Pelo Mundo

Campanha para cortar US$ 1 bilhão da polícia de Nova York em 2021

Relatório sobre gastos policiais para atender a ''janelas quebradas'' reforça apelo para redirecionar US$ 1 bilhão do orçamento do Departamento de Polícia da Nova York para comunidades prejudicadas. Líderes municipais são instados a direcionar o dinheiro para "agências municipais mais relevantes, programas de redução de danos e organizações comunitárias melhor treinadas e equipadas para realmente manter nossas comunidades seguras"

24/06/2020 14:34

Policiais do Departamento de Polícia de Nova York ouvem, enquanto a presidente da Associação Benevolente da Polícia da Cidade de Nova York, Pat Lynch e representantes de outros sindicatos da Polícia de Nova York e instituições de segurança realizam uma coletiva de imprensa no estacionamento do Estádio Icahn em 9 de junho de 2020. (Timothy A. Clary/AFP via Getty Images)

Créditos da foto: Policiais do Departamento de Polícia de Nova York ouvem, enquanto a presidente da Associação Benevolente da Polícia da Cidade de Nova York, Pat Lynch e representantes de outros sindicatos da Polícia de Nova York e instituições de segurança realizam uma coletiva de imprensa no estacionamento do Estádio Icahn em 9 de junho de 2020. (Timothy A. Clary/AFP via Getty Images)

 

Depois de quase um mês de protestos por justiça racial em todo o país e renovados apelos para retirar recursos das forças policiais locais e reinvestir esse dinheiro em recursos que melhor atendam às comunidades, uma nova sinopse de política, na terça-feira (23), detalhou o quanto o policiamento na cidade de Nova York está focado em drogas e outras ofensas menores e afeta desproporcionalmente os residentes de negros e latinas(os).

O resumo da Drug Policy Alliance (DPA – Aliança por Políticas de Drogas), intitulado "NYC's Costly Drug Enforcement & Broken Windows Policing" (O dispendioso policiamento para drogas e janelas quebradas da cidade de Nova York), descobriu que no ano passado a cidade gastou cerca de US$ 96 milhões em prisões e violações por drogas, ou 6% do orçamento de despesas de serviços de patrulha do Departamento de Polícia de Nova York (NYPD).

"As severas disparidades raciais persistem entre essas prisões e violações por drogas, apesar dos dados mostrarem taxas semelhantes de uso de drogas entre as populações", diz o comunicado, observando que 45% das pessoas presas ou intimadas em relação a drogas eram negras e 38,8% eram latinas(os), apesar de constituírem apenas 25 % e 30% da população total da cidade, respectivamente.

"As tendências nas ações do policiamento antidrogas em Nova York se assemelham ao policiamento de outras ofensas de baixo nível, geralmente chamado de policiamento de ‘janelas quebradas’", de acordo com a DPA. O documento diz que em 2019, a cidade gastou cerca de US$ 456 milhões no policiamento para coibir esses delitos, o que representou 28,5% do orçamento de despesas com serviços de patrulha, e "existem disparidades raciais extremas também no policiamento de janelas quebradas".

A DPA divulgou o resumo, em apoio a uma demanda da coalizão Communities United for Police Reform (CPR - Comunidades Unidas para a Reforma Policial), para que o prefeito de Nova York Bill de Blasio e a Câmara de Nova York cortem o próximo orçamento de despesas da NYPD em pelo menos US$ 1 bilhão e redirecionem esses fundos para ajudar comunidades negras e pardas.

"Por décadas, temos visto de perto, em nosso trabalho para acabar com a cruzada de detenção por maconha em Nova York, os danos causados pelo excesso de policiamento. Observamos como o policiamento desempenhou um papel central na guerra racista às drogas e como os recursos foram canalizados para o policiamento, em vez de se destinarem a serviços vitais que tornam nossas comunidades mais seguras", afirmou Melissa Moore, vice-diretora da DPA em Nova York, em comunicado. "Em casos demais, as drogas foram usadas pelo Departamento de Polícia de Nova York - a maior e mais militarizada força policial dos Estados Unidos - como uma desculpa para atacar, assediar, agredir e matar pessoas negras".

"Já passou da hora de mudar a alocação dos recursos e reinvestir esse montante para acabar com a crise de overdose da cidade, falta de moradia e grande desigualdade - especialmente quando enfrentamos déficits orçamentários extremos devido à pandemia", acrescentou Moore.

"O prefeito de Blasio e a Câmara de Nova York devem agir neste momento histórico para cortar pelo menos US$ 1 bilhão do orçamento de despesas do NYPD para o ano fiscal de 2021 e realocar esses recursos para as agências mais relevantes da cidade, programas de redução de danos e organizações comunitárias, mais bem treinadas e equipadas para realmente manter nossas comunidades seguras”.

Líderes locais por todo o país enfrentaram demandas semelhantes nas últimas semanas, à medida que as pessoas saíam para as ruas - apesar da pandemia de coronavírus - para exigir o fim da violência da polícia norte-americana contra pessoas de cor, desde que a polícia de Minneapolis matou George Floyd no final de maio. A coalizão de CPR em Nova York está fazendo campanha com as hashtags #DefundNYPD (#CortemRecursosdaNYPD) e #NYCBudgetJustice (#NYCOrçamentoJustiça).

Na terça-feira, a CPR enviou uma carta (pdf) aos líderes da cidade reiterando as demandas para que o prefeito e a câmara da cidade:

- Cortem pelo menos US$ 1 bilhão diretamente do orçamento inchado e não transparente da NYPD de quase US$ 6 bilhões para o ano fiscal de 2021, e redirecione todas as economias relacionadas e adicionais às necessidades essenciais das comunidades negras, latinas e outras comunidades de cor.

- Neguem e cancelem quaisquer novas iniciativas relacionadas ao policiamento e aumentos de orçamento relacionados à NYPD para o ano fiscal de 2021; e

- Exijam maior transparência do orçamento da NYPD através dos termos e condições em seu orçamento.

Hiawatha Collins é líder da comunidade e membro do conselho da VOCAL-NY, um dos grupos por trás da CPR. No comunicado anunciando a sinopse da DPA, Collins declarou que "a guerra às drogas tem sido travada nas comunidades negras e pardas desde o seu início, e a polícia tem agido como seus soldados de infantaria. Eles constantemente nos têm, e sempre nos terão, como alvos".

"Não temos como falar dos recursos que as pessoas que usam drogas precisam sem acabar com as políticas racistas e com o policiamento de nossos corpos e bairros", acrescentou Collins. "É hora de cortar recursos da NYPD em pelo menos US$ 1 bilhão este ano e investir em habitação, redução de danos, assistência médica e serviços sociais. Não podemos esperar mais um segundo, pois continuamos a morrer de overdoses evitáveis em números históricos".

*Publicado originalmente em 'Common Dreams' | Tradução de César Locatelli

Conteúdo Relacionado