Pelo Mundo

Daily Mirror também é suspeito de escutas ilegais na Inglaterra

26/07/2011 00:00

Esquerda.net

"Podemos confirmar que estamos examinando todos os procedimentos e controles editoriais", disse um porta-voz do grupo Trinity Mirror citado pelo Guardian, esclarecendo porém que se trata "de um exame e não duma investigação".

As suspeitas foram lançadas por um ex-jornalista do Mirror, James Hipwell, que disse que viu jornalistas entrarem nas caixas de mensagens de voz de celebridades. "Depois apagavam a mensagem para que outros jornais não a apanhassem", explicou Hipwell, notando que esta prática era usada por muita gente no jornal.

O ex-jornalista que denuncia o caso esteve preso por manipulação de mercado em 2006. Segundo o Guardian, Hipwell comprava ações a preço de banana, recomendava a compra na sua coluna no Mirror - apropriadamente intitulada "Vigaristas da City" - e com isso lucrou cerca de 46 mil euros, ao câmbio atual.

O programa da BBC "Newsnight" também revelou as suspeitas do uso de escutas ilegais e detetives privados pelo Mirror, numa altura em que a edição de domingo do tablóide atingiu o recorde de vendas desde 2000, com mais de 2 milhões de exemplares vendidos no fim de semana passado.

O Sunday Mirror assumiu-se como o vencedor da luta pelos 2,6 milhões de leitores do antigo News of the World, tendo vendido mais 950 mil jornais numa edição do que vendia antes do fim do tablóide dominical do grupo de Rupert Murdoch.

Entretanto, a News Corporation prepara-se para distribuir bônus aos administradores, com base na performance financeira do grupo até ao fim do primeiro semestre. Apesar de terem hoje a reputação na lama na Inglaterra, Rupert Murdoch poderá ganhar até 17,2 milhões de euros - a somar aos 5,6 milhões do salário anual - e o seu filho James poderá juntar até 8,25 milhões aos 2 milhões da folha de salário anual. Ainda segundo o Guardian, o mais certo será ganharem metade do valor máximo permitido.



Conteúdo Relacionado