Pelo Mundo

O patrimônio de Trump cai US$ 1 bilhão pelo impacto do coronavírus em seus negócios

Avaliamos o patrimônio líquido do presidente em US$ 3,1 bilhões há um mês. Agora ele vale US$ 2,1 bilhões. Aqui está o porquê

03/04/2020 11:13

 

 
Para aproximar o quanto o coronavírus afetou a fortuna do presidente, analisamos as mudanças no preço das ações semelhantes a cada segmento de seus negócios. Os imóveis comerciais caíram claramente, com ações de várias empresas, incluindo Boston Properties e Vornado Realty Trust, mergulhando em média 37% de 1 de março de 2020 a 18 de março de 2020, data em que calculamos fortunas para a lista de bilionários. Perdas similares reduziram o valor das empresas de hotelaria, proprietárias de apartamentos e empresas de golfe. Usando esses recuos como guias, aplicamos descontos aos números pré-coronavírus de Trump e avaliamos as alterações com especialistas do setor.

O resultado final: uma avaliação do patrimônio líquido de US$ 2,1 bilhões - uma queda de US$ 1 bilhão em menos de um mês. Isso certamente mudará novamente, pois todo índice funciona como um eletrocardiograma. Mas, diz Eric Anton, corretor imobiliário da cidade de Nova York, "a análise é tão boa quanto qualquer outra maneira que eu possa pensar".

Imóveis comerciais

Espaços de varejo e escritório em Nova York e São Francisco

O núcleo do império de Trump, que o presidente ainda é dono, mas seus filhos Eric e Don Jr. gerem no dia a dia, permanece ligado à propriedade de imóveis comerciais. Antes do coronavírus interromper tudo, essas propriedades valiam cerca de US$ 1,9 bilhão, após a dedução das dívidas. Em 18 de março de 2020, esse valor tinha sido reduzido para US$ 1,2 bilhão.

Parte do problema: Trump possui 125.000 pés quadrados [11.600 metros quadrados] de imóveis de varejo perto da Quinta Avenida, em Manhattan, tipicamente um movimentado corredor de varejo. Hoje, é, virtualmente, uma cidade fantasma. Atualmente, o espaço para escritórios também não parece um investimento seguro, especialmente se o experimento de trabalho de casa provar ser bem-sucedido nos EUA.

Imóveis residenciais

Mais de 500 unidades em cinco estados

Além de participações comerciais, o presidente possui mais de 500 unidades residenciais em todo o país. A paralisação aconteceu tão rapidamente que ainda não existem muitos dados sobre vendas de imóveis, dificultando a determinação do valor de qualquer coisa. "É improvável que os compradores decidam fazer o maior investimento financeiro de suas vidas por meio de uma visita virtual", diz Jonathan Miller, especialista em imóveis residenciais de Nova York. As empresas abertas, no entanto, apontam para valores em declínio. Os preços das ações de cinco empresas proprietárias de apartamentos caíram em mais de um terço, em média, de 1 de março de 2020 a 18 de março de 2020.

Propriedades de hotelaria

Hotel em Washington, DC, e resort em Miami

A situação é ainda mais terrível para as propriedades de hotelaria de Trump. A Organização Trump estava tentando vender seu hotel em Washington, DC, mas esses planos estão suspensos. As empresas do presidente demitiram mais de 550 funcionários, segundo o Washington Post.

Licenciamento e gestão de hotéis

Ofertas de branding e gerenciamento no Havaí, Uruguai, Índia e outros países

Durante uma conferência de imprensa da Casa Branca em março, o presidente Trump respondeu a uma pergunta sobre o efeito do coronavírus em seus negócios: "Estou muito pouco alavancado e tudo, então isso é bom". Porém, não necessariamente no hotel de Washington D.C. ou no resort de golfe do presidente em Miami. O Deutsche Bank entregou a Trump US$ 170 milhões para reformar o Trump International Hotel e outros US$ 125 milhões para o Trump National Doral em Miami, que produziram US$ 9,7 milhões em lucros de 2018 (medidos como lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização). "Parece bastante alavancado", diz o analista de hotelaria Dan Wasiolek.

Campos de Golfe

Dez campos de golfe nos EUA, três propriedades europeias

O impacto no portfólio de campos de golfe de Trump depende muito de quanto tempo o coronavírus manterá a economia fechada. A boa notícia para os investidores de golfe é que é fácil se distanciar socialmente nos campos. A má notícia é que clubes caros não tendem a se sair bem em recessões. "A primeira coisa que é cortada da dieta é o orçamento do golfe", diz Jeff Davis, diretor gerente da empresa de corretagem de golfe Fairway Advisors. O valor dos negócios de Trump, estimados em cerca de US$ 271 milhões no início de março, caiu cerca de 20%.

Troféu e outras propriedades

Mar-a-Lago, cobertura da Trump Tower, Trump Winery e outros ativos

Mar-a-Lago, o clube mais famoso do presidente, pode estar se saindo melhor do que o resto de seus clubes, apesar de ter sido notícia por hospedar pessoas que mais tarde deram positivo para o coronavírus. Isso ocorre porque o Mar-a-Lago é mais valorizado como o troféu de um bilionário do que como um negócio operacional, o que parece proteger o impacto da atual crise.

Dinheiro

A parte com melhor desempenho da carteira do presidente é sua pilha de dinheiro. O presidente se livrou de suas ações há muito tempo e agora mantém cerca de US$ 160 milhões em segurança em contas à vista. Parecia um investimento ruim nos últimos anos, com o mercado de ações disparando e o presidente deixando de ganhar. Mas hoje, empatar é um ótimo retorno.

Em meio a toda tristeza, ainda há espaço para otimismo. Lá pelo final da quarta-feira, o mercado acionário estava 3% mais alto do que quando a Forbes calculou suas avaliações de patrimônio líquido, duas semanas antes. Diz Joel Paige, um operador de resort que administrou Doral, antes de Trump comprar a propriedade: "Meu palpite é que isso será apenas um soluço para ele".

*Publicado originalmente em 'Forbes' | Tradução de César Locatelli



Conteúdo Relacionado