Pelo Mundo

Casa Branca: surto de coronavírus sobe para 34

Alto oficial de segurança ''gravemente doente'' com COVID-19, enquanto infectados pelo surto da Casa Branca crescem para 34

09/10/2020 11:16

(Reprodução/Democracy Now!)

Créditos da foto: (Reprodução/Democracy Now!)

 
O número de pessoas ligadas ao cluster de coronavírus da Casa Branca está agora em 34 - muito maior do que se sabia anteriormente. Isso de acordo com um memorando da Agência Federal de Gerenciamento de Emergências [Fema] obtido pela ABC News [veja abaixo a nota da ABC News]. A secretária de Imprensa Kayleigh McEnany disse no domingo que o governo Trump não informaria mais sobre o número de infecções ligadas ao surto da Casa Branca. McEnany testou positivo para coronavírus.

Enquanto isso, a Bloomberg informa que o chefe do escritório de segurança da Casa Branca, Crede Bailey, está em estado grave com COVID-19 e está hospitalizado desde setembro - embora a Casa Branca não tenha revelado a doença de Bailey.

O congressista democrata da Califórnia, Salud Carbajal, diz que desenvolveu a COVID-19 esta semana após uma provável contaminação por seu vizinho, o senador por Utah, Mike Lee. Lee testou positivo para coronavírus na última sexta-feira depois que ele foi filmado abraçando convidados em uma celebração, em 26 de setembro no Rose Garden, na Casa Branca, para a candidata à Suprema Corte, Amy Coney Barrett.

O procurador-geral William Barr retornou ao seu escritório no Departamento de Justiça na quarta-feira, de acordo com um porta-voz que disse que Barr deu negativo para coronavírus seis vezes desde sexta-feira. Barr foi filmado limpando o nariz com a mão e apertando as mãos no evento do Rose Garden, onde ele estava em contato próximo com Kellyanne Conway e outras pessoas infectadas.

Em Nova Jersey, o ex-governador Chris Christie permanece hospitalizado com COVID-19, sem nenhuma palavra sobre sua condição.

O advogado do presidente Trump, Rudy Giuliani, disse na quarta-feira que está tomando hidroxicloroquina, a droga antimalária, para evitar uma infecção por COVID-19 depois de passar horas, na semana passada, com o presidente Trump, Chris Christie e outros funcionários que já testaram positivo.

A hidroxicloroquina já foi apontada por Trump como uma cura milagrosa, embora estudos clínicos mostrem que ela não tem efeito no tratamento da COVID-19 e tem efeitos colaterais potencialmente letais. Giuliani não está em quarentena e diz que fará outro teste para coronavírus na sexta-feira. Na terça-feira, ele apareceu sem máscara enquanto se dirigia a uma multidão de dezenas de pessoas em uma arrecadação de fundos do Partido Republicano em Manhattan. Um dia antes, Giuliani tossiu várias vezes em uma entrevista na Fox News.

***

Nota da ABC News

34 pessoas ligadas à Casa Branca, mais do que se sabia anteriormente, infectadas pelo coronavírus: Memorando interno da Agência Federal de Gerenciamento de Emergências (FEMA)

por Josh Margolin e Lucien Bruggeman

O surto de coronavírus infectou "34 funcionários da Casa Branca e outros contatos" nos últimos dias, de acordo com um memorando interno do governo, uma indicação de que a doença se espalhou entre mais pessoas do que se sabia anteriormente na sede do governo norte-americano.

Datado de quarta-feira e obtido pela ABC News, o memorando foi distribuído entre a liderança sênior da FEMA, uma filial do Departamento de Segurança Interna e a agência responsável por gerenciar a resposta nacional contínua ao desastre de saúde pública.

O memorando também observa que um conselheiro sênior do presidente está entre os infectados. Hope Hicks e Stephen Miller, ambos assessores do presidente, deram positivo nos últimos dias.

Os novos números ressaltam tanto a crescente crise na Casa Branca quanto os esforços dos funcionários do governo para bloquear informações sobre a propagação do surto.

A ABC News havia relatado anteriormente que um total de 24 assessores da Casa Branca e seus contatos haviam contraído o vírus. Não ficou claro no memorando da FEMA, com número maior, a quem "outros contatos" se referiam.

Quando o presidente Donald Trump retornou à Casa Branca na terça-feira, ele imediatamente removeu sua máscara antes de entrar no prédio - desencadeando a preocupação de que seu comportamento possa colocar funcionários, trabalhadores do complexo e agentes do Serviço Secreto em risco.

Na terça-feira, a diretora de comunicações da Casa Branca, Alyssa Farah, disse que a Casa Branca estava "tomando precauções" para conter a propagação e que aqueles que ainda estão trabalhando na Ala Oeste "se sentem confortáveis".

Mas na quarta-feira, surgiram imagens mostrando vários assessores da Casa Branca interagindo próximos uns dos outros sem máscaras.

*Publicado originalmente em 'Democracy Now!' | Tradução de César Locatelli





Conteúdo Relacionado