Pelo Mundo

Cloroquina: órgão de controle de medicamentos dos EUA revoga seu uso

 

16/06/2020 15:32

(Brian Snyder/Reuters)

Créditos da foto: (Brian Snyder/Reuters)

 
O FDA [órgão de controle de alimentos e medicamentos dos EUA] disse na segunda-feira (15) que estava revogando a autorização de emergência de dois medicamentos contra a malária para tratar o Covid-19, afirmando que "é improvável que sejam eficazes".

As drogas, a hidroxicloroquina e uma droga relacionada, a cloroquina, foram insistentemente promovidas pelo presidente Trump depois que alguns estudos pequenos e mal controlados, mostraram que eles poderiam funcionar no tratamento da doença.

Trump chegou a tomar hidroxicloroquina depois de ter sido exposto a duas pessoas que testaram positivo para o coronavírus. A agência disse que, depois de revisar alguns dados, determinou que os medicamentos, principalmente a hidroxicloroquina, não demonstravam benefícios que superassem seus riscos. No início deste ano, o FDA emitiu um aviso de que os medicamentos poderiam causar arritmias cardíacas alarmantes.

Em março, o FDA autorizou que estoques dos medicamentos fossem utilizados em hospitais para tratar pacientes com o vírus. Mas em uma carta na segunda-feira revogando a autorização, a agência disse que estudos adicionais mostraram que é improvável que os dois medicamentos sejam eficazes na interrupção do vírus, e que as atuais diretrizes nacionais de tratamento não recomendam usá-los fora dos ensaios clínicos.

De acordo com a carta, escrita por Denise M. Hinton, cientista chefe da FDA, a solicitação para revogar a autorização veio da Autoridade de Pesquisa e Desenvolvimento Biomédico Avançado, uma unidade do Departamento de Saúde e Serviços Humanos responsável pelo fornecimento de tratamentos em emergências de saúde pública.

Os membros do Congresso questionaram aumentos na concessão de autorizações de uso emergencial pelo FDA durante a pandemia de certos medicamentos como possíveis tratamentos. Eles também questionaram autorizações para testes de anticorpos e diagnóstico cujos dados não haviam sido completamente examinados antes da aprovação e para certos tipos de máscaras e outros dispositivos. Alguns legisladores democratas criticaram o governo Trump por pressionar a agência a emitir muitas aprovações de emergência.

*Publicado originalmente em 'The New York Times' | Tradução de César Locatelli



Conteúdo Relacionado