Ana Maria Archila, co-diretora do Centro de Ação pela Democracia Popular.

“O plano de Bernie para a quarta fase da resposta legislativa federal centraliza as pessoas, não as corporações”, disse Archila. “É sobre nos ajudar a sobreviver com a assistência monetária, assistência médica, nutrição, segurança laboral, e alívio de pagamentos mensais que não podemos realizar. Fala sobre as necessidades dos trabalhadores na linha de frente que estão lutando contra a pandemia e tornando possível que o resto de nós fique em quarentena.”

A inclusão dos tipos de provisões que Sanders está exigindo na próxima lei de apoio tornaria o pacote “a lei mais ousada da história”, disse o gabinete do senador. No entanto, como alguns analistas apontam, os seis conceitos principais representam o mínimo necessário para parar um colapso econômico total.

Muitos grupos progressistas apoiaram o plano de Sanders, chamando as ideias na proposta de necessárias para evitar um desastre econômico.

“Os princípios de resgate econômico do senador dialogam com a ação ousada e rápida necessária para proteger as pessoas e evitar que as corporações consolidem poder político e econômico em meio a crise”, disse George Goehl, diretor do “People’s Action”.

Javier H. Valdés, co-diretor do “Make the Road Action” argumentou que Sanders está oferecendo ajuda real e concreta aos estadunidenses.

“As prioridades salientadas pelo senador para o próximo Pacote de Estímulo contra o Coronavírus são o que nosso país precisa para garantir que todos na comunidade possam acessar o apoio financeiro e médico necessário para suportar essa crise”, disse Valdés. “Nos posicionamos com o senador na exigência de um pagamento emergencial mensal de $2.000 mil dólares, alimentação emergencial e Medicare para todas as pessoas no nosso país independentemente da sua situação de moradia, status migratório, ou se possuem conta bancária ou conexão de internet.”

Enquanto isso, o rival de Sanders ex-vice-presidente Joe Biden continua a alegar que a assistência médica universal é uma solução inviável para a crise nos EUA e que um sistema de saúde modo “single-payer” não teria evitado o surto. Como reportou o Common Dreams, estimativas de trabalhadores que podem perder sua cobertura devido ao desemprego em 2020 podem chegar a 35 milhões.

Em uma entrevista, a senadora Elizabeth Warren (Democratas-Mass.), ex-candidata à presidência cuja campanha era vista como ideologicamente similar à de Sanders, elogiou Biden como sendo equivalente ao ex-presidente Barack Obama, que “passou por uma crise em 2009 com liderança firme, esperta e ponderada”.

“É isso que eu acho que podemos esperar do vice-presidente Biden”, disse Warren, que evitou um apoio mais direto.

Sanders apareceu na MSNBC para promover seu plano. Durante o seguimento, o apresentador Ali Velshi listou uma quantidade de prioridades de longa data do senador, incluindo Medicare para Todos e alívio da dívida estudantil, e perguntou se a crise estava favorecendo seus argumentos como candidato à presidência.

“A realidade apoia Bernie Sanders”, tuitou o grupo político progressista “People for Bernie” – um sentimento que muitas vozes progressistas têm partilhado nas últimas semanas.

*Publicado originalmente em 'Common Dreams' | Tradução de Isabela Palhares



Conteúdo Relacionado