Pelo Mundo

Em vídeo, irmão de presidente da Câmara dos Deputados da Bolívia denuncia crimes de lesa-humanidade

 

03/12/2019 10:24

 

 
Em vídeo recém divulgado, o advogado boliviano Marco Antonio Borda denuncia as brutalidades sofridas em 10 de novembro passado quando sua casa foi invadida, móveis, instalações e objetos destruídos, seus filhos menores agredidos e sua filha de 14 anos estuprada.

Esta violência cruel foi perpetrada por agentes policiais, paramilitares e civis vinculados aos golpistas da Bolívia apoiados pela OEA de Luís Almagro.

Os atos bárbaros perpetrados contra Marco Antonio Borda e sua família tinham o objetivo de obrigar seu irmão Victor Borda, deputado pelo MAS, a renunciar do cargo de presidente da Câmara de Deputados e deixar em aberto toda a linha sucessória de Evo, que sentiu-se obrigado a renunciar horas antes naquele 10 de novembro, devido a ameaças terroristas idênticas que também sofrera, assim como outras lideranças e políticos do MAS.

Esses racistas truculentos, apoiados e financiados pelo governo dos EUA, barbarizam o país e promovem uma matança de indígenas – tudo sob o olhar complacente da CIDH, das Nações Unidas e de Michele Bachelet, a Alta Comissária de Direitos Humanos da ONU que atendeu desejo dos EUA de denunciar a Venezuela e agora adota um silêncio criminoso e cúmplice em relação à barbárie que está em andamento na Bolívia.

O povo boliviano, na sua maioria constituído por indígenas, é alvo do terror fascista da extrema-direita, que comete crimes de lesa-humanidade.

A solidariedade internacional e a exigência da ação de organismos internacionais é cada vez mais imperativa para evitar que um genocídio étnico-racial atinja proporções ainda mais catastróficas na Bolívia.



*Publicado originalmente no blog do autor



Conteúdo Relacionado