Pelo Mundo

EUA querem imunidade de soldados também no México

06/07/2005 00:00

México - Os Estados Unidos pediram formalmente ao México a garantia de imunidade judicial para seus cidadãos e militares diante da Corte Penal Internacional, ameaçando a suspensão de todas as trocas e ajudas militares ao México.


O pedido formal especifica que, caso o presidente mexicano, Vicente Fox, não aceite o acordo bilateral de imunidade, haverá o cancelamento do programa de treinamento militar e da venda de armas e assistência técnica por parte dos EUA para o México. A petição foi apresentada na semana passada.


Trata-se do Artigo 98, um acordo que fará com que o México comprometa-se a não levar nenhum norte-americano diante da jurisdição da Corte, à qual o México se somou em junho passado. Caso Fox não aceite conceder imunidade processual a tropas e civis norte-americanos, ele colocaria em risco um dos intercâmbios militares mais intensos registrados entre dois países do Ocidente, marcado por grandes trocas e doações de armamentos e treinamentos de oficiais.

 

Em abril, pedido similar havia sido apresentado ao governo equatoriano que, no final de junho, decidiu recusar a solicitação dos EUA para que seus soldados que operam na base militar de Manta, a cerca de 260 quilômetros da capital Quito, gozem de imunidade ante a Corte Penal Internacional. Pouco antes da decisão, a embaixada americana fez questão de lembrar o governo que “certo tipo de ajuda financeira e militar está condicionada à aceitação de um acordo sobre imunidade”. Brasil e Argentina também recusaram acordos similares.


Conteúdo Relacionado