Pelo Mundo

EUA apresentam queixa contra presidente venezuelano Maduro e oferecem recompensa de 15 milhões de dólares pela sua apreensão

 

26/03/2020 18:35

(Miraflores Palace/Reuters)

Créditos da foto: (Miraflores Palace/Reuters)

 
Os EUA ofereceram uma série de recompensas por informações sobre cinco oficiais de patente alta do governo do presidente venezuelano Nicolas Maduro, incluindo 15 milhões de dólares pelo próprio Maduro, baseados em acusações de tráfico de drogas, anunciou o secretário de Estado Mike Pompeo em um comunicado oficial nessa quinta.

“O Departamento de Justiça está anunciando o desselamento de uma acusação realizada no Distrito Sul de Nova Iorque contra quatro réus, incluindo Nicolas Maduro, o atual líder da assembléa constituinte da Venezuela, o ex-diretor de inteligência militar e um ex-general de patente alta, pelos seus envolvimentos com narco-terrorismo”, disse Barr.

Geoffrey Berman, advogado geral dos EUA para o Distrito Sul de Nova Iorque adicionou que, pelas acusações, Maduro enfrentará pena mínima de 50 anos ou perpétua na cadeia.

Além de prestar queixa, o Departamento de Estado dos EUA ofereceu uma série de recompensas por informações sobre cinco oficiais de patente alta do governo do presidente venezuelano Nicolas Maduro, incluindo 15 milhões de dólares pelo próprio Maduro.

“O Departamento está oferecendo uma recompensa de até 15 milhões de dólares por informações relacionadas a Nicolas Maduro Moros. O Departamento também está oferecendo recompensas de até 10 milhões de dólares por informações sobre cada um dos quatro oficiais venezuelanos”, de acordo com a declaração.

De acordo com oficiais estadunidenses, Maduro foi o líder de um grupo que traficava cocaína chamado “Cartel dos Sóis” que envolvia políticos e membros do exército e do judiciário venezuelanos.

O anúncio veio logo após o senador dos EUA Marco Rubio anunciar a ação no Twitter.

“Hoje, Nicolas Maduro será indiciado pelo Departamento de Justiça e acusado de narco-terrorismo”, escreveu Rubio no Twitter.

Ao mesmo tempo, o primeiro relatório das condenações foi levantado pela CNN, dizendo que os EUA iriam designar a Venezuela como estado patrocinador do terrorismo e prestar queixas contra o presidente Nicolas Maduro.

É esperado que a designação e as acusações sejam realizadas ainda quinta-feira, enquanto é esperado que o advogado geral dos EUA William Barr faça o anúncio em uma coletiva de imprensa.

*Publicado originalmente em 'Sputnik News' | Tradução de Isabela Palhares



Conteúdo Relacionado