Pelo Mundo

Saúde Pública da França: um quarto das infecções por coronavírus são assintomáticas

A agência de saúde francesa se debruçou sobre estudos de vários grupos isoladamente para definir essa proporção

08/07/2020 16:56

(Phillipe Desmazes/AFP)

Créditos da foto: (Phillipe Desmazes/AFP)

 
Qual o papel dos pacientes assintomáticos na transmissão do coronavírus? Quantos eles são ? Essas perguntas nunca param de atormentar os especialistas. De fato, desde o início da epidemia, suspeita-se que os infectados, que não se sabe, tenham contribuído muito para a disseminação da SARS-Cov-2.

Pela primeira vez, a Saúde Pública da França libera elementos preciosos de respostas, enquanto a literatura científica apenas começa a ser estabelecida. Depois de estudar vários grupos isolados (como o navio de cruzeiro Diamond Princess, o porta-aviões Charles-de-Gaulle ou até um lar de idosos no estado de Washington, nos Estados Unidos), a agência de saúde estima que um quarto das pessoas infectadas com SARS-CoV-2 nunca apresentará sintomas. Por outro lado, ela disse que era incapaz, nesse momento, de tirar dúvidas sobre o grande fator desconhecido nessa epidemia, a saber, o grau de contagiosidade dessas pessoas.

"A falta de tosse limita a transmissão"

Porém, sabe-se mais sobre a disseminação do vírus por pacientes na fase pré-sintomática, ou seja, aqueles que ainda não apresentam sintomas. Mesmo que "a ausência de sinais como a tosse limite a transmissão", esses pacientes podem espalhar o vírus. Estima-se que 50% das contaminações que causam ocorram antes do aparecimento dos sinais.

Daí a importância, lembra Saúde Pública da França, de respeitar as medidas de distanciamento social e usar uma máscara, mesmo quando você não se sente doente. Da mesma forma, quando ocorre um surto, o rastreamento de contatos envolve a observação de "eventos potenciais de transmissão dois a três dias antes do início dos sinais em um caso."

*Publicado originalmente em 'L'Obs' | Tradução de César Locatelli



Conteúdo Relacionado