Pelo Mundo

Chile: Piñera estaria perdendo controle das Forças Armadas

 

14/11/2019 15:19

Manifestantes e policiais se enfrentam durante a manifestação em Santiago, nesta terça-feira (Alberto Valdes/EFE)

Créditos da foto: Manifestantes e policiais se enfrentam durante a manifestação em Santiago, nesta terça-feira (Alberto Valdes/EFE)

 
Militares exigiram imunidade para atender a um novo estado de exceção, que seria decretado pelo presidente

Os protestos diários que se multiplicam por todo o Chile e a visível e questionada violência com que as forças de segurança estão reprimindo os manifestantes levaram o presidente Sebastián Piñera a ordenar um novo Estado de Exceção na noite da última terça-feira, 12 de novembro. 

A ordem, transmitida pelo ministro de defesa, Alberto Espina, foi mal recebida pelos militares, que exigiram imunidade e liberdade para realizar as ações que considerem necessárias para conter os manifestantes e recuperar a tranquilidade nas ruas.

Frente a essa exigência Sebastián Piñera decidiu a reintegração de policiais recém aposentados, permitindo aumentar o efetivo em cerca de 1000 efetivos, sem precisar negociar com as forças armadas do país.

A informação, divulgada pelos meios de comunicação chilenos, permite visualizar a falta de controle que tem caracterizado o governo de Sebastián Piñera, que entre outras decisões questionáveis convocou o Conselho de Segurança Nacional, órgão consultivo que assessora a presidência em temas que afetem a soberania nacional.

Desde La Moneda a informação é que realmente o presidente considerou a volta do Estado de Emergência, porém foi obrigado a recuar, diante das fortes manifestações de rua que continuam e cada vez maiores.



Conteúdo Relacionado