Pelo Mundo

Terror na fronteira: experts condenam uso de gás lacrimogêneo nas crianças

 

04/12/2018 09:13

(Daniel Arauz)

Créditos da foto: (Daniel Arauz)

 
No domingo passado, oficiais da fronteira dos EUA dispararam gás lacrimogêno em grupos de requerentes de asilo tentando chegar à fronteira dos EUA. Imagens de mães e crianças pequenas fugindo do gás geraram indignação nos políticos e em grupos de direitos humanos.

O vento carregou o gás por um quilômetro de distância, impactando muitos indivíduos que não tentavam cruzar a fronteira.

Como resultado do gás lacrimogêneo, uma mulher colapsou inconsciente, um bebê desmaiou, e muitos outros gritavam e tossiam, e uma criança com síndrome do Down estavam entre os afetados pelo gás.

“Eu senti que meu rosto ardia”, disse Cindy Milla, mulher hondurenha. “Corri pela minha vida e dos meus filhos.”

Mas na terça, o presidente Trump defendeu o uso do gás, alegando que o gás utilizado era “muito seguro”.

Experts contatados pelo autor argumentaram fortemente contra as afirmações de Trump e chamaram o ato de lançar gás lacrimogêneo nas crianças de ilegal e possivelmente mortal.

“O gás lacrimogêneo nao deveria nunca, na minha opinião, ser usado em crianças”, disse Dr. Alastair Hay, professor de Toxicologia Ambiental da Universidade de Leeds. “A ardência nos olhos e a tosse que o gás provoca podem aterrorizar qualquer criança.”

Se uma criança com asma entra em contato com o gás, poderia provocar um ataque asmático seríssimo em uma população vulnerável que podem nunca ter acesso ao remédio necessário.

Dr. Rohini Haar, professor visitante da Escola de Saúde Pública de UC Berkeley, concordou que expor as crianças ao gás é algo perigoso.

“As crianças são particularmente vulneráveis à armas como essa – têm sistemas respiratórios mais delicados, pele mais frágil, talvez não consigam fechar os olhos e bocas então engolem mais, e não muito bem como tirar o gás da face como os adultos.”

Dr. Anna Feigenbaum, que escreveu um livro sobre a história do gás lacrimogêneio disse, “a segurança do gás foi determinada pela sua exposição à corpos masculinos saudáveis. O gás pode ser mais perigoso para as crianças, os idosos, e para as pessoas com condições pré-existentes”.

O gás lacrimogênio é uma toxina, que é letal se qualquer indivíduo receber uma dose grande suficiente, e a dose letal para uma criança é muito menor, de acordo com a Dr.

“É uma arma química, não um condimento”, disse a Dr.

“Envenenar o ar que as crianças respiram põe sua vida em risco.”

Os gases lacrimogêneos trabalham obrigando as pessoas a fugirem em pânico, o que pode causar que as crianças se separem dos seus pais, sejam pisoteados ou tenham um ataque asmático.

Uma porcentagem de pessoas expostas ao gás terá impactos de longo-prazo, de acordo com Dr. Wright, professor na Universidade Leeds Beckett. Estudos ainda mostram a conexão do gás com abortos.

Tando a Dr. Feigenbaum e o Dr. Haar questionaram a legalidade de usar gás lacrimogêneo nas crianças, e o México está pedindo uma investigação do incidente.

“É uma violação dos princípios básicos da ONU sobre o Uso da Força”, disse Dr. Feigenbaum.

Dr. Haar disse, “tanto o exército dos EUA  e a polícia usam padrões de conduta que exijem o uso de força proporcional. Não consigo imaginar como lançar gás em civis desarmados é proporcional”.

Também há a preocupação de que os oficias que usam o gás o façam inapropriadamente.

“Um grande prejuízo para os civis que são alvos dessas armas são ferimentos diretos ao crânio quando os projéteis são lançados de uma distância curta – em contravenção ao guia técnico da companhia”, disse Dr. Wright.

É banido o uso do gás em guerras pelas convenções de armas químicas, mas é usado regularmente contra civis, com resultados especialmente brutais em regimes autoritários.

Em 2013, 39 prisioneiros no Egito sufocaram até a morte quando o gás foi lançado em uma van da prisão. Em 2011, a Arábia Saudita ajudou o pequeno país de Bahrein a reprimir os manifestantes da Primavera Árabe, e o uso extremo de gás pelas forças de segurança matou ao menos 30 pessoas.

Dr. Feigenbaum criticou a ideia de que o gás é uma arma não-letal. “Porque temos tantas mortes, se são armas não-letais?”

Dr. Wright disse que o objetivo do uso de gás lacrimogênio é parecer ser menos perigoso, mas não necessariamente é menos perigoso.

“Em termos de uma suposta segurança, deveria ser lembrado que alguns dos primeiros agentes da Primeira Guerra Mundial eram os chamados gases lacrimogêneos”, disse Dr. Wright.

Somente nos EUA, já tiveram mais de 100 pessoas mortas por gás lacrimogêneo, com a maioria dessas mortes ocorrendo em prisões ou em blitz da SWAT, de acordo com a Dr. Feigenbaum.

Agora, o gás lacrimogêneo está sendo usado em famílias vulneráveis vivendo em condições desesperadores perto da fronteira dos EUA.

Ao menos parte do gás utilizado no domingo passado pareceu ser Triple Chaser e Saf-Smoke Grenade, de acordo com recipientes descobertos perto da fronteira.

Triple Chaser e Saf-Smoke Grenade são ambos manufaturados pela Defense Technology, subsidiária do Grupo The Safariland. O site da Defense Technology inclui um alerta para potenciais compradores do Triple Chaser e do Saf-Smoke Grenade:

“Esse produto pode te expor à químicos incluindo sais de chumbo e crômio hexavalente, que podem causar câncer, defeitos congênitos ou prejuízos reprodutivos, o que é do conhecimento do estado da Califórnia.”

A Dr. Feigenbaum disse que o Triple Chaser é uma forma particularmente perigosa de gás lacrimogêneo porque o recipiente se divide em três partes, tornando difícil controlar onde pousa.

Recentemente, a administração Trump concedeu às tropas dos EUA na fronteira permissão para usar força para proteger oficiais da fronteira, e tentou retirar o direito de pedir asilo das pessoas que entram nos EUA sem autorização.

“A longo prazo, é provável que vejamos maior uso de tais armas nas fronteiras devido ao aumento de conflitos e da migração induzida pelo clima”, disse Dr. Wright.

A Dr. Anna Feigenbaum resumiu uma razão pela qual ela acha que podemos estar vendo oficiais de fronteira usando gás.

“O gás lacrimogêneo é economicamente viável se você não tem os recursos para construir infraestrutura permanente. Podemos usar gás lacrimogêneo para criar um muro temporário na fronteira como solução para a crise na fronteira.”

*Publicado originalmente em Counter Punch | Tradução de Isabela Palhares



Conteúdo Relacionado